Lulu, de Lou Reed & MetallicA: análise, informações e curiosidades – até termos o áudio…

Why is this surprising?” probes Lou Reed, as only he can. “An odd collaboration would be Metallica and Cher. That would be odd. Us – that’s an obvious collaboration.”

É com esta máxima que Lou Reed explica de maneira oficial ter pedido ao MetallicA “estampar o Lulu“. Assim como disse que “Lulu is ‘the best thing I’ve ever done”.

Já falamos e trouxemos algumas informações que teríamos um projeto de Lou Reed com a “marca MetallicA” por aqui no Minuto HM. Mas antes de abordarmos mais novidades oficiais que temos antes do lançamento oficial do álbum, a dúvida que está na minha cabeça é: devemos considerar este vindouro disco algo do MetallicA MESMO?

Me explico: desde o começo, o MetallicA está afirmando que estará contribuindo com o Lou Reed para um disco. A temática do disco, o nome usado de Lou Reed antes do MetallicA, o fato de Lou Reed sempre estar a frente / no meio da banda, etc., para mim são detalhes que dizem: o disco é LOU REED com o super-luxo da banda ser o MetallicA. E não ao contrário.

Não podemos falar absolutamente nada ainda: não temos o áudio, que é o que realmente interessa. Nós atribuiremos o disco a quem? Ao Lou Reed e MetallicA? O MetallicA vai considerar este material OFICIAL em sua discografia? Se olharmos hoje no site oficial dos “Kings of The Road”, o disco não está por lá. “Ah, claro, ele ainda nem foi lançado”. Não é bem assim – me lembro do Death Magnetic aparecendo por lá antes do lançamento, também.

Me parece uma postura conservadora da banda: se o negócio der certo, ele vai aparecer por lá, caso contrário, será considerado apenas como “um disco no qual contribuímos?”. O que vocês acham?

Outra coisa que tem um pouco a ver com isso: me lembro, na época do lançamento do S&M, que Lars havia dito que a banda tinha gostado de fazer algo assim, meio “fora do âmbito MetallicA”, e que repetiria a dose “10 anos depois, se fosse necessário”.

Não dá para negar que o MetallicA é uma banda que sempre arriscou em sua discografia. Temos uma tendência evolutiva nos primeiros discos, mas depois do Black Album (inclusive), o que vimos, independente do gosto de cada um, foram discos diferentes um do outro (exceção ao Load e Reload que podem ser considerados, claro, um disco só, pela história de ambos).

Mas por que estou falando tudo isso agora e o que isso te a ver com o tal Lulu? A resposta é: já vi muita gente botando fogo em tudo relacionado a este projeto, sem antes termos o mais importante: AS MÚSICAS, O ÁUDIO!

Está na cara que será novamente algo diferente. Não será MetallicA puro, gente. Se fosse MetallicA puríssimo, o disco seria do… MetallicA! Este é o ponto.

Eu sou fã do MetallicA, não do Lou Reed. Assim, como fã do MetallicA, claro que estou bastante preocupado com o que virá pela frente e que leva o nome da banda, ainda mais considerando que a banda vinha mesmo em uma crescente em todos os sentidos, algo que foi refletido no ótimo Death Magnetic. Mas o recado que quero passar aqui a todos (e até para mim) é: vamos ter um pouco de calma!

Assim, independente de qualquer coisa, vamos aguardar mais um pouco antes de tacarmos fogo. É bem verdade que tivemos grandes expectativas com, por exemplo, o St. Anger (“uma volta as raízes, cru, riffs poderosos, etc”) e o RESULTADO foi um disco que, mesmo após muitas audições e deixando o tempo agir, para mim, continua um lixo, com raríssimos momentos que podemos salvar ali – raríssimos para não dizer nada.

Então, antes de classificarmos qualquer coisa, se será um disco MetallicA, Lou Reed, como será a divisão das coisas, etc., vamos primeiro ouvir o disco.

Isso posto, vamos falar do que já temos de informações e podemos tecer comentários desde já…

O nome, a capa, a temática e um pouco de história:

Vamos começar pelos 2 itens que mais desagradaram, até agora: o nome e a capa.

A capa, que está abaixo, traz um manequim feminino. Quem seria?

“Lulu” foi originalmente definido para ser a adaptação musical de Reed de uma peça de 1913, escrita pelo dramaturgo alemão Frank Wedekind. A peça é sobre a vida de uma dançarina, mas agora se tornou um projeto conjunto com o MetallicA.

Esta peça é considerada o maior trabalho dele (e um dos masterpieces do Século XX) e é composta por duas partes: Erdgeist (Earth Spirit, 1895) e Die Büchse der Pandora (Pandora’s Box, 1904), apesar de ter sido originalmente concebida em apenas uma parte. A história da dançarina, digamos, erótica, que cresce na Alemanha e é enganada, caindo na prostituição e pobreza, passando dos limites que era considerado aceitável na época.

Benjamin Franklin Wedekind (1883)

Benjamin Franklin Wedekind (1883)

A peça é baseada nos manuscritos do austríaco Alban Berg que foram disponibilizados após um longo tempo de sua morte em 1935.

O plano original era um álbum em conjunto para regravar algumas “jóias perdidas” do ex-homem do Velvet Underground, antes de Reed propor gravar “Lulu”.

James Hetfield disse: “nós estávamos muito interessados em trabalhar com Lou. Eu tinha esses pontos de interrogação gigantes: ‘Como é que vai ser?’, ‘O que vai acontecer?’ Então foi ótimo quando ele nos enviou as letras para o trabalho musical de “Lulu”. Era algo em que podíamos afundar nossos dentes. Eu podia tirar o meu chapéu de cantor e compositor e me concentrar na parte musical. Eram letras muito potentes, com uma paisagem sonora por trás para uma atmosfera. Lars e eu nos sentamos num trabalho acústico e deixamos esta tela em branco nos levar onde ela precisava ir. Foi um grande presente, poder estampar o nome Metallica. E é isso que nós fizemos”.

Reed disse sobre o projeto: “tínhamos que trazer Lulu à vida de um modo sofisticado, usando o rock e o rock mais poderoso que você pode apresentar tem que ser o Metallica. Esta é a melhor coisa que já fiz. E eu fiz isso com o melhor grupo que eu poderia encontrar. Por definição, todos os envolvidos foram honestos. O projeto veio ao mundo puro. Nós no esforçamos tanto quanto foi possível dentro do âmbito da realidade”.

A capa de "Lulu"

A capa de "Lulu"

A capa traz um ar sinistro e, ao mesmo tempo, bastante clean. Mesmo tentando colocá-la em algum contexto, eu, particularmente, achei uma porcaria – nisso eu estou com a maioria, já botando fogo desde já…

O tracklisting:

  1. Brandenburg Gate (4:19)
  2. The View (5:17)
  3. Pumping Blood (7:24)
  4. Mistress Dread (6:52)
  5. Iced Honey (4:36)
  6. Cheat On Me (11:26)
  7. Frustration (8:33)
  8. Little Dog (8:01)
  9. Dragon (11:08)
  10. Junior Dad (19:28)

Como não temos nenhum trecho disponível para audição ainda, creio que não seja o momento de comentarmos nada aqui. Os nomes das músicas, entretanto, são interessantes e diretos. E o tempo delas é outra coisa que se destaca – várias bem longas (só as duas últimas são mais de meia hora juntas).

O disco, portanto, será bem longo: 85:44.

Junior Dad:

Apesar de ainda não termos o audio de nada com o MetallicA, a faixa em questão deverá ser uma regravação. E essa foi a letra que emocionou ambos guitarristas do MetallicA, pela sua temática na relação pai e filho.

Kirk Hammett revelou à Mojo Magazine que ele e o vocalista James Hetfield foram levados às lágrimas durante as sessões de gravação para o álbum colaborativo da banda com Lou Reed, intitulado “Lulu”. Hammett revelou a revista:

“Eu tinha perdido meu pai três ou quatro semanas antes. Tive que sair da sala de controle do estúdio e fui para a cozinha chorando. Pouco depois, James Hetfield (N.R.: que foi abandonado pelo pai aos 13 anos) entra lá, no mesmo estado. Foi algo insano”.

A letra da canção “Junior Dad” pode ser encontrada no livro de Lou Reed “Pass Thru Fire: The Collected Lyrics”, que foi originalmente publicado pela Hyperion Books em 2000.

Acompanhe a letra de “Junior Dad”:

Would you come to me

If I was half drowning

An arm above the last wave

Would you come to me

Would you pull me up

Would the effort really hurt you

Is it unfair to ask you

To help pull me up

The window broke the silence of the matches

The smoke effortlessly floating

I’m all choked up

Pull me up

Would you be my lord and savior

Pull me up by the hair

Now would you kiss me on my lips

Burning fever burning on my forehead

The brain that once was listening

Now shoots out its tiresome message

Won’t you pull me up

Scalding my dead father has the motor

And he’s driving towards

An island of lost souls

Sunny – a monkey then to monkey

I will teach you meanness fear and blindness

No social redeeming kindness

Oh-or-state of grace

Would you pull me up

Would you drop the mental bullet

Would you pull me by the arm up

Would you still kiss my lips

Hiccup: the dream is over

Get the coffee: turn the lights on

Say hello to junior dad

The greatest disappointment

Age withered him and changed him

Into junior dad

Psychic savagery

Um vídeo de Reed e sua mulher, Laurie Anderson, tocando “Junior Dad” em Paris, em setembro de 2009 pode ser visto abaixo:

Lulu:

Produzido por Lou Reed, Metallica, Hal Willner e Greg Fidelman. Mixado por Greg Fidelman.

Datas do lançamento:

Mundo: 31/outubro/2011 pela Universal Music.

América do Norte: 01/novembro/2011 pela Warner Bros. Records.

Conclusão:

Vai ser algo bem difícil / complexo de ser digerido. O tempo será fundamental neste processo. Talvez, puristas (e me incluo nesta definição) tenham ainda mais dificuldade que o que virá. Isso já está bem claro para mim…

Por fim, Lou Reed e MetallicA estarão no programa da “BBC2, Later… With Jools Holland”. Mas o programa vai ao ar no dia do lançamento do disco, apenas.

Aguardemos…

Obs.: sim, me incomoda ver Hetfield “de lado” / para trás nas fotos…

[ ] ‘ s,

Eduardo.



Categories: Agenda do Patrãozinho, Artistas, Curiosidades, Discografias, Entrevistas, Letras, Músicas, MetallicA, Resenhas

56 replies

  1. Post publicado no Whiplash:

    [ ] ‘ s,

    Eduardo.

    Like

  2. Eduardo, obrigado por trazer todas essas informações que sem dúvida vão esclarecer o motivo de ter rolado essa parceria e por fim que o lance acabasse registrado de forma fonográica. Seu post é muito detalhado , me ajudou mesmo a entender tudo que cerca este lançamento. Você está de super parabéns, avalio o texto como perfeito. Só tem uma coisa que eu não gostei nem um pouco : A música Junior Dad, na versão Reed e companhia. Aliás, eu achei horroroso!!!
    Mas espero que algo com a assinatura Hetfield não venha desse jeito, ainda que possamos esperar um projeto e não uma sequência da discografia do Metallica.
    Eu vou ouvir o trabalho com a mente aberta, dissociando da característica Metallica, mas não gosto de nada do Lou Reed.
    Quando ele participou apenas mas certamente de forma a colaborar positivamente com a parte lírica do THe Elder, do KISS, não comprometeu o resultado final, que aliás, embora excelente, não teve até hoje muita aceitação, principalmente se falarmos das vendas . Mas o álbum é um exemplo de trabalho ” fora da curva”, em se tratando do KISS, e que é excelente, sempre na minha opinião, é claro.
    Se acontecer o mesmo com este LULU, beleza. É isso que espero. O problema é que o Lou Reed neste não vai participar apenas com as letras . Se for algo do tipo Metallica acompanha Lou Reed, tenho minhas sérias dúvidas se vou gostar …..

    Alexandre Bside

    Like

    • B-Side, primeiramente, obrigado pelas palavras. Tentei não só reunir algumas informações, bem como pesquisar um pouco a história e origem das coisas, mas também adicionando minhas observações ao texto. Fico feliz que tenha gostado e que considere um ótimo post, muito obrigado.

      Estou com você quanto a esta versão de Junior Dad que, por mais que a letra tenha bastante força emocional, o som mesmo nada me toca – pelo contrário.

      Ótima lembrança sua também referente ao trabalho com o Kiss, deixo abaixo aqui os 2 posts referente ao disco para quem ainda não conferiu esta maravilhosa Discografia Kiss aqui do blog:

      https://minutohm.com/2009/04/04/music-from-the-elde/

      https://minutohm.com/2009/09/20/kiss-discografia-16a-parte-–-album-music-from-the-elder/

      Enfim, só nos resta aguardar para ouvirmos. E ouvirmos. E ouvirmos – pois tenho certeza que não será algo de fácil entendimento / apreciação…

      Obs.: este é o comentário número 7.000 do blog. Que marca fantástica para nós.

      [ ] ‘ s,

      Eduardo.

      Like

  3. Confesso que esse ‘Loutallica’ não me gera nenhuma boa expectativa. E cada vez que uma nova informação surge sobre este projeto meu interesse diminui. 

    Certamente ouvirei este ‘Lulu’ mais como uma “obrigação” do que com aquela ansiedade e expectativa que um álbum de uma grande banda gera. Expectativa esta que estou sentido pelos lançamentos do Anthrax e Megadeth, por exemplo. 

    Eu, como fã de Metallica, espero um álbum de metal, o que certamente não será o que o ‘Lulu’ trará. O ideal seria que o lançamento de ‘Lulu’ não interferisse nos planos de um futuro álbum do verdadeiro Metallica mas acho difícil…

    Gosto de pensar que este ‘Loutallica’ seja um projeto à parte da banda, e não algo que faça parte da discografia. Uma banda que já teve um álbum chamado Kill ‘Em All capas maravilhosas como a de And Justice for All, da ate uma vergonhinha um chamado Lulu e com essa capa de gosto duvidoso. 

    Like

    • Su, pois é, eu também não tenho uma expectativa de ouvir um disco que seja MetallicA – e é justamente por aí que estou pensando para que não haja qualquer decepção imediata.

      Eu (ainda) vejo o MetallicA em uma grande crescente com o Death Magnetic e seus recentes setlists (tirando o Lars que desencanou de vez de tocar bateria daquela maneira que me fez admirá-lo por tantos e tantos anos), voltando a nos presentear com muitas músicas “esquecidas” pela banda por muitos anos dos 4 primeiros álbuns da banda. Espero, sinceramente, que este projeto não atrapalhe este momento.

      Sobre a capa em relação as do MetallicA, é verdade: dá mesmo uma vergonhinha. Não tem como…

      [ ] ‘ s,

      Eduardo.

      Like

      • “…voltando a nos presentear com muitas músicas “esquecidas” pela banda por muitos anos dos 4 primeiros álbuns da banda. Espero, sinceramente, que este projeto não atrapalhe este momento.”

        Por favor!! Que seja feita vossa vontade! hahahaha
        Não quero ouvir Lulu no Rock In Rio. Quero Blackened 😀

        Like

        • Amém…

          Mas olha, acho que o projeto não vai influenciar os shows da banda – assim, creio que não teremos nenhuma surpresa no Rock in Rio neste sentido. Bom, tomara, porque já não é fácil ver “apenas” cerca de 18 músicas de uma banda que poderia tocar umas 50 e faltar música ainda…

          Obs.: Blackened? Para mim, poderia ser de abertura, que tal? Para mim, a música ideal para abertura de um show do MetallicA, sempre. Sou (somos, brasileiros) privilegiados de termos visto o MetallicA tocar esta música em nossas terras… tomara sim que haja uma repetição…

          [ ] ‘ s,

          Eduardo.

          Like

  4. Bom, contextualizando, não sou lá muito fã/conhecedor da fase nova do Lou Reed. Minha primeira impressão em relação a Junior Dad é que segue a linha “música experimental” que o Lou Reed vem seguindo. Para uma audição, ok – mas não é o tipo de música que vou ouvir mais de 3 vezes. Meu negócio é mais a fase Velvet Underground, quando 99% das bandas bacanas dos anos 60 frequentava a “Factory” do Andy Warhol. Essa fase do Lou Reed é sensacional. Uma das melhores coisas do final dos anos 60. Soturno, fugindo do clima “all you need is love”. É um The Doors ainda mais melancólico. The Velvet Underground & Nico, White Light/White Heat, Loaded e o álbum homônimo são sensacionais e SIM, eu vejo o Metallica perfeitamente inserido neste tipo de som.

    A fase solo com Transformer (co=produzido pelo Bowie) e Berlin também vale uma audição. Nos anos 80/90 Lou enveredou pro pop mesmo e nada me chamou a atenção.

    Mas… Estamos em 2011 e não em 1971… E a praia do Lou Reed agora é sim música experimental (vide seu Metal Machine Trio (youtube it…) suas participações com o Gorillaz, por exemplo)

    Eu acho. ACHO. Que o disco vai seguir a linha experimental da Metal Machine Trio dele – que inclusivo tocou em um dos SESCs da vida e o povo odiou, pois Lou não tocou nada de sua carreira passada e o show é basicamente um Junior Dad sem fim… Creio que essse clima “noise” será mantido, mas de alguma maneira creio que o Metallica vai colocar uma “base” rock n roll no negócio.

    Eu pessoalmente gosto quando uma banda “sai da caixa”. Mesmo que não seja Metallica tradicional, trabalhar com uma lenda do rock como o Lou Reed enriquece o currículo de qualquer banda e sim, eles podem aprender MUITO com o cara. No final, se isso sobrar será uma boa!

    Em tempo, a capa não me incomoda. Bem na linha das capas do final dos anos 60. Design clean.

    Like

    • Olha, Leandro e galera, essa Junior Dad, se não tiver a assinatura do Hetfield, como o B-Side disse, será bem complicada. Tem elementos chatérrimos por ali, as coisas não se encaixam e a música parece que nunca terminará.

      Mas prefiro aguardar, como disse no post. Não dá para ficar aqui fazendo exercício de adivinhação sem pelo menos um trechinho liberado até o momento.

      Leandro, muito bom o seu comentário, enriqueceu bastante o post. Excelente mesmo.

      [ ] ‘ s,

      Eduardo.

      Like

  5. Em tempo, o que a gente chama de barulho em Junior Dad, gente “antenada” chama de “soundscape”. 🙂

    Like

  6. Complemento de última hora. Talvez tenhamos algo que siga por essa linha, que é uma música que o Lou Reed fez com o The Killers:

    Like

    • Essa já tem traços mais característicos mesmo. Esse exercício de tentar pensar como será este trabalho é complicado, ainda mais considerando que o material não é inédito e ganhará a assinatura de Hetfield e CIA.

      Essa música do The Killers, a qual não é de minha predileção, tem, entretanto, bons momentos.

      Será que vão aparecer teasers? Apesar que também tenho receio de ouvir uma parte específica e gerar uma opinião / expectativa que não se reflita no todo. Parece que o melhor caminho é mesmo aguardarmos, não tem muito jeito…

      Boa contribuição, novamente, cara.

      [ ] ‘ s,

      Eduardo.

      Like

  7. Galera, está circulando uma matéria pela internet brasileira, na qual o autor não coloca suas fontes, que o disco será duplo. Creio que esta constatação é pelo fato do tamanho das músicas – e faz todo o sentido.

    Entretanto, o autor, que volto a ressaltar – não coloca fontes – relaciona e menciona a pré-venda do disco na Amazon.

    Acontece que existem 2 pré-vendas na Amazon, uma de um CD simples (???) e outra que seria um pacote com 4 discos (???):

    – (suposto) CD simples por USD 27.67 para 08/novembro/2011: http://www.amazon.com/Lulu-Lou-Reed-Metallica/dp/B005LNCMIE/ref=sr_1_2?ie=UTF8&qid=1315493034&sr=8-2

    – (suposto) 4 discos por USD 27.67 para 08/novembro/2011: http://www.amazon.com/Lulu-Metallica/dp/B005L3HK36/ref=sr_1_1?ie=UTF8&qid=1315492579&sr=8-1

    Creio que temos informações erradas por aí, tanto na matéria, sem fonte, quando no site da Amazon. Inclusive, o item com 4 CDs está sem capa.

    O site oficial não diz nada, até o momento, sobre isso.

    De novo: melhor aguardarmos um pouco antes de soltar os cachorros em tudo…

    Se o preço for confirmado, sabem por que será TÃO caro? Porque não é um disco do MetallicA, ué – portanto, não vai vender tanto quanto se fosse um exclusivo da banda.

    Assim, alguém tem que pagar esta conta… os fãs de MetallicA, como eu, pagarão, mesmo que o material não seja específico – e mesmo que seja ruim. Fãs pagam antes, assim como comprei a edição especial do St. Anger antes do lançamento…

    [ ] ‘ s,

    Eduardo.

    Like

  8. Finalmente saiu um trechinho para audição – música The View – mas são apenas 38 segundos, sempre algo muito “inconclusivo”…

    Enfim, não dá para mesmo para comentar muita coisa apenas com este trecho, vamos aguardar mais… a primeira ouvida me incomodou um pouco, depois foi passando… há um certo “Death Magnetic” na sonoridade deste trechinho… enfim, não dá mesmo ainda para falar muita coisa…

    Fonte:

    [ ] ‘ s,

    Eduardo.

    Like

    • Eu odeio ouvir estas amostras de música antes do lançamento do disco. Geralmente nunca ouço. 30s de música pra mim não dizem nada. Mas em se tratando do Metallica, eu não resisti.

      E a primeira impressão foi horrivel!! Odiei Lou Reed declamando em cima do riff. Depois quando entra o Hetfield a coisa melhora um pouco (mas tambem, não tinha como piorar).
      Confesso que conforme vocè ouve mais vezes, a coisa melhora um pouco. Mas mesmo assim, só melhora porque é o Metallica e rola um esforço da minha parte para dar uma chance a música.

      Enfim, como disse antes, 30s não dizem nada. Não da pra julgar uma música – e até mesmo um álbum inteiro – só com uma amostra. Alías, é uma loucura isso, ficar ouvindo 30s de música no repeat e tentar tirar alguma conclusão!!

      Vamos segurar a ansiedade e aguardar.

      Like

    • Nossa! (em choque)

      Realmente apenas 30 segundos é muito pouco e tal… Mas mesmo sendo fã INCONDICIONAL de MetallicA, esse trecho não me agradou, não… Sei lá, à primeira ouvida o negócio pareceu meio fora de ritmo, esquisito…

      Vamos esperar pelo menos uma música completa para ouvirmos melhor a idéia do projeto, mas a impressão inicial é realmente péssima! Infelizmente…

      Marcus [106] Batera

      Like

      • Cara, muitos comentários pela internet falando a mesma coisa que você: a coisa parecendo estar desconexa, fora de ritmo (principalmente a “leitura” do texto no início do trecho).

        Mas é o que você falou, que eu concordo, que devemos fazer… vamos esperar… é difícil, mas vamos aguentar…

        [ ] ‘ s,

        Eduardo.

        Like

  9. Só tenho uma conclusão ouvindo estes insuficientes pouco mais de 30 segundos de música :
    Vem aí um álbum controverso, seja ele bom ou ruim….

    Bside

    Like

    • Olá Muller, seja bem-vindo ao Minuto HM. Obrigado por contribuir com um link.

      A opinião da Globo e desse cara, para dizer a verdade, não me passam quase nada de confiança ou credibilidade, mas aguardemos, de qualquer forma, para formarmos qualquer opinião sobre o Lulu. Ele teve acesso a 6 faixas, segundo a notícia, e a gente, até o momento, a meros segundos.

      Já as partes do Senna e da entrevista mesmo são bem interessantes e valem a leitura.

      Mais uma vez, obrigado pela contribuição e continue conosco, aqui no Minuto HM, aproveitando o espaço.

      [ ] ‘ s,

      Eduardo.

      Like

  10. Poesia sobre música? Os únicos que fizeram isso direito e ainda com algumas ressalvas foram os Doors… Mas Lou Reed passa longe de Jim Morrison…

    Quanto à opinião do Zeca Camargo, não é meu “crítico” preferido… Mas o cara é bem relacionado na indústria (tem acesso fácil a muito artista – legado dos tempos em que a MTV era “O” canal sobre música) da música e manja do assunto. O fato dele ter gostado é bom e é ruim, se é que vcs me entendem. rsrsrsrs

    Ele é um cara afeito a sons experimentais pelo que costumos ler de suas críticas… Abs

    Like

    • É, qualquer meio deste porte é bem conectado, ainda mais considerando que este que estamos falando é a Globo agora…

      Ouvi caso de gente que pensou que o trecho disponível, no começo, era apenas alguém falando “por cima” da música (referente a introdução do trecho disponível). É triste.

      Bom, vamos aguardando… creio que teremos mais coisas aparecendo…

      [ ] ‘ s,

      Eduardo.

      Like

  11. Poesia sobre música = a impressão que tive dos 30 segundos. (nada a ver com o artigo da Globo). Abs

    Like

  12. Lulu – Capa promocional do disco foi retirada das estações da cidade britânica. Segundo órgão, imagem ‘é parecida demais com grafite’.

    Cada uma…

    http://g1.globo.com/pop-arte/noticia/2011/09/poster-de-album-de-metallica-e-lou-reed-e-banido-do-metro-de-londres.html

    [ ] ‘ s,

    Eduardo.

    Like

  13. [ ] ‘ s,

    Eduardo.

    Like

  14. Versão full de ‘The View’

    Ainda to estranhando muito a música mas ja me incomoda bem menos agora. Dificil compreendê-la assim, fora do contexto.
    Acho que ela só fará algum sentindo na minha cabeça quando a ouvir dentro do álbum mesmo.

    Like

    • Ufa… vou dizer aqui que é “menos pior” do que ouvir apenas o trechinho isolado, mas foram 5:41 intermináveis minutos. Achei CHATO PARA CARAMBA, para dizer a verdade.

      A coisa melhora aos 2:20, quando finalmente o Hetfield entra cantando. Mas esse andamento, esse contra-tempo, essa sonoridade e as voltas dos monólogos de Lou Reed beiram o insuportável.

      Pode ser que quando se coloque tudo em um contexto, a coisa melhore. Pode até ser que mais audições façam eu mudar de ideia, mas é difícil… é chato demais… diria até que é um “desperdício de Hetfield”…

      Vejamos o restante…

      [ ] ‘ s,

      Eduardo.

      Like

      • É….será que isso que ouvi vai ser a tônica do álbum ? Concordo com a Suellen quando ela diz que talvez dentro do trabalho todo a coisa funcione….Por enquanto tá muito difícil.
        E a coisa que mais incomoda ? É o seguinte : Pra mim, música foi feita para ser cantada, não parece simples ?
        Então por que o Lou Reed não canta quase nunca nestes intermináveis mais de cinco minutos?
        Repito : Só uma justificável sequência dentro de um conceito musical pode me fazer mudar de idéia.
        Espero estar redondamente enganado, mas após dois momentos deste LULU não dá para ser otimista…

        Alexandre Bside

        Like

        • A Suellen foi realmente muito feliz no comentário dela. Será que esta música será uma “ponte”? Só nos resta aguardar e torcer para que essas amostras não formem mesmo o quebra-cabeças.

          Já está claro que não será algo muito automático de se digerir. Espero, entretanto, que seja algo “digerível”, mesmo que isso demore várias e várias audições. E puxa, concordo… para que “falar” na música? Música é para ser cantada! Quer falar? Vai dar palestra, sei lá… hahaha.

          Creio que até o lançamento, mais “teasers” sairão. Vamos vendo (ouvindo)… e torcendo!

          [ ] ‘ s,

          Eduardo.

          Like

  15. [ ] ‘ s,

    Eduardo.

    Like

  16. [ ] ‘ s,

    Eduardo.

    Like

  17. [ ] ‘ s,

    Eduardo.

    Like

  18. [ ] ‘ s,

    Eduardo.

    Like

  19. [ ] ‘ s,

    Eduardo.

    Like

  20. [ ] ‘ s,

    Eduardo.

    Like

  21. Um “vídeo trailer”, bem feito, mas com a trilha que ainda não desce e um som de bateria que me deixa preocupado…

    [ ] ‘ s,

    Eduardo.

    Like

  22. [ ] ‘ s,

    Eduardo.

    Like

  23. [ ] ‘ s,

    Eduardo.

    Like

    • Olha, galera… sei que 30 segundos apenas não são suficientes para uma análise, mas não dá para ficar quieto também…

      Foram INTERMINÁVEIS e VERGONHOSOS 30 segundos em todas as faixas. As “menos” piores foram Iced Honey e Junior Dad.

      Acho que o MetallicA não devia ter se sujeitado a um negócio destes. Para que isso?

      Sei que devemos ouvir tudo, mas não deu mais para segurar… está muito difícil, mesmo.

      [ ] ‘ s,

      Eduardo.

      Like

      • Eduardo, você acha que essa Iced Honey e Junior Dad serão musicas instrumentais ? Pergunto isso por que provavelmente você achou elas menos piores pelo siimples fato do Lou Reed não ter cantado nos trechos disponíveis . Como o mais certo é elas não serem instrumentais, não dá para se animar muito.
        Mas eu ainda prefiro esperar para ouvir o cd na íntegra, e diversas vezes , esperando não ter outro St Anger pela frente ….
        Os membros do Metallica estão muito felizes com o trabalho. Kirk cita o novo LULU com uma das melhores coisas que já fez. Acho que devemos esperar , falta pouco afinal…Eu sei que as primeiras impressões são as piores possíveis, mas quem sabe a gente se engana…

        Alexandre Bside

        Like

        • B-Side, também não acho que serão instrumentais e é exatamente pelo Lou Reed não “falar” nelas que eu as achei menos ruins.

          Sobre o que eles estão falando do disco, eu praticamente desconsidero. Me lembro do que falaram do St. Anger (“furioso, volta as raízes, como nos tempos do Kill ao Master”, etc.).

          Você está certo: devemos mesmo esperar. Mas é que realmente está complicado ficar quieto…

          [ ] ‘ s,

          Eduardo.

          Like

    • Quanto mais eu ouço do Lulu, pior fica!

      Parece que o disco todo será um grande falatório do Lou Reed com algumas partes cantadas pelo Hetfield!
      Pumping Blood até vai bem mas basta entrar o Lou Reed pra coisa desandar.
      Em Dragon, durante aqueles “HallucinaAaAtiOoon” comecei a rir de tanta vergonha!!!

      Vai ser um esforço descomunal ouvir este disco. As expectativas são as piores possíveis!!!

      Like

      • Nossa, esse “HallucinaAaAtiOoon” realmente chegou a dor nojo. Olha, a coisa está indo de mal a pior mesmo…

        Fico pensando: já será um disco longo em termos de tempo mesmo – agora fico imaginando escutá-lo mesmo, na íntegra… se estes 30 segundos já não passam, imagino que vai demorar “virtualmente” 3 meses para acabar de ouvir o disco, hahahaha.

        Tento me segurar, mas não estou conseguindo…

        [ ] ‘ s,

        Eduardo.

        Like

  24. Pronto… LoutallicA transformado em MetallicA! Creio que teremos o disco inteiro assim quando sair, hahahaha…

    Claro que a coisa melhorou agora, né… mas esse “I am the table” é muito estranho… não desce, com ou sem contexto, hahaha…

    Fonte:

    [ ] ‘ s,

    Eduardo.

    Like

  25. [ ] ‘ s,

    Eduardo.

    Like

  26. E agora o álbum está disponível na íntegra, via streaming oficial:

    http://www.loureedmetallica.com/listen-to-lulu.php

    E lá vamos nós… vou ouvir e logo, logo, sai um post por aqui com as primeiras impressões!

    [ ] ‘ s,

    Eduardo.

    Like

  27. Galera, este comentário vai encerrar este post em termos de análise do disco “pré-áudio”, visto que ontem fiz a audição completa do disco e, pela internet, conversei com a Suellen que também estava ouvindo o disco.

    Considero que foi um acerto ouvir o disco com outra pessoa, já que a coisa é bastante complexa de se entender e conversamos bastante sobre nossas interpretações do material.

    Só vou adiantar duas coisas:

    – minha percepção inicial foi por água abaixo (ainda bem) e
    – compramos imediatamente o disco após a audição.

    Aguardem pelo post…

    [ ] ‘ s,

    Eduardo.

    Like

    • Ouvi Lulu 2 vezes e a conclusão é que a maneira como voce ouve este disco faz muita diferença.
      Lulu não é um disco pra você ouvir como música de background, enquanto faz outras coisas. E nem é pra ouvir esperando ser um disco do Metallica, procurando elementos Metallicos nele.
      É um disco complexo, necessita de foco e tempo disponível somente pra ele, compreensão das letras. É preciso entrar no clima do álbum…

      Like

Trackbacks

  1. [EXCLUSIVO] Minuto HM nos EUA – gravação do That Metal Show (parte 2/3) « Minuto HM
  2. Dissecando Lulu, de Lou Reed & MetallicA « Minuto HM

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: