Lendas do Cenário do Rock do Brasil: Robertinho de Recife

Hell-o pessoal do Minuto HM! Voltando do longo processo de degelo, após cobranças massivas de meus brothers do Minuto HM. Quero pedir espaço para lançar esse post sobre as verdadeiras lendas do cenário Rock Nacional, começando por Robertinho de Recife que, em minha opinião, é um dos guitarristas mais completos do Brasil.

Muitos só se lembram dele pelos discos de mães, tias ou correlatos, quando tocou com Raimundo Fagner e fez o maravilhoso solo em “Deslizes”, um dos grandes sucessos desse cantor. Mas o cara já teve uma banda fera – Busque “MetalMania”, nos Youtubes da vida e você vai entender melhor o que estou falando.

Muito atrelam seu estilo como cópia de Eddie Van Halen, mas senhores, estamos falando de anos 80. Ele não tem um estilo EVH, ele é meio que contemporâneo do cara. E além disso foi o “mentor” da banda Yahoo, sucesso dos anos 90 com seus “covers + nacionalização de músicas de rock internacional”, que clonava principalmente Def Leppard. Acham que foi só isso? Não…

Em 26 de abril de 1985, Robertinho, juntamente com sua banda, o MetalMania, abriu um show para a banda norte-americana Quiet Riot em São Paulo. O mesmo ocorreu no Rio de Janeiro e em Porto Alegre.

Sabiam que ele negou um convite para integrar a banda Chicago? Não… não é mentira…

Sabiam que ele negou um convite para integrar o Quiet Riot? Não… não é lenda….

Mas meus caros, imagens valem mais do que mil palavras.

Vocês podem ver melhor os solos dele tocando cover do Deep Purple em Highway Star:

Somewhere Over the Rainbow:

Solo + 2 Minutes to Midnight (Iron Maiden) – e nesse, Pepeu Gomes, outro grande guitarrista nacional, “segura a baba da boca da Baby mesmo”. E cá entre nós… levar Maiden com 1 guitarra só…é para poucos…

Alguém ousa falar em “ruim ou mediano” por conta do som que sai das caixas de abelha nesses vídeos? Vejam os equipamentos de palco senhores…. a tosqueira que era a nossa vida nos anos 80. O que tínhamos em equipamentos… e prestem atenção: estamos falando de uma produção da TV Bandeirantes e o patrocínio de uma importante cervejaria… imaginem se fossem independentes…. não teriam nem a metade disso… hoje até os estúdios de ensaio mais baratos tem no mínimo um Meteoro de qualidade, e nos medianos  Marshalls à vontade. Na realidade do inicio dos anos 80, aqui na terra Brazuca, o que se tinha no ido dos anos 70 eram uns valvulados Giannini com Reverb a mola. Sim, senhores… mola… não vou explicar esse principio mas nem que a vaca tussa, pois condena a idade desse vosso colaborador! Mas funcionava.

Pessoal, o cara é dos tempos da fuçada na guitarra… experimentar captadores, trocar captadores, mexer na fiação dos captadores, queimar captadores… na troca de transistores em pedais, montar pedais, tudo analógico, nada digital, que nos dias de hoje, com 1 click e você tem o timbre do Satriani, e com um pouco de delay esconde erros de guitarristas iniciantes. Não tínhamos Seymour Duncan ou Di Marzio para comprar em cada esquina. Gibson? Fender? Só nas vitrines blindadas a preço de ouro. A primeira vez que vi uma Jackson, que ainda se chamava Charvel, foi em 1990. Impensável… inatingível… intocável….. e o tal Robertinho? Bom… ela até fazia suas próprias guitarras no começo…

Então senhores mais novos, na casa de 20 -25 anos, deem honra aos que, de sua maneira, se destacaram (e muito) ao cenário pré-histórico do Rock Nacional.

Para finalizar… e voltar ao Robertinho, também o admiro por tocar obras clássicas nacionais como “Bachianas Brasileiras nº 5 de Heitor Villa Lobos”.. .e não Beethoven… não pelo virtuosismo, mas por paixão de ser brasileiro e, no país do futebol, não nascer com a bola no pé, mas com a guitarra na mão… e aí … e só aí… já merece – e MUITO – meu respeito Brazuca.

Abrácidos !

Jake05



Categories: Artistas, Covers / Tributos, Curiosidades, Deep Purple, Def Leppard, Entrevistas, Instrumentos, Iron Maiden, Músicas, Off-topic / Misc, Quiet Riot, The Beatles, Van Halen

24 replies

  1. Nada como começar 2014 com um grande retorno de Jake Wizard ao mundo dos posts! Jake, apesar de saber que você está sempre vendo por aqui, todos nós sentimos falta dos seus posts e comentários por aqui. Espero mesmo que este post possa remarcar este retorno mais frequente!

    Muito legal a homenagem que você presta, com conhecimento ímpar de quem realmente VIVEU a época (eu era apenas “nascido”) – aliás, a grande década de 80 para o metal.

    Seu jeito descontraído de escrever não muda a complicada época para o metal no país (assunto que volta e meia falamos por aqui como, por exemplo, neste post: https://minutohm.com/2011/07/13/a-critica-especializada-na-pre-historia-do-heavy-metal-tupiniquim/), onde tudo era AINDA mais difícil e eram poucos aqueles que conseguiam “ir para frente”. Os vídeos do post são qualquer coisa sensacional, e realmente ali em 23:58 do Iron Maiden que vemos que ele levou mesmo o som, mesmo com todas as claramente precárias condições de equipamentos.

    A história e influência dele no cenário nacional é clara e quem quiser ver ainda mais sobre, há as páginas no Wikipedia nacional e internacional:

    http://pt.wikipedia.org/wiki/Robertinho_de_Recife
    http://en.wikipedia.org/wiki/Robertinho_do_Recife

    São posts assim que me ensinam muito. Novamente repito: nada como ter vivido a época – o conteúdo por aqui fica único e diferenciado.

    Jake, como comentei com você por e-mail, espero ainda que uma surpresa se realize. O Abilio, de Curitiba, vai trazer em breve mais detalhes disso, pois já tem algo rolando nos bastidores…

    Parabéns pelo post e até o próximo!

    [ ] ‘ s,

    Eduardo.

    Like

  2. Excelente post Jake! Seu retorno ao MHM não poderia ter sido melhor!

    2014 já começou com muita novidade e este post traz exatamente o que penso sobre o Robertinho de Recife, cuja carreira acompanho desde que me lembro por músico e amante do Metal. O post, como ressaltou o Eduardo, é de ótima leitura, num estilo muito descontraído.

    Já tive a feliz oportunidade de vê-lo ao vivo com o Metal Mania e lembro ter sido um momento muito marcante em minha vida, pois o cara é “the real stuff”, toca mesmo, e, como se sabe, nos 80 a gente aprendia a tocar “de ouvido” e “de olho”, e somente os bravos (e loucos) se criavam e acabavam aprendendo a tocar decentemente.

    Eu também sempre assistia a um programa que passava na Globo no verão aos finais de semana (alguém lembra o nome deste programa), aonde Barão, Paralamas, Biquini Cavadão, Zero, RPM, tocavam na praia (provavelmente no Rio de Janeiro). O Metal Mania tocou lá, e eu gravei isso em VHS e assistia direto, sempre tentando captar os “licks” tão rápidos e limpos do Robertinho.

    Acredito que, fora os trabalhos solo e os voltados ao Rock, se destacam na carreira do guitarrista os excelentes trabalhos ao lado de Geraldo Azevedo e Zé Ramalho, este que ao meu ver sempre teve uma veia rockeira correndo por baixo da pele, tanto que acabou dividindo o palco com o Sepultura no RiR 2013.

    Agora vem a “surpresa” que o Eduardo comentou:

    Recentemente, acabei ficando “amigo” do Robertinho no Facebook. Juro que realmente não sei como, mas ele é meu amigo lá, e temos vários amigos músicos em comum ainda por cima…

    Mas como já disse aqui neste blog várias vezes, nada na vida é por acaso, e a teoria da sincronicidade mais uma vez se deflagra em minha vida: no exato momento que vi o post saindo por aqui, disparei uma “private message” para o grande guitarrista, que, para nossa felicidade, acabou resultando no seguinte diálogo:

    “Conversation started Tuesday Abilio Abreu 1/7, 2:57pm:

    Abilio Abreu 1/7, 2:58pm:
    Fala Robertinho!
    Veja que legal que postaram sobre você no blog Minuto HM, o melhor espaço do metal na internet brasileira!:https://minutohm.com/2014/01/07/lendas-do-cenario-do-rock-do-brasil-robertinho-do-recife/

    Abilio Abreu 1/7, 2:59pm:
    Parabéns por toda sua obra, te acompanho desde os 80, se puder, dá uma ouvida no meu disco de progressivo: https://minutohm.com/2013/07/09/abilio-abreu-open-windows-to-nothingness/ um abraço, Abilio Abreu de Curitiba/PR

    Robertinho de Recife 1/7, 3:50pm:
    Oi Abilio!!! bemvindo amigo, obg e prbs pelo belo trabalho, desejo a vc td sucesso do mundo, abs

    Abilio Abreu 1/7, 3:56pm:
    obrigado Robertinho, se puder, entra lá no blog e comenta que o pessoal irá ficar muito feliz! muito obrigado pela ótima influência que foi em minha vida como guitarrista! abração!
    Seen 5:25 PM”

    Então podemos perceber que (diferente de como já rolou com o Adrian Smith), esse grande guitarrista que tanto admiro é boa gente, e me tratou muito bem (e já aproveitei a deixa pra vender meu peixe, é claro!).

    Fico no aguardo de mais posts nesta série “Lendas do Cenário do Rock do Brasil”!

    keep bloggin’ and UP THE MINUTOS!

    Abilio Abreu

    Like

    • Abilio, sua rede de relacionamentos no mundo da música nacional é mesmo espantosa – já é difícil termos um post destes em qualquer outro lugar da internet, mas ter mais gente ainda “envolvida” de alguma forma é ainda mais surreal. Muito legal você ter enviado isso a ele e mais legal ainda ele ter respondido.

      Quem sabe ele não comenta um dia diretamente aqui no blog?

      [ ] ‘ s,

      Eduardo.

      Like

  3. Realmente uma lenda, um daqueles prodígios que de vez em quando aparecem, com o Guga (tenis) , Emerson, Piquet, Senna (F1), Ronaldo, Falcão, Zico, Pelé, Garrincha (Futebol), como a Marta (futebol feminino). É um daqueles raros. E com todas as dificuldades excepcionalmente bem traçadas pelo Jake aqui, equipamentos, instrumentos, informação – nada estava disponível na década de 80, o cara superava isso tudo.
    Da para ver a equalização do vocal neste show da bandeirantes? Coitado do vocalista, tem eco até dizer chega – o cara cantou numa caverna – até para falar e apresentar musica tava dificil de entender. A iniciativa da Band foi ótima, mas parte técnica estava sofrível. Era o que se passava.
    Lembro de assistir o Purple no Maracananzinho , nessa época ninguem sabia nem quem ia abrir, se ao menos tinha alguém para abrir o show. Daqui a pouco entra uma banda e não se entendia nada. Era o Robertinho do Recife – não consegui entender praticamente nada do show, O maracananzinho é o horrível acusticamente. No show do purple estava um pouco melhor – o Robertinho não entendi nada. Era na epoca da Rapsodia Rock – seria bem interessante o show, seria…
    Eu tinha um especial da TV educativa onde ele tocava as tais Bachianas e outras coisas – algumas muito interessantes, outras nem tanto. Robertinho sempre foi de arriscar, algumas vezes funcionou muito bem.
    Gostei muito da entrevista que coloco abaixo e destaco:
    Ele fala porque parou de tocar ao vivo e do contato com George Martin
    (12:00 min)
    Fala das gravadoras que queriam musicas que tocassem na rádio. Musicas pegajosas, fáceis, imbecis
    (14:00 min)
    Fala do Jabá, que hoje é oficializado
    (15:00min)
    Explica a diversidade de estilos que realizou
    18:00min
    A briga com a Globo
    (21:00)
    As limitações que se impõe para a musica poder vender:
    (31 min)
    E por ai vai…
    Enfim: Viva o Robertinho do Recife

    Like

    • Excelente a homenagem, e que bom tê-lo de volta ao blog, Jake. O Lp (isso mesmo…) Metalmania foi feito por Robertinho em uma época que quase nada saía do underground, quando se falava em metal em nosso país.

      EU não sabia da história do Quiet Riot, muito menos do Chicago.

      A banda que acompanhava Robertinho na fase Metalmania tinha o excelente Beto Ibeas no baixo, como se pode avaliar na versão acima de two minutes to midnight.

      O músico acabou por tocar em outras bandas de rock na época, aqui no Rio, como no Vid e Sangue Azul, participando do Rock in Rio 2.
      Quem quiser arriscar dar uma olhada nessa banda , veja abaixo um ou os dois links:

      Voltando ao tema principal, o Abílio falou do programa Mixto Quente, que era gravado em São Conrado aqui no Rio, achei um video do Robertinho, já em 89. A técnica realmente impressiona:

      E depois disso, o cara fez um disco de virtuosismo puro, o tal das Bachianas. Isso no meio de Xuxa, Sertanejo e Axé estarem dominando o cenário musical de nosso país.

      Foi e é produtor, gravou com muita gente boa na MPB brasileira, produziu a Xuxa também, acabou no Yahoo, e sempre tocou muita guitarra, como abaixo, com Fagner( para quem quiser se atrever a assistir um programa “global “, mas ao vivo..)

      No Yahoo, ficou pouco tempo, mas participou da versão no mínimo questionável sob o ponto de vista ” lírico “, da faixa Love Bites ( Def Leppard) . Embora eu ache que a banda marcou ” touca” na versão para o português, o instrumental não compromete:

      Por fim, quero registrar que o vídeo que entrega tudo trazido pelo Flávio é de recomendável apreciação, para entender o cenário lamentável que temos visto e ouvido em nosso país.

      Mas como Robertinho é músico por paixão e não vai parar, mesmo que diga o contrário, achei outra preciosidade, bem mais recente. Não dá mesmo para questionar a genialidade deste grande instrumentista:

      Parabéns , Jake e Viva o Robertinho!

      Alexandre

      Like

  4. não consegui ouvir/ver os audios, mas a ideia do post e da homenagem ao RdR ficou excelente
    bom ver o Jake aqui novamente
    fazia tempo que ele não aparecia, mas quando apareceu, trouxe algo muito bom e inusitado.
    Muito obrigado, Jake.

    o comentário do Flávio foi extraordinário com as comparações

    Like

  5. Jake e galera, a página dele no Facebook tem muita coisa legal, como ele no Abbey Road Studios (!) e foto /papo com George Martin (!!), entre outras coisas muito legais: https://www.facebook.com/robertinho.derecife?ref=ts&fref=ts

    [ ] ‘ s,

    Eduardo.

    Like

  6. OI Eduardo!!! Super Bemvindo Amigo, muito obrigado pela homenagem, fiquei muito feliz com tudo que vc falou e por seu posicionamento de respeito e reconhecimento por tudo que foi feito em minha carreira. Com certeza poucos sabem sobre todo esforço que fiz para tocar Metal num tempo que no Brasil os fãs eram poucos e a grana era nenhuma, pura força de vontade e fui rejeitado bastante por aqueles que me condenaram por eu ser apenas um “Brasileiro” me metendo a tocar o que achavam que só era permitido a “Deuses Gringos”. O tempo passou e tenho recebido muito apoio e elogios, é pena que me tiraram a chance de ir muito além. Valeu Amigo
    Robertinho de Recife

    Like

    • Robertinho, em nome do blog Minuto HM, deixo outro agradecimento registrado aqui também por comentar em nosso humilde espaço dedicado ao nosso amado heavy metal. É uma verdadeira honra ter você por aqui e a felicidade é imensa em ver que você gostou da homenagem que o amigo Jake fez a você.

      Também como comentado, o Minuto HM está de portas abertas.

      Muito obrigado.

      [ ] ‘ s,

      Eduardo.

      Like

  7. Jake, Abilio e galera, eu também consegui um contato com o Robertinho via Facebook. Segue abaixo a troca de mensagens original, que culminou no comentário dele aqui!

    Eduardo: “Robertinho, uma homenagem a você no Minuto HM. Espero que goste, se possível, deixe um comentário lá para o autor. Um grande abraço! https://minutohm.com/2014/01/07/lendas-do-cenario-do-rock-do-brasil-robertinho-do-recife/

    (Comentário dele que está acima)

    Eduardo: “Robertinho, um grande prazer receber esta sua mensagem. Muito obrigado! Desejamos o melhor a você e estamos a disposição em tudo que for relacionado a heavy metal. Um grande abraço meu e da galera do Minuto HM”.

    Obs.: site oficial -> http://robertinhoderecife.com.br/

    [ ] ‘ s,

    Eduardo.

    Like

  8. Mais um excelente momento para o blog, Eduardo. Parabéns por atrair tanto coisa importante pra cá e nos dar esse privilégio
    Jake, parabéns meu amigo, pelo post e por nos dar essa oportunidade. Vc precisa aparecer por aqui muito mais vezes.
    B-side, você e o Abílio, como grandes guitarristas que são devem estar orgulhosos de ver um músico desse quiilate por aqui

    Like

    • Rolf, eu me sinto honrado apenas em poder estar no mesmo espaço virtual que o Robertinho. E nisso , parabéns ao Abílio , ao Eduardo e ao Jake, principalmente.
      Nessa história de guitarra eu sou um eterno e esforçado aprendiz., falta muita ” farinha” para qualquer outra comparação.

      Alexandre

      Like

  9. [ ] ‘ s,

    Eduardo.

    Like

      • É …ele está de volta …

        Na virada cultural em junho agora, mostrando as músicas gravadas na década de 80. Aliás, ele traz também um quase sósia de um certo personagem muito conhecido no cinema na mesma década nos teclados ….

        E abrindo pro Accept e Judas Priest no Rio. Aqui os vocais são do Darth Vader “himself” , eu diria …

        E uma das músicas do novo trabalho:

        Like

  10. Pessoal , tava lendo o texto e os comentários de novo,e surgiu a dúvida : Será que o Minuto HM tem alguma coisa a ver com essa volta ?

    Alexandre

    Like

  11. Aí sim !!!! Excelente !

    Alexandre

    Like

  12. [ ] ‘ s,

    Eduardo.

    Like

  13. [ ] ‘ s,

    Eduardo.

    Like

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: