Cobertura Minuto HM – Iron Maiden no RJ: fotos, SBIT Tour, 14/março/2009 (capítulo 3/5)

Galera, saudações maidenmaníacas! A coisa tarda, mais acaba saindo…

Trago para vocês neste post um pouco do primeiro dos três show do Maiden que pude presenciar no ano de 2009, que foram a sequência (segunda e última perna) da turnê mundial do Somewhere Back In Time.

Foi com muita alegria que recebi a notícia de que a turnê ganharia este segunda e última perna. Ainda mais com a confirmação de que a banda tocaria em várias cidades pelo país, inclusive Brasília e Recife, cidades estas que a banda nunca havia se apresentado – e que prova que realmente esta banda gosta do nosso país, independente do fator financeiro.

Aí começou o famoso e clássico “desespero” para garantir o quanto antes os ingressos. Certeza, certeza, eu tinha de vê-los novamente em São Paulo e no Rio de Janeiro, com nosso ilustre “Rolfístico” e até mesmo com um pessoal que, na época, apenas trocávamos e-mails sobre rock e metal (o Minuto HM estava para nascer ainda, 11 dias depois). Foi lá que tive o prazer de conhecer nosso o Alexandre BSide que, apesar de conversarmos pessoalmente muito pouco no carro, no metrô e antes do show (visto que “Rolfístico“, Marcus Batera e eu fomos de pista VIP e ele de pista convencional), foram momentos que me deixaram ótimas lembranças.

Após isso, decidi também que iria, nem que fosse sozinho, para o show de Brasília. Mas isso é para o quinto e último capítulo desta série.

Eis que chegou a grande noite de abertura das vendas dos ingressos para o Rio. Já com a confirmação de que teria a companhia de Marcus Batera e do carioca Rolf, em 45 minutos da abertura da venda pela internet já havia garantido nossos ingressos:

Pedido feito!

Pedido feito!

Após um tempo, os ingressos chegaram:

Ingresso da Pista VIP - Maiden no RJ 2009

Ingresso da Pista VIP - Maiden no RJ 2009

E o dia chegou. Hora de acordar e nos mandarmos para o aeroporto de Congonhas. Fui o primeiro a chegar, depois chegaram Marcus e Rolf e tomamos um rápido café por lá. Tenho uma lembrança do nosso check in, que uma das atendentes nos disse:

“Vocês estão indo para o RJ ver o show do Iron Maiden?” – nós com camiseta e até minha inseparável bandeira quase respondemos: “não, estamos indo visitar uma certa senhora por lá…”

“Pois vocês sabem”, continuou ela, “que meu irmão foi para o Rio de Janeiro ver essa banda mesmo com eles tocando por aqui – ele foi VIAJAR para ver uma banda que vai tocar aqui em São Paulo amanhã, fora que já tocou o ano passado… É UM IDIOTA, MESMO“.

Esse momento foi, sem sombra de dúvidas, uma aviso da diversão que teríamos neste dia…   🙂

Passado este hilário momento, fomos para a sala de embarque, onde tiramos algumas fotos:

Parace que tinha mais uma pessoa lá trás fazendo a mesma coisa que a gente ...

Parace que tinha mais uma pessoa lá trás fazendo a mesma coisa que a gente ...

Marcus Batera e Eduardo

Marcus Batera e Eduardo

Chegamos. O calor na cidade, ainda mais para nós, paulistanos, era INSUPORTÁVEL. O dia estava maravilhoso, sem uma nuvem e passamos a derreter no exato momento que saímos do ar condicionado enos dirigimos para o Cine Odeon.

Fly to live, Aces High ... segundos antes de tocar no solo da cidade maravilhosa

Fly to live, Aces High ... segundos antes de tocar no solo da cidade maravilhosa. No aeroporto, como fiz para todos os shows, procurei pelo avião do Maiden, mas... nada!

Neste dia, como vocês sabem, além do show, também era a data da Première mundial do filme Flight 666, evento este que nosso amigo Caio nos brindou com um excelente post (quem ainda não viu, não deixe de ler). A data de estreia mundial do filme era apenas em 21/abril/2009.

Não pudemos deixar de ir pelo menos dar uma conferida no local e no clima – e quem sabe ver alguém por lá. Ainda era cedo para a exibição do filme e o movimento não era tão grande no horário que chegamos, apesar de vários fãs já estarem por lá. Como literalmente “comi bola” na compra dos ingressos do cinema, algo que Caio não fez (e que bom), não vimos o filme neste dia (aliás, Rolf, você já viu o filme?). Um cara que conheci por lá até tinha um ingresso para me vender (R$ 80,00) de um amigo dele que não podia comparecer, mas era somente um ingresso… de qualquer forma, registramos nosso momento no local, conforme vocês vão conferir agora:

Eduardo no Cine Odeon

Eduardo no Cine Odeon

Marcus Batera no Cine Odeon

Marcus Batera no Cine Odeon

"Rolfístico Personagem" no Cine Odeon

"Rolfístico Personagem" no Cine Odeon

Agora, a foto que realmente ficará eternizada: Eduardo, Marcus Batera e Rolf no Cine Odeon

Agora, a foto que realmente ficará eternizada: Eduardo, Marcus Batera e Rolf no Cine Odeon

Ficamos por lá mais um tempo mas me lembro claramente que nenhum de nós 3 (sim, incluindo o “nativo”) estava mais aguentando o calor. Escorria suor por lugares absurdos do corpo neste dia!

Que frio...

Que frio...

Então voltamos ao aeroporto e alugamos um carro para que nosso guia turístico VIP, Rolf, nos levasse para desgustar no curto espaço de tempo (afinal, só teríamos algumas horas antes do prato principal da noite).

Eduardo e Marcus Batera levando o Eddie para passear na praia

Eduardo e Marcus Batera levando o Eddie para passear na praia

Impressionante como deu tempo de fazer coisas neste dia. Vou deixar o Rolf, com muito mais propriedade, comentar sobre alguns lugares e fotos...

Impressionante como deu tempo de fazer coisas neste dia. Vou deixar o Rolf, com muito mais propriedade, comentar sobre alguns lugares e fotos...

Maraca...

Maraca...

Bilheteria do Maraca - Fla x Flu ? Nah ... mas teve um jogo no Maraca este dia, do Flamengo, que escutamos o final no rádio do carro, com o Rolf torcendo contra... mas acho que acabou 1 a 0 pro Flamengo ... contra quem? Judiou...

Bilheteria do Maraca - Fla x Flu ? Nah ... mas teve um jogo no Maraca este dia, do Flamengo, que escutamos o final no rádio do carro, com o Rolf torcendo contra... mas acho que acabou 1 a 0 pro Flamengo ... contra quem? Judiou...

É Maiden, filho...

É Maiden, filho...

Em São Paulo, os outdoors foram proibidos. Pois é... que pena...

Em São Paulo, os outdoors foram proibidos. Pois é... que pena...

A gente chegando no maravilhoso Parque da Tijuca...

A gente chegando no maravilhoso Parque da Tijuca...

Rolf e Batera

Rolf e Batera

Rolf e Eduardo

Rolf e Eduardo

Saindo do parque... valeu, Rolf ... ótima escolha ... e apenas algumas picadas de borrachudo para contabilizar também ... hehehe

Saindo do parque... valeu, Rolf ... ótima escolha ... e apenas algumas picadas de borrachudo para contabilizar também ... hehehe

Lembro que começamos a contar Maiden no carro mais ou menos nessa hora… o show se aproximando e queríamos de qualquer forma “gabaritar”, mentalmente, a letra completa de Rime Of The Ancient Mariner. Eu tinha levado um papel com a letra da música para nos divertirmos com isso, visto que são 13 minutos de falação, sem refrão. Foi divertido e aprendemos nossa lição de casa muito bem (100% seria mentira, mas muito bem) para aquela noite (e dia seguinte em São Paulo, claro).

O passeio continuou, já com um tempo mais fechado, menos quente e com chuva começando a ameaçar (opa! Chuva no RJ? Pois é, acreditem ou não, chove no RJ também … certo, Rolf?)

Marcus Batera

Marcus Batera

Eduardo - e a camiseta que já viu o Maiden e Bruce várias vezes ...

Eduardo - e a camiseta que já viu o Maiden e Bruce várias vezes ...

Agoa tínhamos uma decisão: completarmos o circuito turístico com o bondinho, clássico, ou atravessarmos a cidade para a Hard Rock. Marcus Batera optou pela segunda opção (Rolf e eu queríamos o bondinho), e fomos. Não vou me extender porque o assunto foi polêmico… hehehehe… lembro que pegamos bastante trânsito, mas chegamos.

Chegamos...

Chegamos...

Eduardo - Hard Rock RJ

Eduardo - Hard Rock RJ

Rolf - Hard Rock RJ

Rolf - Hard Rock RJ

Hard Rock RJ

Hard Rock RJ

Saímos e fomos os 3 jantarmos em um lugar muito bom, que não me recordo o nome. Rolf?

Após,  fomos para a casa do Rhino, Blood Brother do Rolf, que, juntamente com sua família, recepcionou a mim e ao Marcus com uma gentileza enorme. Fica registrado aqui um agradecimento super especial ao Rolf, Rhino e família por tudo. Muito obrigado mesmo.

Aí passamos e encontramos, de carro, o BSide. Fomos os 5 para o show, de metrô, após largarmos as coisas na casa do Rhino, conversando muito sobre música e, claro, sobre o que veríamos… e o metrô respirava o clima do show.

Infelizmente, após uma certa caminhada até encontrarmos as entradas do show, nos despedimos do BSide, que foi para a pista normal, e fomos Rhino, Rolf, Marcus e eu para a pista VIP.

Suávamos como porcos naquela noite. A chuvinha que deu não foi de nada, e o calor era surreal. Suávamos a noite como se estivéssemos em um forno.

Para os shows de 2009 no Brasil, a banda trouxe tudo que não havia trazido em 2008. Então tivemos todas as explosões e equipamentos em geral dos shows europeus. Visualmente, os shows de 2009 foram superiores, e bastante, aos de 2008. Em termos de música, tivemos mudanças de algumas músicas no set de 2008. O setlist de 2009 foi:

Setlist de toda a segunda e última perna da SBIT Tour '09

Setlist de toda a segunda e última perna da SBIT Tour '09

Destaco a emoção particular que tive ao ouvir pela primeira vez duas músicas ao vivo: Children Of The Damned e Phantom Of The Opera. Ambas passaram de ano com a nota máxima possível.

Muito legal também foi ter a companhia do Rhino no show que se emocionava com cada clássico que a banda despejava – e olha que era um atrás do outro, vocês sabem… são emoções como estas que valorizam cada sacrifício que muitas vezes fazemos para podermos ir em tantos shows…

O público carioca em geral, desculpem-me, está longe em termos de tudo do público paulista. Essa é sem dúvida uma das razões do RJ estar saindo do mainstream dos shows nos últimos anos. Mesmo assim, foi um público infinitamente superior aos argentinos, não tenham dúvida alguma disso…

E é isso. Ao final do show (“always look on the bright side of life, tan tan, tan tan, tan tan, tan tan…”), era descansar para acordar cedo no dia seguinte e ir para o aeroporto – afinal, o domingo nos aguardava para mais uma passagem da banda por São Paulo, desta vez fazendo um histórico (e lameado) show em Interlagos e com uma nova companhia: minha irmã, Bárbara, com 14 anos na época. Mas isso é papo para o próximo capítulo.

Tchau, cidade maravilhosa... voltando para a terra da garoa...

Tchau, cidade maravilhosa... voltando para a terra da garoa...

Rolf e Marcus, conto com os comentários de vocês para as coisas legais que possivelmente esqueci, errei de ordem, enfim… o que quiserem… comentários do show são bem-vindos também…

[ ] ‘ s,

Eduardo.

Veja também:



Categories: Cada show é um show..., Curiosidades, Iron Maiden, Resenhas, Setlists

4 replies

  1. Legal muito legal as fotos da ida ao show, aliás não foi somente uma ida ao show, percebi que o Rolfistico deu uma certa dose de RJ aos paulistas – que parecem ter apreciado. As fotos da lagoa, praia, maraca, apoteose, a floresta da tijuca complementam bem o evento, não acha Eduardo?
    Se em entusiasmo os cariocas perdem um pouco (conforme relatado) no restante a banda deve ter adorado a cidade.
    Abraços
    Flavio

    Like

  2. Eduardo, Rolf, Marcus e Rhino

    Foram breves momentos , mas significativos . Obrigado por trazer algumas dessas lembranças. Up the Irons !!!!!!!

    Like

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: