S&M²: mais uma aventura do MetallicA com a San Francisco Symphony, 20 anos depois

Iniciando com auto-zoação… ainda que a mais famigerada das discografias deste blog não tenha nem sequer “começado” – abordo, naturalmente, da Discografia MetallicA (que, incrivelmente, já tem DEZ capítulos sem ainda não ter entrado no Kill ‘Em All), nunca é tarde para… esperar mais um pouco.

Assim, enquanto aguardamos nova visita da banda para 4 shows no Brasil em 2020 e… ok, ok… a discografia não “engrena” e chega a 1999 (quem sabe daqui outros 20 anos de hoje), ano que abril trouxe a gravação do S&M (álbum ao vivo da banda com a orquestra “da casa”, a San Francisco Symphony, regida na oportunidade por Michael Kamen, que por sua vez, viria a falecer poucos anos depois, em 2003), vamos trazer aqui algo que estava prometido para acontecer desde o final daquele show (“same time, “next year”, diria Lars ao final de Battery): o S&M².

Sobre o S&M, só quero deixar registrado desde já: eu o curto demais e ele ainda é muito marcante na carreira da banda por diversas razões: além da óbvia aventura com uma orquestra, o show marca a despedida “oficial” de Jason em um álbum da banda (e que foi muito importante na oportunidade, especialmente com backing vocals) e – aqui um grifo e opinião minha – o ÚLTIMO registro no qual considero Lars um baterista da primeira prateleira. Daí para frente, foi (e está) ladeira abaixo, com o lindo kit branco da Tama aposentado. Há de se destacar ainda a boa performance do vocal de Hetfield e uma performance QUASE perfeita nos solos de Kirk. Mais detalhes, só para (bem para) frente.

Como o próprio poster acima já diz, a celebração dos 20 anos daquela noite especial marcará também a abertura do Chase Center. Com direção musical e condução de Michael Tilson Thomas, além de contribuições de Bruce Coughlin, estas novas oportunidades de ver a banda + a orquestra juntas promete deixar mais um marco do metal com a música clássica marcada na – pasmem – DISCOGRAFIA da banda. O anúncio oficial, para quem tiver um tempo (e quem quiser ir direto, vá para o minuto 19 do vídeo, onde o sempre incomodado co aparições politicas / press conferences Hetfield parece estar bem arrependido de não estar usando óculos escuros), foi feito em conjunto com o também time “da casa”, o Golden State Warriors, e o prefeito da cidade, London Breed. No nova venue da Bay Area, são esperados mais de 200 eventos por ano!

https://twitter.com/i/broadcasts/1YqGorAAMpQKv

Inicialmente, era prevista uma apresentação única, no dia 06/set/2019. Jogo de marketing ou não, com a pré-venda e vendas esgotando-se instantaneamente (algo mais que óbvio), a banda anunciou um segundo show para dois dias depois. Só que fez isso de maneira sensacional: apenas para membros Legacy ou Fifth Members do fã-clube (exceção contratual econômica para torcedores do Golden State Warriors que compram o passe anual e que, não necessariamente, são fãs da banda, é claro), sendo que metade da carga será dada a quem é Legacy e a outra para quem é Fifth Member, com um sorteio final cheio de regras e nuances específicas das vagas para que, finalmente, se tenha acesso. Uma delas, super difícil de entender como se previnem fraudes, é esta: “All tickets will be delivered digitally and are not transferable. Tickets will only be delivered to your mobile device, so selling your ticket will require you to sell your phone too!

A banda também anunciou a aparição em aproximadamente 3000 salas de cinema pelo mundo (Brasil na lista) em 09/out/2019. Não ficou exatamente claro, entretanto, se passará o show do “dia público” ou será algo combinado com a segunda noite, ou alguma outra combinação “inesperada”. Não analisei de outras cidades, mas para quem for de São Paulo, há opções para 10 e 11/out/2019, também. Mais informações, claro, sempre na agenda do blog.

Sobre essa nova “aventura” não-inédita da banda, o que é esperado: pelo que Hetfield falou, haverá mais músicos ainda no palco (no qual ele faz questão de brincar que são os REAIS MÚSICOS), para criar mais dinâmicas, climas, super opportunity, very proud, enfim, bla-bla-bla.

E o que dá para praticamente afirmar? Que deveremos ter um certo core de músicas de sempre no primeiro show, como Enter Sandman, Sad But True, Master Of Puppets, One, Nothing Else Matters… ou seja, todas que já fizeram parte também da edição de 1999. Duvido – e muito – que alguma destas fique de fora – e ficaria extremamente feliz se, exceção a Master, elas ficassem. Aliás, pode ser inclusive que tenhamos praticamente o mesmo repertório, e é praticamente certo que teremos algumas das coisas que vieram do St. Anger (talvez, inclusive, sinto muito) para frente. Já para o segundo show, apenas com (praticamente) os fãs mais ardorosos, quem sabe tenhamos surpresas???

Deixo o teclado físico ou da tela para vocês agora…

[ ] ‘ s,

Eduardo.



Categorias:Agenda do Patrãozinho, Curiosidades, Discografias, Entrevistas, Músicas, MetallicA, Setlists

Tags:

10 respostas

  1. O que eu acho mais legal é que a banda tem , ao que parece, um apreço pelo momento que passaram neste projeto sinfônico e querem celebrar a data. Nem sempre projetos que saem do padrão de uma banda são motivo de reconhecimento pela própria banda, ainda que financeiramente bem sucedidos.
    Em relação à discografia, francamente……me poupe, ao menos….

    Alexandre

    Curtir

  2. Pré-venda de merchan para o show especial: https://www.metallica.com/store/sm2/

    O “fantástico” é ver onde nosso país está chegando: “Due to customs restrictions, we cannot accept or ship orders to Russia or Brazil.”.

    É isso aí… chegamos a isso.

    [ ] ‘ s,

    Eduardo.

    Curtir

  3. Banda provavelmente se preparando ao tocar esta música em show “normal”:

    Ahhhh, Lars…. cadê a Tama branca?

    [ ] ‘ s,

    Eduardo.

    Curtir

  4. Trailer do evento / show, que acaba confirmando que haverá uma boa parte das músicas tocadas há 20 anos atrás + algumas novas, que imagino serem de álbuns que saíram realmente depois, e não de coisa antiga (meu palpite), focando no Hardwired… To Self-Destruct (também meu palpite):

    Sobre o cinema, alguém precisa avisar a banda que haverá datas depois, pelo menos em São Paulo, há uma (dia 11).

    [ ] ‘ s,

    Eduardo.

    Curtir

  5. Setlist da primeira noite abaixo. O core está (quase) todo aí, como esperado, mas também salvo engano todos os álbuns foram representados – sim, até o St Anger… e Sad But True de fora, para minha surpresa, mas mais que entende-se.

    Há outras surpresas e covers inesperados, que ressaltam a curiosidade, como Iron Foundry. Há também claramente a homenagem a Cliff com (Anesthesia) Pulling Teeth, sempre bem-vinda.

    Com calma, vou colocando aqui impressões iniciais.

    https://www.setlist.fm/setlist/metallica/2019/chase-center-san-francisco-ca-539f439d.html

    [ ] ‘ s,

    Eduardo.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: