Cobertura Minuto HM – Viper em SP – parte 2 (resenha)

Enfim no domingo, 1 de julho, São Paulo conferiu o retorno do Viper com Andre Matos no vocal. Uma noite de celebração do heavy metal nacional e um Via Marquês “sold out” para 1800 pessoas.

Embora este não tenha sido o primeiro show desta tour de reunião, o clima era especial por a banda estar em sua cidade natal além de ser a gravação do DVD desta “To Live Again Tour”. A noite também contava com a participação da equipe do Brasil Heavy Metal coletando novas imagens para o seu documentário e, claro, o pessoal do Wikimetal, os grandes incentivadores desta reunião do Viper.

O repertório já era conhecido por todos: os discos Soldiers of Sunrise e Theatre of Fate, executados na íntegra, clássicos dos primórdios do heavy metal nacional. Mas algumas surpresas também eram esperadas, o que de fato aconteceu conforme falaremos mais a frente.

Com o show marcado para as 20h, a banda entrou no palco com pouco mais de 1h de atraso, as 21h07 para ser mais preciso, quando o público começava a demonstrar certa inquietação, coisa que mudou para uma recepção muito calorosa quando os primeiros efeitos pirotécnicos, basicamente gelo seco, davam a largada para a introdução do show com as velozes Knights Of Destruction e Nightmares.

O som da casa, neste início, estava um pouco “embolado”, com as guitarras muito altas e o vocal baixo, características que se ajustaram ainda no primeiro “ato” da noite. O que veio logo após, seguindo a ordem das faixas de Soldiers of Sunrise foi The Whipper, com suas guitarras gêmeas bem marcantes.

Após estas 3 músicas iniciais, pausa para a primeira interação de Andre Matos diretamente com o público, agradecendo muito a presença de todos naquela noite especial para o metal nacional, ressaltando que, ao contrário do que andam dizendo por aí, o Via Marquês lotado naquela noite de domingo era a prova de que o heavy metal no Brasil não está nada morto.

O show seguiu com Wings of the Evil mostrando como os rapazes eram jovens na época em que a escreveram, ainda no início das aulas de inglês, o famoso “pé da letra”, rs.

E pela primeira vez na noite o set foi diferente da ordem do disco com Signs of the Night e a instrumental Killera (Princess of Hell).

O que veio a seguir foi um dos pontos altos do show: a faixa que dá nome ao álbum de estreia da banda, Soldiers Of Sunrise. E nesta hora, com um som já bem ajustado, a banda mostrou o quanto está entrosada e bem satisfeita de estarem tocando juntos novamente. Andre Matos em especial mostrou-se bastante em forma com sua voz, superando inclusive expectativas, principalmente aos que tinham qualquer receio após a aparição da banda no programa global “Altas Horas”.

Soldiers of Sunrise:

E para fechar a primeira parte, Law of the Sword, que, segundo Andre Matos, por muito tempo foi a música preferida de Pit Passarell e H.R. saudada pelo público aos gritos de “Heavy Rock! Heavy Rock!”.

Fim do primeiro ato, a banda sai do palco, e nos 8 telões espalhados ao redor da casa era exibido um pequeno documentário da banda, com trechos de entrevistas e shows da época do surgimento do Viper, inclusive o famoso episódio em que a banda quase taca fogo no palco do teatro do tradicional Colégio Rio Branco, de São Paulo. O vídeo, imperdível, pode ser conferido abaixo:

O retorno para a segunda e final parte do show acontece com Illusions e At Least a Chance, canções que abrem Theatre of Fate, o disco que levou o Viper a ser reconhecido no exterior, principalmente no Japão, e virou uma referência para o que surgiu a seguir no Brasil no mesmo estilo, devido a qualidade das suas composições e arranjos.

Em seguida, a música que dá nome a esta tour, To Live Again, e que acaba sendo uma feliz coincidência com o momento que a banda está vivendo neste retorno. E o que veio após foi um outro excelente momento com A Cry From the Edge que na época chegou a ter um vídeo que sempre era exibido nos programas dedicados ao heavy metal na MTV.

A Cry From the Edge:

Seguindo o disco, o clássico do metal nacional Living for the Night, talvez a música mais popular do Viper e cantada em uníssono por todos os presentes. E a primeira surpresa da noite, na verdade uma esperada surpresa, foi a entrada do outro Passarell no palco, recebido de maneira muito carinhosa pela banda para dar uma “ajuda” na outra guitarra durante o solo da música. Andre Matos chegou a brincar que Yves estava com saudades de tocar heavy metal – atualmente ele é guitarrista do Capital Inicial – mas mesmo assim Yves mostrava-se não muito a vontade no palco, talvez por não estar no mesmo entrosamento da banda que já vem ensaiando junta há um certo tempo. A banda se esforçou para enturmá-lo, deixá-lo a vontade e em sintonia (até por conta da gravação do DVD) mas, mesmo assim, ele pouco sorriu e se mexeu.

Yves deixa o palco e o show segue com a execução da faixa-título, alterando a sequência normal do álbum, assim como aconteceu em Soldiers. Então chega o momento de Andre Matos mostrar que a música clássica o influencia desde o início da carreira, com Moonlight. Esta segunda parte do show é finalizada com a empolgante Prelude to Oblivion para que a banda se retirasse para o bis.

No bis, nova surpresa, com a execução da inédita Crime que, de acordo com Andre Matos, é uma canção que entraria no álbum que viria na sequência de Theatre of Fate e que ele nunca chegou a gravar com o Viper.

Crime:

The Spreading Soul veio logo após, música originalmente cantada por Pit Passarell, e que por ter uma levada mais lenta, acabou ficando meio deslocada no set, dando uma esfriada em um momento que normalmente requer mais energia.

Mas a energia voltaria logo em seguida com Rebel Maniac, com a volta também de Yves Passarell na guitarra, Pit dividindo os vocais com Andre Matos e a plateia cantando de forma muito empolgada “Everybody, everybody!”.

Rebel Maniac:

A noite termina com um empolgante cover de We Will Rock You, do Queen e o Viper se despede agradecendo novamente o público e fechando a ótima apresentação. Cabem destacar nesta resenha além de Andre Matos, em uma noite inspirada, e os irmãos Passarell, tão citados aqui neste texto, os demais integrantes, como o guitarrista e fundador da banda Felipe Machado, que se apresentou muito bem e estava bastante feliz por estar revivendo este momento, o guitarrista Hugo Mariutti que por nunca ter tocado na banda até o início da tour, teve toda a dedicação para aprender a tocar as músicas da forma mais perfeita possível e o ótimo desempenho do baterista Guilherme Martin.

Já com a galera se retirando do local do show, a PA traz “Always Look On The Bright Side Of Life”, mostrando que a banda ainda tem aquela influência do Iron Maiden, que vem usando em suas últimas tours esta música no final de suas apresentações.

Por fim, é importante ressaltar que a noite foi organizada, o local se mostrou adequado para shows deste porte, ficando apenas a parte da saída como algo que pode ser melhorado pelos organizadores em uma próxima oportunidade, dado o acesso não ser fácil por transporte público e os táxis na região serem um pouco escassos.

A banda segue com esta tour pelo Brasil até o fim do mês de Julho e embora os integrantes tenham se mostrado muito entrosados e bastante felizes por estarem tocando juntos novamente, até o momento não há nenhuma informação a respeito de novas datas ao-vivo em outras cidades do país ou mesmo no exterior – ou então, ainda mais improvável, um novo álbum de inéditas da banda.

Só nos resta torcer para que esta volta do Viper não termine com apenas estas datas e o vindouro DVD desta noite.

Cobertura Minuto HM – Viper em SP – parte 2

Abraços,
Suellen e Eduardo.


Categories: Artistas, Cada show é um show..., Covers / Tributos, Curiosidades, Entrevistas, Músicas, Queen, Resenhas, Setlists

23 replies

  1. Comentário recebido via Twitter:

    [ ] ‘ s,

    Eduardo.

    Like

  2. Muito bacana a resenha que descreveu muito bem a noite mágica que vivemos no dia 01/07/2012 no Via Marquês. Vai ficar registrado aqui, no Minuto HM, com excelentes vídeos e detalhes e na nossa memória.

    Valeu !!!!

    Like

    • Daniel, primeiramente, muito legal ter você comentando por aqui. Bem-vindo sempre e muito obrigado pelas palavras ao post feito, em nome do blog.

      Parabéns pelo esforço de vocês com tudo que foi necessário para ajudar na organização deste evento. Temos certeza que não foi nada fácil, ainda mais no Brasil, onde as dificuldades são sempre maiores. Parabéns mesmo a vocês!!

      Long Live Viper, Wikimetal e Minuto HM.

      [ ] ‘ s,

      Eduardo.

      Like

  3. Muito bacana a resenha, é uma pena que motivos particulares me impediram de assistir o show que deve estar rolando agora aqui no Rio. Cheguei mesmo a ir à bilheteria no sábado para comprar o ingresso, mas estava fechada no horário em que cheguei ( na verdade era para estar aberta ). Acabei não podendo ir, teria perdido o dinheiro se tivesse comprado o ingresso. Assim, o jeito é torcer para uma improvável data no Rio de Janeiro .
    Voltando à resenha, os vídeos comprovam tudo que o texto perfeito nos traz . Uma banda muito empolgada e em ótima forma. Fuçando no youtube , achei um vídeo da Living for the Night, em versão longa metragem , com apresentação do integrantes da banda.
    É contagiante a alegria de todos no palco:

    Pra terminar, só mais um comentário: Não conhecia a categoria do batera da atual formação da banda e fiquei agradavelmente surpreso com sua presença no palco . Em suma, uma ótima e muito justa reunião .

    O dvd é de aquisição obrigatória!

    Parabéns Suellen e Eduardo, pela ótima cobertura !

    Alexandre

    Like

    • B-Side, primeiramente, valeu pelo elogio. Quanto ao baterista, sim, foi uma das coisas que mais me chamou a atenção durante o show, lembro de ter comentado isso com o pessoal em várias oportunidades. Muito bom mesmo!

      Sobre shows no Rio (e em outros lugares), talvez rolem shows extras. O jeito é ficar ligado e aguardar… agora, se a bilheteria deveria estar aberta na hora que você foi comprar no último sábado, é lamentável… acabou dando certo, mas da forma errada…

      [ ] ‘ s,

      Eduardo.

      Like

      • Eduardo :

        Eu não quero ser precipitado, mas achei a escolha do local do show do Rio um erro. Espero que tudo tenha corrido bem, que todos tenham se divertido. A capacidade do local era de 495 pessoas, espero que não tenha havido qualquer problema, afinal no Rio de Janeiro sabe-se lá o que esperar . Mas o Viper foi uma banda seminal e precursora do movimento HM no Brasil, sei lá se não houve muita procura , ainda que o Rio tenha dado alguns vexames em relação à venda de ingresso, causando até alguns cancelamentos.
        O episódio da bilheteria, pelo que sei, já aconteceu algumas vezes no local em questão .
        Você está certo : É lamentável e uma falta de respeito com o público.
        O Viper não tem nada com isso, espero que tenha sido tudo ótimo ontem !

        Alexandre

        Like

        • B-Side, eu como administrador do blog, tenho acesso a informações privilegiadas muitas vezes, então, sobre o show do Rio, aguarde que provavelmente teremos novidades em breve 🙂 .

          Agora, o episódio da bilheteria, é lamentável. Bom, serviço no Brasil, né – muitas vezes pagamos taxas até para ficarmos em filas, somos desrespeitados, enfim, já sabemos a ladainha toda…

          [ ] ‘ s,

          Eduardo.

          Like

        • Bside, pelo que li por aí foram 700 pessoas no Teatro Rival no dia do Viper, ingressos esgotados. E la dentro nao estava aquela coisa insuportavelmente cheia. Estava bem confortavel. O espaço é bem legal para shows de menor porte e o som tambem estava ótimo. Alias, nao somente os ingressos que esgotaram mas tambem o merchandising. Na hora que cheguei so restavam poucas camisas femininas para vender. As masculinas já haviam esgotado. Sucesso total!!!

          Like

          • Era apenas a impressão inicial , Suellen, o lugar é meio escondido, tive dificuldade de achar. O atraso na bilheteria rolou, não era só eu que ficou esperando.
            Mas que bom que tudo correu bem e que a impressão que tive foi apenas um falso presságio.
            Bom ter sido um sucesso de público, gostaria de ter a oportunidade de ver a banda, quem sabe isso não rola de novo por aqui?

            Alexandre

            Like

    • Realmente o batera é excepcional. O cara quase nem mexe os braços! Impressionante. Ele ja fez parte do Viper em outra formação antiga mas antes desta reunião, realmente não consegui descobrir onde ele estava tocando…

      Like

  4. Texto do guitarrista Felipe Machado no seu blog sobre o show de SP

    http://www.palavradehomem.com.br/?p=1940

    Like

  5. Su e galera, post publicado em destaque no Whiplash: http://whiplash.net/materias/shows/158947-viper.html

    [ ] ‘ s,

    Eduardo.

    Like

  6. Newsletter recebida do Wikimetal acerca da demora no lançamento do DVD:

    ——————————

    Comunicado sobre o DVD do Viper
    SÃO PAULO, 7 DE MAIO DE 2014

    Caros amigos e fãs da banda Viper,

    Como já é de conhecimento de todos, o DVD do show do Viper da turnê “To Live Again Tour” tem demorado mais que o previsto para ser lançado, e por isso gostaríamos de esclarecer os principais motivos e os próximos passos para que o lançamento finalmente ocorra.

    Existem questões de autorizações e direitos autorais de algumas músicas do DVD que ainda não foram totalmente solucionadas. Questões estas que vão mais além da nossa vontade e principalmente da vontade da banda.

    Estamos empenhados em resolver isso da melhor maneira possível, mas infelizmente tal questão tem levado um tempo muito maior que imaginávamos, porque não depende exclusivamente de nós.

    E, de acordo com o histórico do Wikimetal e com a forma como trabalhamos, jamais faríamos qualquer ação – ainda mais lançar um produto como um DVD – sem ter todas as pendências legais totalmente resolvidas e esclarecidas, mesmo que isso nos prejudique e atrase nossos planos. Tanto quanto os queridos fãs da banda, nós do Wikimetal e do Viper queremos ver esse DVD e os outros relançamentos da banda, o quanto antes, nas lojas.

    Pedimos desculpas pela demora. O DVD irá sair e em termos de conteúdo podemos garantir que ficou muito legal. Todos nós teremos a chance de reviver aquele momento tão especial que foi a “To Live Again Tour”, principalmente aquela noite mágica no Via Marquês em São Paulo.

    Estamos na reta final e pedimos um pouco mais de paciência para que possamos finalizar o que começamos juntos. Desde já agradecemos pelo apoio de todos e esperamos ter boas notícias muito em breve.

    Nando, Rafael e Daniel – Wikimetal

    ——————————

    [ ] ‘ s,

    Eduardo.

    Like

    • Newsletter com atualização do pessoal do Wikimetal sobre o CD e DVD desta tour + outras novidades:
      ________________________________________

      Viper 8 de Abril de 1985 – 2015

      To Lira Again

      No dia 8 de abril de 2015, o VIPER comemora 30 anos de sua primeira apresentação ao vivo. O show aconteceu no Lira Paulistana, em São Paulo, em 8 de abril de 1985, e teve um repertório baseado nas primeiras composições do VIPER e alguns covers.

      Para celebrar a data, o VIPER realizará uma grande festa no Manifesto, em São Paulo, com apresentação ao vivo do mesmo repertório apresentado no show do dia 8 de abril de 1985.

      As músicas do VIPER serão tocadas pela formação atual da banda e os covers que foram executados em 1985 serão tocados por convidados em Jam Sessions muito especiais.

      A data também vai marcar o lançamento do CD ao vivo ‘To Live Again – Live in São Paulo’, com o show que marcou a turnê ‘To Live Again’ realizada em 2012/2013. Este show será lançado em DVD ainda no primeiro semestre deste ano.

      Algumas das músicas do DVD serão exibidas pela 1a. vez nesta festa que contará ainda com a apresentação da banda Bazooka, que tocará grandes clássicos do heavy metal mundial.

      Venda de ingressos: Ticket Brasil
      Pré-venda do álbum ao vivo: Wikimetal Store
      ________________________________________

      [ ] ‘ s,

      Eduardo.

      Like

      • Muito legal!

        From: Minuto HM Reply-To: Minuto HM Date: Monday, March 30, 2015 at 10:38 PM To: Daniel Dystyler Subject: [New comment] Cobertura Minuto HM ­ Viper em SP ­ parte 2 (resenha)

        WordPress.com Eduardo [dutecnic] commented: “Newsletter com atualização do pessoal do Wikimetal sobre o CD e DVD desta tour + outras novidades: ________________________________________ Viper 8 de Abril de 1985 – 2015 To Lira Again No dia 8 de abril de 2015, o VIPER comemora 30 anos de s”

        Like

Trackbacks

  1. Cobertura Minuto HM – Viper no RJ (resenha) « Minuto HM
  2. Cobertura Minuto HM – Viper no RJ (resenha) | Alessandra Martins – Portfolio
  3. Cobertura Minuto HM – Viper em SP – parte 2 (resenha) | Alessandra Martins – Portfolio
  4. Viper (Teatro Rival, Rio de Janeiro, 10/07/12) | Alessandra Martins – Portfolio
  5. Cobertura Minuto HM – Kiss e Viper em SP – parte 1 « Minuto HM
  6. Cobertura Minuto HM – Kiss e Viper em SP – parte 2 (resenha) « Minuto HM

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: