Black Sabbath anuncia última turnê e fim da sua história na música mundial

onstage during the 56th GRAMMY Awards at Staples Center on January 26, 2014 in Los Angeles, California.

No dia de hoje (3/9) a banda inglesa Black Sabbath fez o anúncio que todos esperavam e ao mesmo tempo temiam: no dia 20 de janeiro de 2016 inicia-se a chamada “The End Tour”, a última turnê da maior banda de heavy metal de todos os tempos (blindem os clássicos!), que tem início nos Estados Unidos e se encerra (?) na Nova Zelândia na cidade de Dunedin, no Forysth Barr Stadium, no dia 30 de abril. Mesmo sem outras datas informadas, é possível que um braço europeu da turnê também se estenda à América do Sul. Rezemos. Conforme noticiado, esta não é apenas a despedida dos palcos do grupo formado em Birmigham. A banda estaria se diluindo após o encerramento da mesma. Mais uma vez o nome de Bill Ward (baterista original) foi ignorado, porém temos sabido das declarações antipáticas do músico em relação à banda que ajudou a formar.

Leia o comunicado oficial publicado nas redes sociais:

“It’s the Beginning of THE END.

It started nearly five decades ago with a crack of thunder, a distant bell ringing and then that monstrous riff that shook the earth. The heaviest rock sound ever heard.

In that moment Heavy Metal was born, created by a young band from Birmingham, England barely out of their teens.

Now it ENDS, the final tour by the greatest Metal Band of all time, BLACK SABBATH. Ozzy Osbourne, Tony Iommi and Geezer Butler close the final chapter in the final volume of the incredible BLACK SABBATH story.

BLACK SABBATH’s farewell tour, THE END, begins on January 20, 2016 and it promises to surpass all previous tours with their most mesmerizing production ever.

When this tour concludes, it will truly be THE END,

THE END of one of most legendary bands in Rock ’n Roll history…

BLACK SABBATH”

7f9a0333-4295-42a0-baab-96f61cb02a7b

Aqui, as datas divulgadas até então:

1/20 – Omaha, Neb. @ CenturyLink Center
1/22 – Chicago, Ill. @ United Center
1/25 – Minneapolis, Minn. @ Target Center
1/28 – Saskatoon, Saskatchewan @ Sasktel Centre
1/30 – Edmonton, Alberta @ Rexall Centre
2/01 – Calgary, Alberta @ Scotiabank Saddledome
2/03 – Vancouver, British Columbia @ Rogers Arena
2/06 – Tacoma, Wash. @ Tacoma Dome
2/09 – San Jose, Calif. @ SAP Center
2/11 – Los Angeles, Calif. @ The Forum
2/13 – Las Vegas, Nev. @ Mandalay Bay Events Center
2/15 – Denver, Colo. @ Pepsi Center
2/17 – Kansas City, Mo. @ Sprint Center
2/19 – Detroit, Mich. @ The Palace of Auburn Hills
2/21 – Hamilton, Ontario @ FirstOntario Centre
2/23 – Montreal, Quebec @ Bell Centre
2/25 – New York City, N.Y. @ Madison Square Garden

Australia/New Zealand Tour Dates:
4/15 – Perth @ Perth Arena
4/17 – Adelaide @ Entertainment Centre
4/19 – Melbourne @ Rod Laver Arena
4/23 – Sydney @ Allphones Arena
4/25 – Brisbane @ Entertainment Centre
4/28 – Auckland @ Vector Arena
4/30 – Dunedin @ Forsyth Barr Stadium

Se não chega a ser uma surpresa, o que os fãs mais temem é pela saúde de Tony Iommi. O motivo da despedida seria a saúde debilitada do guitarrista, que faz poucos updates da condição da sua doença? Marketing utilizando a expressão “the end” e “farewell tour” para continuar arrecadando milhões de dólares ao redor do mundo com o mesmo som que este mesmo mundo passou a idolatrá-la? Muitas são as questões. Pessoalmente acredito que a idade avançada dos integrantes (o próprio Iommi tem 67, Ozzy 66 e Butler 66) seja o motivo do descanso do grupo que está aí (discograficamente) desde 1970, com 45 anos de carreira (e todos os altos e baixos que uma banda longeva traz em si), muitas alegrias e desgastes, as indas e vindas de Ozzy, incluindo a treta com Ward após o anúncio do “13” e a própria doença de Iommi.

Hora de quebrar o porquinho e começar a fazer as contas.

Daniel



Categories: Agenda do Patrãozinho, Black Sabbath, Entrevistas

36 replies

  1. Cacet*
    Tomara que o Black Sabbath volte com o Tony Martin

    Like

  2. É inevitável (e triste) que essas bandas pioneiras (e ótimas) um dia acabem, pois o tempo é implacável e somos mortais.
    O que sinceramente me preocupa é: O QUE OUVIR com a mesma qualidade, após o fim delas? Ou nossa longevidade nos condenará a ouvir o que já foi lançado até o fim?
    Sinceramente, não tenho o mesmo prazer em ouvir nenhuma banda nova, como tenho ouvindo Iron, BS,…
    Ou tem algo de bom por aí que ainda não descobri?
    Nem quero imaginar o que sentirei no dia que o Iron anunciar que vai parar também…

    Like

    • Andre, sobre a questão do que ouvir, isso é tema recorrente aqui no blog e nos nossos podcasts. A coisa anda feia, muito feia.

      Como dica, que são pontos quase de comum opinião por aqui, a recomendação fica pelo Rival Sons (em estúdio, porque ao vivo não é lá AQUELA maravilha). Mas a coisa está escassa, mesmo…

      [ ] ‘ s,

      Eduardo.

      Like

      • Valeu a dica Eduardo!
        Vou procurar material sobre o “Rival Sons”.
        Ah, não me chamo Andre…rs
        Ayrton

        Like

        • A idade me fez ser muito sincero, chato e sistemático. Sempre escrevo de bom humor. Quando estou azedo, fico na minha.

          RIVAL SONS: Escolhi 2 músicas aleatoriamente pra ter uma ideia do som deles. E aqui entra o eu sistemático e chato. Pego sempre uma mais antiga e uma mais nova.

          Antiga: Pressure And Time, de 2011 – gostei bastante do som, apesar de sempre me incomodar com remelexos e requebros renatorrussianos. Deveria ter apenas ouvido.

          Nova: Open My Eyes, de 2014 – putz, decepcionei assistindo esse vídeo e a música achei inferior a Pressure And Time. O cara pintado me lembrou do Pablo (Qual é a Música) e uma involução em tudo. Se alguém assistiu o filme “Rock of Ages” vai lembrar do moleque que era roqueiro e por pressão da gravadora, cortou o cabelo e virou cantor “playbacker” de Pop. Foi a impressão que tive. Deveria ter apenas ouvido (2).

          Prefiro o “Rival Sons” de 2011. Open My Eyes está no player. Claro que ouvirei outras músicas pra fazer uma análise mais justa (e amadora).

          Vou fazer esses testes daqui pra frente apenas utilizando arquivos de áudio…rs

          Continuo aceitando sugestões. Senão estou no sal e terei que me contentar com o pessoal das antigas…

          Grande abraço.

          Like

        • Ayrton (aliás, o nome do meu maior ídolo!), juro que não tinha a mínima ideia e a primeira notícia que me deparo hoje é com essa:

          Rival Sons vai abrir os shows da The End Tour do Black Sabbath nos EUA.
          — José Norberto Flesch (@jnflesch) September 5, 2015

          //platform.twitter.com/widgets.js
          Aproveito para te falar que esse blog é meio “doido” no que tange a estas “coincidências”…
          [ ] ‘ s,
          Eduardo.


          https://polldaddy.com/js/rating/rating.js

          Like

          • Eduardo, ia ser perfeito se o Rival Sons abrisse pro BS aqui também. Se eu “encrencar” com o visual, olho pro outro lado e continuo ouvindo…rs
            Se tiver aqui no site um tópico com histórias que aconteceram por causa da música (rock), conto uma das minhas. Na verdade, uma bem legal comigo e com (e por causa) meu filho.
            Grande abraço.

            Like

            • Ayrton, pelo menos do que “tentamos” por aí, essa banda tem bastante das características que nós tentamos buscar, eu quero dizer, mais “clássico”… é uma das boas bandas por aí, vale a pena tentar acompanhar um pouco mais de perto, especialmente, como você já percebeu, o SOM…

              [ ] ‘ s,

              Eduardo.

              Like

  3. Minuteiros,

    Pelo tom do anúncio, realmente o Sabbath vai pendurar as chuteiras de vez..

    A questão é se haverá um novo álbum antecedendo esta tour, como já foi anunciado por Ozzy numa entrevista no Monsters of Rock desse ano (http://www.metalinjection.net/upcoming-releases/ozzy-confirms-black-sabbath-will-record-one-final-album-tour-in-2016), ou se será apenas uma turnê recheada de clássicos em tom de despedida.

    Bem, de toda forma, fica a esperança de que venham à Terra Brazilis…

    keep recordin’

    Abilio Abreu

    Like

  4. Bom, tudo isso aqui é um mix de “razões” e “emoções”…

    Para começar, o vídeo é sim marketeiro e entendo, pelo menos no meu ponto de vista, extremamente apelativo para uma banda que não precisa deste tipo de “venda”.

    Já do lado razão, o que mais preocupa é a saúde de Iommi. Aqui é o que realmente importa, todo o resto acaba sendo secundário. Como realmente não há mais updates oficiais, não dá para ficar aqui “chutando” nada, apenas torcendo, e torcendo muito…

    Sobre as datas, são grandes cidades e grandes e merecidas venues para os 3 senhores e provavelmente a “máquina de bater” Tommy Clufetos.

    E o lado emoção, sendo ou não a tal tour final – nem precisamos entrar neste assunto, já vimos isso tantas e tantas vezes com grandes e “confiáveis” nomes (vide alguns aqui: http://www.rollingstone.com/music/lists/10-farewell-tours-that-didnt-stick-20140905/cream-1968-20140905) – até os Scorpions voltaram atrás, o da “moda” agora é o Mötley Crüe, vamos ver – sem contar o próprio Ozzy, que é um brincalhão neste tema e que depois a “Retirement Sucks Tour”…

    Agora, que desta vez a coisa tem todo o tom e do ponto de vista “lógico” faz mais sentido, não há discussão.

    Está confirmado que a banda anunciará mais datas em out/2015, então é aguardar… eu entendo que algo na Europa é até mais viável que um novo giro pela América do Sul, mas é melhor aguardar.

    Quem puder ir, tem que ir. Quem não puder ir, tem que dar um jeito. E quem não der um jeito, é bom dar um jeito. Dessa vez, eu acredito que deva ser mesmo.

    Ingressos: http://www.livenation.com/artists/41466/black-sabbath

    [ ] ‘ s,

    Eduardo.

    Like

  5. Aqui tudo faz sentido e talvez seja o tal fim das tours e não acredito em um novo lançamento, como o Abilio relembrou.
    Pelo que vimos na apoteose, os caras ainda ditam o que é um show de HM, e neste (e muitos outros aspectos) é uma pena, mas é totalmente compreensível que um dia o ciclo finalizaria.
    são quase 50 anos (como o anuncio marketeiro entoa) e a contribuição da banda é inestimável.
    Restam algumas possibilidades
    Tony Martin – desculpe Rolf, improvável pacas
    Um monte de outras coletâneas ou até um lançamento de sobras – provável a primeira opção.
    Um set list interessante para a próxima tour, Um novo ao vivo e em vídeo, esta mais provável
    Se vierem para o Brasil, é claro que vou tentar ir.
    Se voltarem um dia depois deste anuncio de fim, vamos reclamar?
    Posso me dizer abençoado, já vi shows com Dio, Ozzy e Martin..
    Torço pela saúde de todos, o que vier, é lucro…

    Like

  6. Excelente o texto , triste , mas de certa forma previsível, o anúncio. Eu acho que é pra valer, mas também vi muito oportunismo e jogada ( desnecessária, no meu ver, pois o tema em si já é suficiente pra mover aqueles que como eu viram essa banda ser o que é) de marketing, deve ter dedo da Sharon aqui.
    Acho que Tony vai ser mais pontual em suas aparições daqui pra frente, mas ao mesmo tempo acho que como a tour é só no ano que vem, que a situação dele não deve ter agravado além do previsto.
    Se eles passarem por aqui, deverei ir.
    E pelo jeito, vou me debulhar em lágrimas de novo…

    Alexandre

    Like

  7. Continuo não concordando com aqueles que acreditam que o The End do Sabbath é “marketing” (com aspas). Simplesmente porque o caso deles não se assemelha em NADA às outras bandas que se utilizaram sim de uma maneira marqueteira (expressão jocosa que muda o sentido de marketing, na sua origem) ou mesmo, por que não – mudaram de ideia durante o percurso, coisa fácil de ser aceita, porque embora astros, também são gente.

    Agora falando um pouco de “significado” e “significante”:

    A palavra “marketing” ganhou, especialmente para nós brasileiros, um estigma negativo, tornou-se um termo absolutamente pejorativo.Isso é o significante Normalmente, inclusive, vem com uma locução adjetiva “GOLPE DE”. No entanto, o trabalho de uma banda emana não só a arte que ela produz como sua própria imagem. Então não vejo nada demais, que no sentido “branco” e não brazuca de entender as coisas, que o marketing seja utilizado para um anúncio tão importante. Este é o significado. A maior banda de metal do mundo (e talvez a mais influente) em atividade encerra sua carreira e não pode “pesar” o dedo na produção de um featurette porque corre risco de que as pessoas pensem que isto é um golpe? Ora bolas, que se danem as interpretações feitas em cima do inconsciente coletivo, os caras vão fazer 70 anos! E um está vindo de uma batalha contra o câncer! Precisam de fazer pegadinhas? Com veemência acho que não.

    Aqui mais uma entrevista. assim como o Remote já tinha até nos indicado em seus comments, desta vez dada pelo Iron Man, a saber, Tony Iommi.

    http://www.birminghammail.co.uk/news/exclusive-guitar-hero-tony-iommi-9994546

    Daniel

    Like

  8. O que eu entendo de Marketing, quanto ao anúncio é que, qualquer publicitário, ao promover uma turnê de uma banda (seja de Metal, Hip Hop, ou outra qualquer) na medida em que fica sabendo que (provavelmente) será a última feita pela banda, destacará isso fortemente no press release e outros materiais. Isto não é negativo. Trata-se de uma coisa natural. Um consumidor qualquer, principalmente o eventual, casual, ao saber que se tratá da última turnê, estará muito mais inclinado a “não perder esta última chance” e comprar ingresso para o espetáculo.
    Após o término da turnê, pode até ser aventada hipótese de nova tour. Como já foi dito: quem irá reclamar. Isso está longe de ser um caso pensado de, maliciosamente, se promover uma turnê como última sabendo que não será. Aliás, não consigo acusar nenhuma banda de ter feito isso. Os casos conhecidos me parecem que se tratam de uma mudança nas condições que geraram a ocorrência de uma nova turnê após a “última”.
    Agora, quanto ao caso específico, considerando a qualidade e emoção que o último show me trouxe, parece que seria uma tolice minha não considerar fortemente a possibilidade de testemunhar este momento histórico.

    Like

  9. Teaser do ensaio da banda (com Clufetos na bateria, como esperado) para esta que promete ser a tour final do Sabbath:

    Obs.: impossível não se comover, mesmo não sendo “nada demais”…

    [ ] ‘ s,

    Eduardo.

    Like

  10. The Evil has landed….titio Ozzy volta a atacar ou melhor volta para cá.

    Para quem quiser ir tem que correr, porque a venda começa já:

    A venda para o público em geral estará disponível a partir de 18 de abril de 2016. A partir da 0h01 pela internet, e a partir das 10h nos pontos de vendas físicos.

    Curitiba – 30/11 – Pedreira Paulo Leminski

    PISTA PREMIUM – R$325 (meia) R$650 (inteira)
    PISTA – R$190 (meia) R$380 (inteira)

    Rio de Janeiro – 02/12 – Apoteose

    PISTA PREMIUM – R$340 (meia) e R$680 (inteira)
    PISTA/ARQUIBANCADA – R$185 (meia) e R$370 (inteira)

    São Paulo – 04/12 – Morumbi

    PISTA PREMIUM: R$350 (meia) R$700 (inteira)
    PISTA: R$190 (meia) R$380 (inteira)
    CADEIRA SUPERIOR 1, 2 e 3: R$260 (meia) R$520 (inteira)
    INFERIOR A e B: R$ 225 (meia) R$ 450 (inteira)
    ARQUIBANCADA 1, 3 e 4: R$135 (meia) R$270 (inteira)
    ARQUIBANCADA 2: R$125 (meia) R$250 (inteira)

    Black Sabbath: divulgados oficialmente datas, locais e preços no Brasil http://whiplash.net/materias/news_792/241612-blacksabbath.html#ixzz45h8izMvM

    Para quem é fã mesmo e conhece bem o repertório, os caras tocarem apenas 15 músicas é decepcionante. Novidade mesmo, somente a Hand of Doom e as vezes eles trocam a After Forever pela Tomorrow´s Dream.

    Abraços

    Like

    • Julio, obrigado por trazer as informações por aqui. Sem dúvidas, shows imperdíveis, que prometem trazer ainda uma carga de emoção adicional, tenho certeza.

      Sobre tocarem poucas músicas, dois aspectos: idade e saúde, dentro da logística de viagens, que cansa muito a banda, especialmente Iommi. Claro que quanto mais, sempre melhor, mas é o que eles conseguem fazer bem feito (como foi da última vez, em 2013).

      [ ] ‘ s,

      Eduardo.

      Like

  11. Olá, galera do blog MinutoHM.

    Vcs que estão sempre postado aqui, eu já percebi que vão a vários shows e que tem gente do RJ que vem para SP e vice-versa e até viajam para o exterior.
    Eu tenho um dúvida: estando em SP, se eu quiser comprar online ingressos para o Rio ou Curitiba, a empresa entrega em casa?
    Agradeço desde já, uma possível resposta.

    Abraços..

    Like

  12. Serão mesmo na Inglaterra e especificamente em Birmingham os últimos shows do Black Sabbath. Nada mais justo e correto…

    http://www.metalinjection.net/tour-dates/black-sabbath-confirm-final-birmingham-dates-still-no-bill-ward

    [ ] ‘ s,

    Eduardo.

    Like

  13. [ ] ‘ s,

    Eduardo.

    Like

  14. [ ] ‘ s,

    Eduardo.

    Like

  15. Novo trailer do “The End Of The End”, filme que vai para os cinemas em 28/set/2017:

    Mais: http://www.blabbermouth.net/news/new-trailer-for-black-sabbaths-the-end-of-the-end-film/

    [ ] ‘ s,

    Eduardo.

    Like

Trackbacks

  1. Cobertura Minuto HM – Black Sabbath em SP – parte 1: Pacote VIP (Meet & Greet) cancelado – Minuto HM
  2. Cobertura Minuto HM – Black Sabbath em SP – The End Tour – parte 1 – Minuto HM
  3. Cobertura Minuto HM – Black Sabbath no RJ – The End Tour – parte 2: resenha – Minuto HM
  4. Cobertura Minuto HM – Black Sabbath – The End of the End – Documentário – 28/set/2017 – São Paulo – Minuto HM

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: