Cobertura Minuto HM – MetallicA (e Raven) em SP – parte 2

Metallica_SP-Anúncio de Segurança140322.indd

Imaginem por um momento que uma grande banda de heavy metal – grande não, uma daquelas autoridades – deixará os fãs terem o prazer de escolher as músicas do show no seu país e, com sorte, na sua cidade.

E melhor ainda: a banda disponibilizaria um fácil e intuitivo canal para esta votação com TODO o seu catálogo de músicas disponíveis para escolha, inclusive músicas aquelas músicas mais b-sides possíveis, ou aquelas “abandonadas” nos shows ao-vivo… ou ainda aquelas nunca executadas (!)… ou mesmo os famosos covers que ela já fez. Ou ainda aquelas que causam estranheza até para os fãs mais presentes, pois são realmente desconhecidas por fazerem parte de versões deluxe, bônus, etc.

Parece um sonho, não é mesmo? Pois é isso que Lars decidiu fazer com o MetallicA, em uma tour devidamente nomeada “MetallicA By Request“. A notícia deste novo giro foi até um alívio, já que a banda ficou muito focada nos últimos tempos com todo o lançamento do filme “Through The Never”, que acompanhamos também desde as primeiras notícias até a chegada nas salas de cinema do Brasil, chegando até a saturar os fãs.

É costumeiro na história da banda estas tours entresafras, que são chamadas “Escape From The Studio” + o ano. O MetallicA está sim novamente em estúdio, mas conforme as últimas notícias da banda, ainda sem qualquer expectativa de lançamento de seu próximo álbum de inéditas (apenas os velhos “James tem ‘trocentos’ riffs, Kirk tem mais uns duzentos”).

Esta especial mini-tour passará pela América do Sul, Europa e terminará com uma data na linda Montreal (Canadá), totalizando 25 shows, com a data de hoje em nosso país. Desde o início das escolhas, acompanhamos em detalhes neste post não somente como a votação acontecia na terra da garoa, como também invejamos na Finlândia. E foi lá que discutimos tudo que tínhamos que discutir sobre a metodologia e os resultados finais que, infelizmente, não agradaram aos fãs mais “dedicados” – eu me ponho nesta turma e o motivo é claro: perdeu-se talvez a única oportunidade de conferirmos coisas raríssimas da banda – mas confirmou de vez que temos de dar o braço a torcer para o Lars e tantos outros que escolhem as mesmas músicas em tours de qualquer artista / banda: o povo quer mesmo é mais… do mesmo.

Setlist que será executado, seguido do percentual e número absoluto de votos que cada faixa teve:

  • Master of Puppets 72% 12,374
  • One 68% 11,695
  • Enter Sandman 63% 10,929
  • Fade to Black 61% 10,495
  • Seek and Destroy 59% 10,175
  • Sad But True 58% 9,991
  • Nothing Else Matters 55% 9,503
  • The Unforgiven 53% 9,112
  • Fuel 48% 8,313
  • For Whom the Bell Tolls 48% 8,201
  • Battery 43% 7,349
  • Whiskey in the Jar 42% 7,253
  • Creeping Death 40% 6,931
  • Welcome Home (Sanitarium) 40% 6,903
  • …And Justice for All 39% 6,784
  • Wherever I May Roam 37% 6,320
  • Ride the Lightning 35% 6,016 (*)
  • “New Song” – provavelmente (The) Lords Of Summer

(*) A banda está trazendo ainda mais uma novidade: a possibilidade de um throwdown / “repescagem” para as primeiras eliminadas x a última da votação. Ou seja, no caso de São Paulo, Ride The Lightning foi a última classificada, com The Day That Never Comes com 31% / 5.400 votos e The Memory Remains com 31% / 5.291 votos.

Esta “escolha do dia” funciona assim: os telões mostrarão, provavelmente, as 3 músicas para a galera enviar um SMS e optar por uma delas – ou seja, a tal “repescagem”. A tendência, se houver consistência, é que Ride The Lightning novamente vença, mas também é de se observar que nem todos que tinham ingresso puderam votar (seja por compra não online, seja em situações de ingressos “repassados”, ou pela galera, agora com escopo reduzido, mudar de idea). Ou, claro, falando de escopo reduzido, alguém preferir uma das outras à Ride The Lightning. Vamos ver como será no caso do único show brasileiro desta tour.

Bom, agora é hora de se preparar para ir ao Morumbi. Espero voltar com mais uma parte desta cobertura pré-show diretamente de lá, caso a rede de dados funcione e São Pedro permita… do contrário, as atualizações podem acontecer neste mesmo post ou via comentários. E depois, deveremos ter a tradicional resenha do show.

Hetfield, respondendo suas 3 perguntas básicas antes da hora: we are alive, it feels awesome and we’re going to show you…

[ ] ‘ s,

Eduardo.



Categories: Agenda do Patrãozinho, Cada show é um show..., Curiosidades, Músicas, MetallicA, Raven, Setlists

2 replies

  1. Muito bem bolado o cartaz, trazendo informações atreladas às canções da banda, mas o tal “Wherever I May Roam” é uma brincadeira por aí.Andar 4 km do Metrô, informações pouco precisas sobre estacionamento ou demais meios de transporte, enfim , estou cada vez mais parecendo um velho ranzinza, mas com a chegada de dois eventos do porte da copa do mundo e da olimpíada, ainda assim, ninguém aprende como tem de fazer as coisas por aqui ?
    E estamos falando de São Paulo, onde existe a população mais atenta ( e provavelmente a mais exigente) a detalhes como esse que fazem tanta importância. E mais, não é barato pagar por isso …
    Desculpem o desabafo….

    Alexandre

    Like

    • B-Side, perfeita sua observação quanto ao item “Wherever I May Roam”. Novamente, todos os conhecidos problemas se repetiram. Um trânsito mais que infernal para quem tentava chegar ao estádio com antecedência de 2 horas para frente. A galera passava comentando isso.

      E a saída, então, foi mais um show de vergonha deste país incapaz de ser organizado e honesto. Desculpe se isso soa forte para alguns, mas quem estava lá na saída dependendo de condução ou taxi, vai concordar comigo. Marcus Batera e eu estávamos a cerca de 5 kms do estádio (morro para cima e para baixo toda hora), e sentido bairro (ou seja, no sentido onde o fluxo era infinitamente menor). Taxi? Paramos diversos, cada um com uma desculpa ou tentando o famoso “pacote”. A classe infelizmente sofre com este monte de “profissionais” aproveitadores.

      Após muita chuva na cabeça, conseguimos um honesto, muito bonzinho, que criticou duramente a classe dele quando comentamos o assunto com ele. Mas andamos menos cerca de 1,5 kms com ele. É de se ter nojo!

      Não peça desculpas, meu amigo. Quem tem que pedir desculpa nunca pedirá. E o pior? Sabemos que não tem jeito, mesmo – quem quiser, que acredite, pois eu não consigo de forma alguma.

      [ ] ‘ s,

      Eduardo.

      Like

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: