Curiosidade: clássica Twist And Shout não é original dos Beatles, como (mais de) meio mundo acha…

Você está lá, naquela festa de formatura, casamento, anos 60, ou mesmo qualquer festa em que se tenha uma bandinha tocando ao-vivo aquele famoso ritual: anos 50, 60, 70, 80, 90 e depois (a hora de ir embora para mim) axé, funk, black music…

Quais são as chances de você ouvir uma das músicas mais famosas de todos os tempos, “Twist And Shout”? Eu diria que 100% ou algum número bem perto disso.

Então você, caro amante da música e amigo do Minuto HM, poderá lembrar deste post (caso o que vou falar seja realmente uma novidade para você): Twist And Shout fez sim sucesso com os Beatles, é um clássico absoluto, mas não foi escrita por Lennon & McCartney ou por qualquer membro da banda…

A música foi originalmente escrita por Phil Medley and Bert Russell, dois precursores do rock e soul nos anos 60. Foi originalmente gravada pela Top Notes, em 1961:

Logo após isso, os “The Isley Brothers” gravaram o som também e lançaram o single da música:

Single - The Isleys Brothers

Single - The Isleys Brothers

Aqui a versão dos “brothers” – momento nostalgia – disco em “baixas rotações”  🙂  :

Olhem que legal os caras tocando o clássico ao-vivo:

O resto da história, amigos, não creio ser necessária contar muito. O Beatles colocaram o som no “Please Please Me”, de 1963, e fizeram a música se tornar um ícone imortal e atemporal do rock and roll mundial  (al, al, al…).

Então vamos tentar manter apenas as curiosidades por aqui…

Os Beatles, em 10 horas apenas, gravaram 10 das 14 músicas do Please Please Me (outras 4 saíram através do lançamento de singles). Twist And Shout foi a última a ser gravada.

John Lennon estava resfriado durante a gravação, tomando leite e chupando pastilhas para a garganta. E após todas as gravações, sua voz estava literalmente “indo para o espaço”.  Dessa forma, eles fizeram apenas 2 takes de gravação para a música e… o primeiro foi o oficialmente usado no disco, e por isso, temos um efeito único: com a rouquidão de Lennon, a música ganhou uma característica única! Palavras do George Martin: “I did try a second take … but John’s voice had gone” – o segundo take, portanto, foi descartado…

Capa do "Twist and Shout (EP)" - Julho/1963

Capa do "Twist and Shout (EP)" - Julho/1963

Assim, a versão cover dos Beatles para a música foi lançada no Reino Unido em 22/março/1963 (data de lançamento do Please Please Me). Nos EUA, chegou praticamente 1 ano depois, em 02/março/1964. A música também está presente no lado B do single “There’s A Place”.

Please Please Me: lados A e B

Please Please Me: lados A e B do bolachão

Contra-Capa do Please Please Me (já na versão em CD)

Contra-Capa do Please Please Me (já na versão em CD)

Para finalizar: a música ainda foi “coverizada” por muitos outros, como The Mamas & the Papas (em estilo balada)em 1967 no álbum Deliver.

Aqui os reis do “woooo”, Beatles, tocando-a ao-vivo em 1965, nos EUA, em uma versão que arrepia até os cabelos que estão no chão – a gritaria do estádio, por parte das ladies, é algo realmente impressionante…

Well, shake it up, baby, now, (shake it up, baby)
Twist and shout. (twist and shout)
Cmon cmon, cmon, cmon, baby, now, (come on baby)
Come on and work it on out. (work it on out)

Well, work it on out, honey. (work it on out)
You know you look so good. (look so good)
You know you got me goin, now, (got me goin)
Just like I knew you would. (like I knew you would, wuu!)

Well, shake it up, baby, now, (shake it up, baby)
Twist and shout. (twist and shout)
Cmon, cmon, cmon, cmon, baby, now, (come on baby)
Come on and work it all out. (work it all out, wuu!)

You know you’re a twisty little girl, (twisty little girl)
You know you twist so fine. (twist so fine)
Come on and twist a little closer, now, (twist a little closer)
And let me know that you’re mine. (let me know you’re mine)

Ahhhhhhhhhh(root) Ahhhhhhhhhh(third) Ahhhhhhhhhh(fifth) Ahhhhhhhhhhh(seventh) Ahhhhh Ahhhhh

Well, shake it up, baby, now, (shake it up, baby)
Twist and shout. (twist and shout)
Cmon, cmon, cmon, cmon, baby, now, (come on baby)
Come on and work it on out. (work it on out, wuu!)

You know you’re a twisty little girl, (twisty little girl)
You know you twist so fine. (twist so fine)
Come on and twist a little closer, now, (twist a little closer)
And let me know that you’re mine. (let me know you’re mine, wuu!)

Well, shake it, shake it, shake it, baby, now. (shake it up baby)
Well, shake it, shake it, shake it, baby, now. (shake it up baby)
Well, shake it, shake it, shake it, baby, now. (shake it up baby)
Ahhhhhhhhhh(low) Ahhhhhhhhhh(higher) Ahhhhhhhhhh(higher) Ahhhhhhhhhhh(high)

É isso! E agora este post vai ecoar na cabeça de todos vocês na próxima festinha…  🙂

[ ] ‘ s,

Eduardo.



Categories: Artistas, Covers / Tributos, Curiosidades, Discografias, Letras, Músicas, The Beatles

6 replies

  1. OLha, eu sou suspeita pra falar de Beatles. Cresci ouvindo os LPs (antigos LPs e ainda aqueles pequenininhos) de minha mãe, e até mesmo gravações em fitas cassetes… Então, eu ADORO mesmo todas as músicas, sem exceção! ‘Twist & Shout’ está na lista como uma de minhas favoritas, mas lendo sobre a sua origem e história, é bem interessante e uma surpresa tbm! Valeu por compartilhar essa informação e o vídeo (fiquei arrepiada aqui assistindo! kkk) conosco! Beijos Carol

    Like

  2. Esse post me inspirou para fazer algo parecido.

    Essa é uma das regravações mais famosas do mundo…

    Outra que ficaria famosa na voz de um beatle, desta vez não resfriado, é “Stand By Me” do cantor americano Ben E. King (ao lado de Jerry Leiber e Mike Stoller).

    Embora tenha recebido outras versões, talvez seja com o Lennon que ela seja mais conhecida.

    Vale registrar ainda uma similaridade com uma das maiores gafes da história da música no que diz respeito ao campo autoral:

    Quando Frank Sinatra faz um elogio à dupla Lennon-McCartney quanto a autoria de “Something”, única música do Fab Four registrada pelo The Voice.

    … e como “quase” todos sabem, a canção é de George Harrison.

    Abraço,

    Like

    • Daniel, legal sobre a inspiração e sem dúvidas Stand By Me é outro exemplo mega clássico, bom seu registro por aqui – na época que fiz o post em questão, eu faria outro com Stand By Me – o tempo passou, não fiz, e agora temos aqui. Obrigado.

      E legal isso sobre Something. Sobre Frank Sinatra, não conhecia (ou não lembrava), mas sobre a música ser de George – Paul Macca sempre faz questão de lembrar quando a executa ao vivo, fazendo uma linda homenagem ao eterno amigo, tanto na dedicação, como com lindas imagens deles juntos nos anos 1960.

      [ ] ‘ s,

      Eduardo.

      Like

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: