Cobertura Minuto HM – Iron Maiden em Belém – Parque de Exposições – 01/abril/2011 – resenha

Assim que foi confirmado que o Iron Maiden se apresentaria em Belém, comecei a me planejar pra assistir o show por lá. Tenho família em Belém. Seria uma ótima oportunidade para visitar pessoas queridas que não via há um certo tempo e de quebra ainda veria um show do Iron em uma cidade que eles nunca tocaram e onde o público estaria completamente enlouquecido e ansioso para ver a banda.

Ingresso Front Stage comprado, passagens aéreas, idem, e férias marcadas. Dia 28/03, segunda-feira, segui para Belém – dia para o qual foi remarcado o show no Rio após o incidente no HSBC Arena – o que infelizmente fez com que eu não pudesse comparecer a um show do Iron no Rio, pela primeira vez, em 15 anos!! Mas não vem ao caso falar sobre isso aqui…

Cheguei em Belém e a primeira providência foi ir à central da Bis Entretenimento, produtora do evento, retirar meu ingresso. Quanto menos pendência para o dia do show, melhor!
Durante toda semana o jornal local da TV Liberal, afiliada da Rede Globo em Belém, exibiu reportagens relacionadas ao Iron Maiden. Matérias mostrando a expectativa dos fãs, quartos do hotel onde a banda se hospedaria, camisa do Iron Maiden em falta na cidade, chegada do Ed Force One no aeroporto, fãs que já dormiam na fila aguardando a abertura dos portões, tudo contribuindo pra aumentar a minha ansiedade para o grande dia!

E finalmente chegou a sexta-feira, 1º de abril, com ingressos esgotados!! Fui para a casa da minha tia que fica a menos de 2 quarteirões do Parque de Exposições, mais conhecido como Cidade Folia. A abertura dos portões estava marcada para as 17h, 19h banda de abertura Stress e 21h, Iron Maiden. Como eu estava muitíssimo perto do local do show – nem com transporte eu precisaria me preocupar – após o almoço resolvi tirar um cochilo pra estar 100% para logo mais. Mas quem disse que eu consegui? Da casa da minha tia dava pra ouvir a agitação da galera na fila, gritos de “Maiden, Maiden, Maiden”, carros passando pela rua tocando Iron Maiden em um volume altíssimo. Dava pra ouvir até o teste  de som na arena do show!

Pausa para a primeira, e talvez única falha, da Bis Entretenimento: foi anunciado que todos que tivessem adquirido ingresso Front Stage estariam concorrendo a um encontro com a banda – promoção “Você Front a Front com Iron Maiden” – e o resultado seria anunciado horas antes do show. Nunca tive sorte com sorteios mas ainda assim, quando foi divulgado que o ingresso 1441 havia sido o felizardo fui imediatamente conferir se finalmente minha grande chance tinha chegado. Nada feito 😦

Mas tudo bem, não queria mesmo, rs.

Pouco depois a Bis divulgou qual o critério utilizado para o sorteio. Eles utilizaram a hora em que o Ed Force One pousou em Belém, dado fornecido pela Infraero, para escolher o ingresso premiado. Ou seja, 14:41.
Alô Bis!! Meu ingresso era o 2759!! Jamais eu teria chance!
Mandei reply no Twitter e email para a produtora contestando isso porém sem qualquer retorno.

Voltando ao que interessa, por volta de 15h, veio a tradicional chuva de todas as tardes em Belém. Só que neste dia ela veio em forma de dilúvio!! Parecia que não ia parar nunca mais! Meu primo, que ia de pista normal, resolveu encarar a tempestade e seguiu para o Cidade Folia. Chegando lá ele me ligou e disse que a fila estava quilométrica! Contive minha afobação e resolvi aguardar.

Fim do temporal, 18:30 saí de casa e já no caminho comprei minha lindíssima camisa de The Trooper com a bandeira  do Pará 😀
Momento “reclamação de mulherzinha”:
Olá senhores que confeccionam camisas de banda! Por que vocês nunca produzem Baby-Look dessas camisetas mais iradas? Mesmo o tamanho P ainda fica grande, sabiam? Humpf!

The Trooper com a bandeira do Pará

The Trooper com a bandeira do Pará

 

Cheguei ao Cidade Folia e realmente havia uma fila quilométrica pra entrar. Porém a entrada do Front Stage era por outro lugar. Maravilha!!
Sem brincadeira, 10 segundos depois de chegar, eu ja estava na pista vip!!  A única fila era para quem tinha que passar pelo Juizado de Menores, que conferia um a um se os menores estavam acompanhados de seus responsáveis (!!)
A pista vip do Cidade Folia é algo que faz valer cada centavo investido no caríssimo ingresso. Além de ficar bem próximo ao palco, havia o já aguardado buffet e um lounge com pufes e mesinhas para as pessoas relaxarem antes do show começar. E apesar dos ingressos esgotados, dava pra circular facilmente pela área. Isso é #ingressojusto.

Por volta de 19h, o Stress entrou no palco trazendo uma gigante bandeira do Pará e anunciando que naquele dia, além de Belém ser a capital mundial do Heavy Metal, o show estaria sendo gravado para ser utilizado no documentário Brasil Heavy Metal. Já tinha ouvido falar sobre a banda porem nunca tinha escutado alguma música deles. É um heavy metal cantando em português, com um vocal que em alguns momentos, lembra Rob Halford. No mínimo bastante curioso. Eu achei bem divertido!  E a recepção do público foi ótima! Muitos sabiam cantar as músicas da banda! Stress saiu aclamado do palco!

Agora vem aquele momento onde a ansiedade atinge o grau máximo! Os últimos ajustes nos instrumentos, no palco e na luz são feitos. Conversando com algumas pessoas que estavam ali na pista vip, muitos fãs já tinham visto um show do Iron em alguma outra cidade do Brasil. O mais interessante foi um menino que disse que não entendia quando as pessoas falavam que estavam esperando por aquele show por toda a vida porque pra ele era tão surreal e impossível o Iron Maiden vir tocar em Belém que ele nunca nem chegou a esperar por isso!

As 21:10 começa Doctor Doctor do UFO, com a platéia toda vibrando. É impressionante como até em uma cidade que nunca teve um show do Iron Maiden as pessoas sabem que o show vai começar logo após essa música. Em seguida, as luzes se apagam, Satelite 15… no telão, fundo do palco coberto de estrelas, a banda entra e “I’m stranded in space, I’m lost without trace,I haven’t a chance of getting away…”. Neste momento eu entrei num transe que é até difícil explicar. Imediatamente me veio à mente aquele fatídico e traumatizante não-show do Rio de Janeiro, no HSBC Arena, onde Bruce parou de cantar na metade de The Final Frontier. Até então não tinha ouvido The Final Frontier novamente. Tinha escutado outras músicas do Iron mas não esta. Era doloroso demais lembrar daquele domingo. Eu fiquei parada, em frente ao palco, imóvel, sem conseguir cantar, torcendo pra desta vez a música terminar bem. Quando acabou, uma sensação de alívio incrível, não tive como resisitir e comecei a chorar…

Dessa vez deu tudo certo!

Só quando começou El Dorado que eu realmente entrei no clima do show. Em seguida, 2 Minutes to Midnight, as pessoas cantavam tão alto que até abafava um pouco a voz do Bruce. Cada vez que Bruce gritava “Scream for me Beleime”, a platéia delirava!!

The Talisman, hora de recuperar o fôlego, buscar uma bebida. Não é das que mais gosto.

Primeira pausa e Bruce, conversando com a platéia, diz que naquele dia não estava se sentindo muito bem porque havia sido “intoxicado” com capirinhas mas que estava tudo bem, ele iria sobreviver. “Drink brazilian beer! Is so much better!”

E aí vem Coming Home, minha música preferida nessa tourne. Não sabia se cantava ou chorava…. Acho que irei sempre me emocionar cada vez que ouvir esta música.

Dance Of Death nunca foi uma das minhas preferidas mas a maneira como ela tem sido executada nesta tour tem um feeling tão legal que me faz gostar dela cada vez mais!

The Trooper é sempre aquele momento apoteótico! Eu pulando e cantando com a minha linda bandeira de The Trooper 😀 Como eu gosto dessa parte do show!!!

The Wicker Man já está virando clássico. Muito legal como os fãs vibram com esta música.

Blood Brothers é outra que fica muito melhor ao vivo! E como tem sempre sido feito nos outros shows desta tourne, foi dedicada aos fãs do Japão, Nova Zelândia, Egito e todos os nossos blood brothers.

Em seguida, When The Wild Wind Blows. Particularmente não é das minhas favoritas, apesar de ser uma boa música. E ao vivo, acho que dá uma esfriada no show.

"Getting ready when the wild wind blows..."

The Evil That Man Do, outro momento muito comemorado pelos fãs. Mas é em Fear Of The Dark mesmo que a platéia pega fogo! Por mais que eu considere esta uma música batida, que poderia ser substituída por outros clássicos que ficaram de fora do set, impossível ignorar quando ela é executada ao vivo.

Aí vem o ponto alto do show, Iron Maiden, a música,  com Eddie entrando no palco. Via pessoas ao meu lado olhando para o palco incrédulas, com lágrimas nos olhos, celebrando a presença do Eddie como se ele fosse um integrante da banda (talvez para os fãs, ele realmente seja…). E os versos “Oh Well, wherever, Wherever you are. Iron Maiden’s gonna get you, No matter how far” pareciam ter um significado muito mais forte naquele momento em Belém. Sensacional!!!!

Pausa pro bis e a banda volta com “Woe to you, Oh Earth and Sea…” anunciando The Number Of The Beast, do disco que fez com que eu virasse fã de Iron Maiden. Sempre um momento muito especial pra mim.

Em seguida a épica Hallowed Be Thy Name, executada com perfeição pela banda.

Bruce apresenta a banda, como se ninguem já não os conhecesse, e Running Free entra pra encerrar o show!

“Scream for me Beleeeeime! Scream for me Beleeime! Thank you… Thank you… From meeee… and from the boys!”

Chuva de palhetas, baquetas, munhequeiras… Pessoas chorando, comemorando, se abraçando! Alway Look On The Bright Side Of Life… Não existe melhor música pós-show do que esta.

Alguns podem reclamar que o Iron Maiden nunca muda o setlist, os shows são sempre iguais… Bom, nesta tour, vi dois shows do Iron aqui no Brasil.

Eles mudaram o set list? É claro que não!!

Bruce cantou incrivelmente e correu enlouquecido pelo palco? Sim, mesmo não estando no seu melhor dia.

Chefe Steve Harris cantou todas as músicas em off e apontou seu baixo para a platéia como uma metralhadora? Óbvio!!!

Janick além de guitarrista é um empolgado dançarino? SIM! Adoro dançar com o Janick 🙂

Adrian Smith e Dave Murray fazem com que tocar guitarra e riffs tão marcantes pareça ser a coisa mais fácil do mundo? Certamente! Parece que eles estão sentados na poltrona, em frente a lareira, tomando chá, tamanha a tranquilidade que demonstram.

Nicko consegue ser o cara mais simpático e gente boa da banda mesmo escondido atrás do seu gigante kit de bateria? Sem dúvidas!

O que quero dizer é que apesar disso tudo, os shows são diferentes sim! O que eu vi em Belém foi uma noite histórica! Fãs emocionados, não acreditando no momento que estavam vivendo. Não tem como não se deixar contagiar!

A Bis Entretenimento está de parabéns pela ótima organização do evento (pelo menos essa foi a impressão que eu tive na Front Stage) e o público paraense está de parabéns pela civilidade e participação empolgada no show. Fico muito feliz de fazer parte deste dia tão importante para os headbangers de Belém.

Abaixo, alguns vídeos do show do Iron:

“Drink brazilian beer! Is so much better!”

COMING HOME

DANCE OF DEATH

THE TROOPER

EDDIE E IRON MAIDEN

Up the Irons!

Su



Categories: Bandas Independentes, Cada show é um show..., Curiosidades, Iron Maiden, Resenhas, Setlists, UFO

39 replies

  1. Su, olha o RT do @BlogFlight666 – parabéns!

    Beijos,

    Eduardo.

    Like

  2. Sua descrição foi 10, agora faz uma semana desse show histórico, e queria estar nele de novo, num misto de incredulidade e felicidade extrema ao ouvir the trooper e fear of the dark… por** fod**tico!

    Like

  3. Suellen … Parabéns pelo post!!!

    Like

  4. Su, adorei ler sua saga pra vir a Belem e ver o show do NOSSO IRON MAIDEN, show eocionante, épico e histórico pra nós paraenses!! E fiquei mais feliz por vc ter elegido um vídeo meu do show, DANCE OF DEATH, uma das minhas preferidas, para exibir aki no minutoHM. Compartilhar esses momentos é muito bom e cada vez que comento com alguém sobre o show… me empolgo e me emociono denovo. Foi uma saga pra mim tbm no dia desse show, e em breve contarei aki. Grande abraço. UP THE IRONS!!!

    Like

  5. Eu nunca fui muito fã do Iron, conheço e curto as mais famosas e só.

    Mas depois de quinze dias de cobertura do Minuto HM sobre praticamente todos os shows do Maiden no Brasil, com a já tradicional excelência, posso dizer que estou redondamente arrependido de não ter presenciado junto com os amigos do Minuto HM!

    Ótimo post!!

    [ ]’s
    Julio

    Like

    • Julião, sei que sou suspeito para caramba para dizer, mas realmente pode se arrepender, no bom sentido, claro. O show em São Paulo, creio que o melhor e mais completo de toda a tour no país, pelo que li e presenciei por aí, foi demais. E este de Belém tem um sabor especial, afinal, a banda se apresentou pela primeira vez por lá, algo que apenas figurava nos sonhos dos headbangers da cidade e região.

      Quem sabe não estaremos juntos em uma próxima oportunidade (que espero que tenha, claro)? Será um prazer e uma honra tê-lo por perto em um show do Iron Maiden, cara!

      Muito obrigado pelos elogios da cobertura e ao post da Suellen, que merece ser elogiado mesmo!

      [ ] ‘ s,

      Eduardo.

      Like

  6. Excelente cobertura, Suellen, que bom que tudo deu certo em Belém, na verdade parece que desta vez quem foi de vip foi realmente contemplado com um atendimento que o preço absurdo do ingresso exige. Gosto muito de ler suas resenhas , seu tom pessoal é sempre muito divertido e leve de acompanhar. Achei hilário o engraçado comentário de Dickinson a respeito da caipirinha e que ele não gosta da cerveja Heinekken, tudo isso antes da já clássica Coming Home.
    Até a próximo post!!!

    Alexandre Bside

    Like

    • Valeu Alexandre, muitissimo obrigada!

      Bruce zoando a Heineken foi engraçado mesmo! O pior é que além da Heineken ser uma das patrocinadoras, ainda tinha um zepelin deles sobrevoando o Cidade Folia o tempo inteiro hehehe

      A área vip era sensacional! Eu não cheguei a ir no buffet, até porque nestes momentos de ansiedade eu não consigo nem comer, só dei uma passada pra dar uma olhada e pelo que vi a coisa era bem servida! Alem de frios e sanduiches, tinha até jantar! Vi gente comendo strogonoff!!!
      E o buffet continuou rolando mesmo depois do show!

      Like

      • Dei risada quando vi o vídeo do Bruce zoando a cerveja gringa e elogiando a nossa.

        Muito legal esse lance do buffet, muito bom mesmo, afinal, o que pagamos dava para fazer isso com whiskey 12 anos até, hehehe… e muito legal ter jantar e continuar depois do show. Parabéns aos organizadores!

        [ ] ‘ s,

        Eduardo.

        Like

  7. Bom, Su, falamos bastante nestes últimos dias, estiver juntos em 1 show e, bem, estivemos na decepcionante e ridícula noite de domingo no Rio.

    Fico muito feliz em ler o post (como o pessoal já disse acima, excelente, e concordo ainda com o B-Side – este tom pessoal é algo que valorizo, afinal, aqui é um blog, no final das contas) e ver sua alegria e felicidade, justíssimas, com um show que foi um tremendo #win.

    Com exceção a promoção “Você Front a Front com o Iron Maiden”, feita por alguém que no mínimo achou a ideia legal sem refletir um minuto (hm) nela, e pelo que li a rodo desde o anúncio da banda em Belém, acho que a BIS e todos os parceiros devem mesmo estar de parabéns.

    Me lembro de apenas uma pista VIP que achei sensacional, que foi a do Maquinaria Festival, com Faith No More sendo headliner, onde havia um ótimo espaço com redes, quiosques com internet, música, video-game, sofás, cadeiras, mesas, restaurante grande, banheiros a vontade, revistas especializadas, etc., mas a ideia do buffett é ótima e valoriza um pouco os altos preços que o fã paga, sem tirar muito da margem de lucro deles. Portanto, parabéns!

    Sobre o show em si, e assim como em Curitiba, creio que o Bruce estava se poupando um pouco no meio desta maratona, afinal, as músicas exigem demais dele e a gravação do DVD na Argentina e Chile estavam “batendo na porta”. Mas tenho certeza que, mesmo com isso, o que você viu ainda “sobra”…

    Seu post é excelente, sua análise idem, e incrivelmente seu gosto pelas músicas e os momentos que a coisa dá uma esfriada, etc., também incrivelmente igual ao meu.

    Parabéns pelo seu segundo post aqui no Minuto HM, que anda sendo muito lido por aí, por sinal.

    Obs.: bela camiseta comprada! Guarde-a com carinho mesmo.

    O espaço aqui está sempre aberto a você.

    Beijos,

    Eduardo.

    Like

    • Eduardo, primeiro de tudo, muito obrigada pelo espaço. Escrever este texto fez com que eu “vivenciasse” novamente aquele dia e, obviamente, me emocionei.
      Obrigada tambem por divulgar o link no Blog Flight666 e no Whiplash. Sensacional!!!

      A promoção do Front a Front foi um #fail mesmo. E o pior é o que o dono do ingresso premiado nem apareceu!!!

      Dos shows que eu vi, achei o de Belem mais emocionante, pelo ineditismo do fato e tambem por conta de toda a apreensão que eu estava sentindo desde aquele domingo no Rio. Acho que perdi uns 3kg de suor e lágrimas em Belem.
      E a galera festejando o show, foi comovente e contagiante. Todo mundo queria uma lembrança daquele dia. Quando acabou o fui pra frente do palco procurar alguma palheta perdida no chão, tinha um menino pedindo pro roadie um pedaço do tapete do palco heheheh
      Mas confesso que achei o show de São Paulo um pouco melhor. Não só pela perfomance da banda mas também por ser o primeiro, tudo novidade, ansiedade máxima (tive até uma leve febre antes de entrar no Morumbi, sem exageros!!) E em SP tivemos o Eddie gigante, né? Lindão demais!!!

      Acho que os fãs do Iron tem uma conexão mental, por isso temos o gosto parecido hehehe

      A camisa do The Trooper é sensacional mesmo. Era essa que estava em falta na cidade na semana do show. Aliás, comprei 5 camisas do Iron Maiden nesses dias. 3 em São Paulo e 2 em Belem. Acho que me descontrolei 🙂

      Bjos,

      Su

      Like

      • Suellen, queria deixar registrado para você e para qualquer pessoa que esteja lendo que o espaço está sempre aberto, ainda mais se tratando deste tipo de post. Foi um prazer para mim também ajudar com a divulgação, afinal, o material merece!

        O show de São Paulo foi o melhor para mim também e vou fazer aqui um comentário: acho que muito dele será usado no próximo material ao-vivo da banda, que deve sair ainda este ano, pelo que andei lendo por aí. Caveman inclusive já foi embora com as coisas embaixo do braço, claro que ainda precisará trabalhar com o dono do brinquedo, Harris.

        Não me surpreenderá se eles adotarem São Paulo, Buenos Aires e Santiago, apesar de desde o começo apenas as duas últimas terem sido citadas. Veremos, pelo menos SP deverá figurar em extras – assim como aquele domingo carioca deverá no mínimo ser mencionado de alguma forma…

        Já as camisetas também rolou tal descontrole, comprei 4, sendo 3 para mim (a do avião, a da capa do disco e aquela temática da praia) e mais a feminina que dei para minha irmã.

        Beijos,

        Eduardo.

        Like

        • Lembro quando o Bruce comentou que o show de SP estava sendo gravado. Tomara mesmo que tenha alguma coisa daquele dia no DVD.

          O publico de São Paulo, sempre tão dedicado a banda, merece.

          Like

          • É verdade, São Paulo merece mesmo. Bruce já percebeu isso em 1999, quando lançou o “Scream for me Brazil”, gravado no Via Funchal – eu estava no show extra de domingo, já que o show da quarta teve problemas na gravação.

            Vi muitas câmeras HD no show de São Paulo, tenho certeza que esse material será aproveitado, mesmo que não seja em um primeiro momento.

            Beijos,

            Eduardo.

            Like

  8. Grande resenha da Suellen ! conseguiu sintetizar o que foi este show histórico para os Headbangers paraenses. Foi meu segundo show do Maiden, mas este foi especial por ser em Belém minha cidade natal . Nem em 50 anos eu esquecerei este momento !
    Valeu !!

    Like

  9. Cara…

    Muito bom poder ter uma impressão direto de uma fã tão apaixonada pelo Iron.

    SU, VocÊ conseguiu descrever as reações de quem está na plateia do MAIDEN.

    É sempre assim… não sei se choro, não sei se grito, não sei se canto… uma emoçao que beira o descontrole.

    PARABÉNS BELÉM DO PARA!!!!

    UP THE IRONS FROM RIO DE JANEIRO!!!1

    MAIDEN MAIDEN MAIDEN MAIDEN MAIDEN !!!!!

    Like

  10. Suelen , parabens pela excelente resenha, que nos leva novamente ao show e deixa saudades da banda. E com os toques femininos peculiares – como o bailarinho Janick, que você adora dançar com ele, é claro! Eu prefiro apenas um bom bate papo – tb é óbvio.
    Infelizmente não curti os ótimos shows de SP, Belém ou de Curitiba, escolhi e fiquei apenas com a metade do show do RJ ( o inteiro de 2a), porque o HSBC estragou boa parte do evento, já que vocês (Rolf, Eduardo e Suelen) não puderam ir.
    Com certeza teremos outras oportunidades – que venha o Metallica e Up the Irons!
    FR

    Like

  11. Bela resenha! pra gente aqui da região, uma chance indispensavel de se ver a banda. espero que a boa maré de shows continue… e que venha o purple em outubro… (boato lá de belem)

    Abraços

    Like

Trackbacks

  1. Minuto HM – Retrospectiva 2011 « Minuto HM

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: