Discografia Scorpions – [CAPÍTULO 20]

{ Acoustica – álbum acústico ao vivo: 2001 }

Menos de um ano após a publicação do ‘erudito’ Moment of Glory os alemães de Hanover se mostram uma vez mais dispostos a fazer experimentações diversas sobre suas músicas, integrantes e gêneros.

Gravado nos dias 8, 9 e 10 de Fevereiro de 2001 no Convento do Beato em Lisboa, Portugal, o primeiro álbum acústico dos SCORPIONS, o Acoustica, contou com os seguintes integrantes e colaboradores:

Lineup:

Klaus Meine: Vocal

Matthias Jabs: Guitarra, backing vocal

Rudolph Schenker: Guitarra-base, backing vocal

Ralph Rieckermann: Baixo, backing vocal

James Kottak: Bateria, percussão

Christian Kolonovits: Teclado

Johan Daansen: Violão acústico

Mario Argandona: Percussão

Ariana Arcu: Violoncelo

Tracklist:

Faixa Título Compositor Duração
1 The Zoo Meine, Schenker 5:49
2 Always Somewhere Meine, Schenker 4:10
3 Life Is Too Short Meine, Schenker 5:18
4 Holiday Meine, Schenker 5:55
5 You and I Meine, Schenker 5:19
6 When Love Kills Love Meine, Schenker 4:53
7 Dust in the Wind Livgren 3:49
8 Send Me an Angel Meine, Schenker 5:24
9 Catch Your Train Meine, Schenker 3:36
10 I Wanted to Cry Meine 3:47
11 Wind of Change Meine 5:34
12 Love of My Life Mercury 2:26
13 Drive Ocasek 4:00
14 Still Loving You Meine, Schenker 5:45
15 Hurricane 2001 Meine, Rarebell, Schenker 4:35

Além do suporte dos backing vocals, percussionista e guitarrista extra, Chirstian Kolonovits ficou a cargo dos teclados. Mas ele também foi peça fundamental por seus arranjos para a versão acústicas dos sucessos tocados ao vivo pelos alemães.

Adicionalmente aos títulos conhecidos, estão presentes no álbum quatro novas faixas: Life is Too Short; Back to You; I Wanted to Cry e When Love Kills Love sendo também todas elas sendo lançadas como singles, à época. A música Back to You não foi incluída na versão em compact disc (CD) sendo apresentada apenas no formato DVD.

O trabalho também contém versões acústicas de Drive (The Cars), Dust In the Wind (Kansas) e o hit Love of My Life (Queen).

Tour:

A turnê do disco Acoustica se conteve às fronteiras do continente europeu, exceto por Índia, Malásia e Indonésia, perdurando até meados de Setembro de 2001. O solo pátrio foi o mais bem servido de apresentações: 08 delas, distribuídas durante o mesmo ano.

Avaliação:

Quero mais rock! Nossos protagonistas alemães estavam no timing adequado ao escolherem fazer seu disco acústico. A seleção da músicas conseguiu trazer sucessos e qualidade, os quais foram também somados às novas faixas.

Porém, para quem já vinha de um trabalho com a Filarmônica de Berlim – experimentando novas idéias – esperava-se no mínimo um trabalho com bastante do rock’n roll característico da banda. O que não há. E isto sim pode chatear os desapontar os fãs que aguardavam um direcionamento assim.

Mas ainda assim atribuo o aspecto mais fraco e realmente sofrível do disco a aproximação do “ritmo latino” em diversos arranjos e até mesmo algumas músicas. Isso definitivamente não é SCORPIONS e não é o que eles sabem fazer de melhor, tanto que o resultado não é dos melhores. Ao assistir ao DVD do Acoustica, sempre me vem à mente os shows Pavarotti & Friends onde expoentes da atualidade pop cantavam e tocavam com o tenor. Quase sempre, o próprio tenor ficava deslocado na melodia, e mais feio ainda, no balanço ao acompanhar seus amigos no palco. Os alemães fizeram algo parecido aqui. Saiam daí, essa não é a praia de vocês, herren!

Premiações:

Assim como os fãs, a crítica também não se apaixonou pelo Acoustica. O álbum falhou em levar a banda mais uma vez à posição iluminada e destacada da esfera mundial da música, como já o vinham fazendo.

Ainda assim, o disco foi ouro nos Estados Unidos e Canadá e Platina na Alemanha, alcançando a 35a. posição do chart na terra do tio Sam e a 13a. em sua terra natal.

Para seu iPod:

Avaliação do álbum: 3 estrelas ( * * * )

Ouça: Life is Too Short; You and I; Love of My Live; Drive.

Countdown:

Faltam 21 dias para o último show da carreira dos SCORPIONS em São Paulo, pela turnê Get Your Sting & Blackout World Tour (2010).

Nossos protagonistas de longa data se apresentam dia 11/Setembro em João Pessoa, para depois uma passagem rápida por terras argentinas e chilenas voltando finalmente ao Brasil para shows dia 18 e 19 de Setembro em São Paulo. Brasília e São Luiz encerram a passagem deles por aqui.

Até o momento, a previsão é de que a vida musical dos SCORPIONS se encerre no mesmo local onde começou, em Hanover, Alemanha em 29/Novembro deste ano.

Felizmente, a publicação de posts endereçará TODOS os álbuns destes alemães antes do último show em São Paulo, dia 19/Setembro.

A discografia se encerrará no Capítulo 23 aqui no Minuto HM, sendo posteriormente servida com um interessante Apêndice.

[ ]’s

Julio



Categorias:Agenda do Patrãozinho, Artistas, Covers / Tributos, Curiosidades, Discografias, Queen, Resenhas, Scorpions

5 respostas

  1. Julião, mais um excelente post…

    Eu tenho o disco em questão e particularmente gosto dele de uma maneira geral. Talvez também por não conhecer tanto o restante do trabalho da banda, onde, pelos posts, tenho certeza que me surpreenderia com trabalhos de maior qualidade.

    Assim, concordo com sua avaliação em termos de 3 estrelas.

    Quanto ao countdown, como você sabe, estarei lá no dia 19/setembro/2010 – pena que não estaremos no mesmo setor. Mas vamos tentar nos encontrar no dia para registrarmos aqui no Minuto HM uma foto nossa juntos, selando a discografia nesta provável última oportunidade que teremos de ver a banda.

    E muito legal que teremos toda a discografia publicada por aqui antes dos shows – timing perfeito, assim como o trabalho em geral. Parabéns!

    [ ] ‘ s,

    Eduardo.

    Curtir

  2. O post segue a excelência dos demais, mais uma vez agregando conhecimento sobre a banda…
    Quanto ao álbum, não posso dizer o mesmo…A versão de holiday, cuja a busca pelos elementos latinos foi bem observada no post,é talvez o que me deixou menos feliz.
    Algumas baladas ficaram boas e só, infelizmente não se trata de um acústico que me agrada, e eu não tenho nenhum preconceito quanto ao formato, inclusive gosto muito do unplugged do KISS e do Starkers in Tokyo, do Whitesnake.
    Como sempre , Parabéns , Julio!

    Alexandre Bside

    Curtir

  3. esse disco foi um dos pilares para me tornar grande fã deles

    Curtir

Deixe uma resposta para Alexandre Bside Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: