Kiss discografia 30a parte – Álbum: You Wanted The Best, You Got The Best

Neste capítulo, YOU WANTED THE BEST, YOU GOT THE BEST!, algumas coletâneas e a turnê que trouxe a formação original de volta:

ÁLBUM: YOU WANTED THE BEST, YOU GOT THE BEST!

You wanted the best numa edição caprichada com box do cd colorido em verde.

  • Paul Stanley, Gene Simmons, Ace Frehley, Peter Criss
  • Lançamento: 25/06/96
  • Produtores: vários
  • Primeiro Single: “New York Groove (live)” – em 06/96
  • RIAA Gold Certification em 21/05/97
  • O Álbum atingiu #17 nas paradas

Faixas:

1. Room Service – 3:38 7. I Stole Your Love  – 3:32
2. Two Timer – 3:15 8. Calling Dr. Love  – 3:35
3. Let Me Know – 3:38 9. Take Me – 3:06
4. Rock Bottom – 3:33 10. Shout It Out Loud – 3:14
5. Parasite – 3:37 11. Beth – 2:33
6. Firehouse – 4:00 12. Rock And Roll All Nite – 4:01
  13. KISS Tells All (with Jay Leno) – 17:34

ÁLBUM: GREATEST KISS

O Cd brasileiro de Greatest Kiss.

  • Paul Stanley, Gene Simmons, Ace Frehley, Peter Criss
  • Lançamento: 08/04/97
  • Produtores: vários 
  • O Álbum atingiu #77 nas paradas

 Faixas :

1. Detroit Rock City -3:38 11. I Was Made For Lovin’ You -4:30
02. Black Diamond -5:14 12. Shout It Out Loud (Live ’96) -3:39
03. Hard Luck Woman -3:35 13. God Of Thunder-4:15
04. Sure Know Something-4:02 14. Calling Dr. Love -3:45
05. Love Gun-3:16 15. Beth-2:46
06. Deuce-3:04 16. Strutter -3:12
07. Goin’ Blind-3:36 17. Rock And Roll All Nite -2:53
08. Shock Me-3:47 18. Cold Gin-4:22
09. Do You Love Me?-3:34 19. Plaster Caster-3:27
10. She – 4:08 20. God Gave Rock And Roll To You II -5:20

No início de 1996, após a excelente repercussão do retorno da formação original durante as gravações e também exibição televisiva do MTV UNPLUGGED:KISS, o que sempre havia sido cogitado durante mais de 15 anos finalmente estaria por se materializar : Ainda ao final das gravações de CARNIVAL OF SOULS, Gene Simmons e Paul Stanley anunciam a seus colegas de banda Bruce Kulick e Eric Singer que iriam retomar a formação original.  O projeto deste álbum de inéditas é “congelado na mesma geladeira” que Kulick e Singer, enquanto Ace Frehley e Peter Criss são trazidos para que o KISS se concentre em fazer desta reunião a mais bombástica e melhor comercialmente sucedida que fosse possível.

Em You Wanted The Best, fotos da banda em ação na década de 70.

O primeiro passo é dado ao se reunirem para testar novamente as máscaras e indumentárias características do passado glorioso. Após uma sessão de testes de vestimentas e maquiagem na casa de Gene Simmons, onde os próprios músicos ficam bastante satisfeitos com as imagens observadas, um passo decisivo é testado: a banda resolve aparecer de surpresa para apresentação de um prêmio do Grammy Awards, no dia 28/02/96, em Los Angeles.  Ao serem chamados ao palco pelo rapper Tupac, tornam-se o principal assunto da festividade, sem sequer pronunciarem qualquer palavra, com reações de mídia e público plenamente favoráveis.

O grupo começa ensaios intensos para recuperar a “química” deixada no passado, enquanto prepara a nova estratégia de divulgação. Finalmente, em 16/04/1996, num evento realizado no porta-aviões USS Intrepid e apresentados pelo apresentador Conan O ‘Brien  do programa de televisão Late Night, anunciam em uma coletiva de imprensa que a turnê de reunião iria começar em junho de 1996, com as primeiras datas percorrendo o território americano, mas com intenção de cobrir os diversos cantos do planeta. 

Neste mesmo evento, a gravadora Mercury anuncia o lançamento do álbum YOU WANTED THE BEST, YOU GOT THE BEST!!, que consiste de uma coletânea de músicas dos álbuns KISS ALIVE! e ALIVE II, uma entrevista com outro apresentador de televisão e fã da banda Jay Leno e  mais quatro músicas ao vivo (Room Service, Two Timer e Let Me Know, gravadas em 1975 e Take Me, gravada em 1977) que não haviam sido lançadas anteriormente. Alguns rumores indicavam que a gravadora teria tentado que o grupo gravasse algumas faixas inéditas, mas a idéia foi descartada pelos integrantes, que preferiram se concentrar nos preparativos para a turnê.   O álbum é lançado no mesmo mês da intitulada “Reunion Tour” e atinge o décimo-sétimo lugar nas paradas, trazendo como single a música New York Groove, numa versão ao vivo na Austrália, durante a turnê do álbum UNMASKED e contendo Eric Carr na bateria (nota da redação:?????!).  Esta música acabaria saindo apenas na versão em vinil do álbum e também na versão japonesa do cd. O álbum consegue atingir o status de RIAA Gold Certification em 21/05/1997, mas fracassa em tentar o status de platina. Peter Criss o considera um excelente álbum, principalmente por ter tido êxito enquanto a turnê se seguiria, e atribui nota máxima ao mesmo. Gene Simmons também o avalia de forma favorável, atribuindo 3 numa escala de até 5. Não são conhecidas as avaliações de Ace Frehley ou Paul Stanley.

Na contracapa de You Wanted The Best a lista de músicas ao vivo.

Os passos para o início da turnê continuam e após os ensaios iniciais, onde as dificuldades de se retomar todos os acordes, licks e solos de guitarras foram enfim superadas (tendo Ace Frehley a valiosa ajuda de Tommy Thayer, um autêntico conhecedor de cada nota gravada por Ace na fase inicial) e também Peter Criss relembrado todas as convenções e levadas de bateria, o grupo vai incorporando progressivamente as botas de plataforma, indumentárias características e parafernália cênica, para tal tendo sido alugado um hangar de grandes dimensões em Los Angeles chamado Van Huys.  O último ensaio é na verdade um show sem platéia, pois tudo havia sido meticulosamente testado e filmado. O primeiro show é marcado para 28/06/1996, no Tiger Stadium em Detroit, e os quarenta mil ingressos se esgotam em exatos quarenta e sete minutos, o que demonstra o inegável sucesso comercial desta reunião. Antes deste show, porém, há uma espécie de “warm-up” no dia 15/06/1996 onde pela primeira vez tocam um set reduzido de dez músicas em um evento patrocinado pela rádio KROC em Irvine, Califórnia. Mesmo sendo teoricamente apenas um show de aquecimento, o evento conta com cerca de dezoito mil pessoas e tem a abertura a cargo do Red Hot Chilli Peppers.  Este show é encontrado na íntegra no Kissology Vol 3, disco 5. Ao final do show, um incêndio no teto do teatro sem maiores proporções teve de ser contido.

Para o primeiro show em Detroit, o grupo ensaia no Tiger Stadium por seis dias seguidos entre 19 e 24/06/96. Este show tem a abertura de Sponge e Alice in Chains, e pode ser visto em sua grande maioria no Kissology Vol 3, disco 2. Para o repertório, basicamente músicas do período entre o primeiro trabalho, o álbum KISS de 1974 e o álbum LOVE GUN, de 1977, algumas poucas músicas do álbum DYNASTY lançado em 1979, como I Was Made For Loving You  e 2000 man, e também a canção New York Groove, do álbum solo de Ace Frehley, de 1978. As roupas utilizadas também são as da turnê do álbum LOVE GUN, mas o palco não tem estrita relação com o utilizado na ocasião, ainda que traga vários elementos daquela turnê, como duas espécies de garra que levantam Paul Stanley e Ace Frehley de um lado e Gene Simmons do outro por sobre a platéia. Outra relação que foi trazida daquela época é um pano com grandes dimensões com um gato desenhado que aparece quando a bateria de Peter Criss é levantada.

Na parte interna de You Wanted The Best, mais fotos antigas da banda.

Os shows se seguem num ritmo bastante intenso no território americano, de LousVille, Kentucky em 30/06/96 até 10/11/96 em Dallas, Texas, com uma pequena interrupção para atuar como headliner na versão inglesa e mais conhecida do festival Monsters of Rock, em Donington em 17/08/1996. Antes disso, quatro shows com sucesso absoluto entre 25 e 28/07/1996 no Madison Square Garden, em Nova York.  Novamente no Kissology Vol 3, disco bônus, há o terceiro show desta série, onde podemos perceber Gene Simmons com a voz bastante rouca.   Em 04/09/96 fecham a apresentação televisa do MTV Awards, com transmissão ao vivo de Rock and Roll All Nite, diretamente de um palco montado embaixo da ponte do Brooklyn, também em Nova York.  Além desta, outras quatro músicas são tocadas (New York  Groove, Deuce, Calling Dr. Love e Love Gun), mas nenhuma delas constou da transmissão da emissora. Esta pequena apresentação está disponível no Kissology Vol.3, disco 2, que também contém um “easter-egg” com a passagem de som deste dia. 

A fase antiga e agora reunida da banda na edição de Greatest Kiss.

A partir do final do final de novembro, o KISS se encaminha para a Europa, onde fica até 21/12/96, com shows em diversas cidades do continente, sendo um em 25/11/96 no Wembley Arena Stadium, na Inglaterra. Para promover esta parte da turnê é lançado exclusivamente em 11/11/96 na Europa o álbum GREATEST KISS, uma coletânea com vinte músicas, entre elas a versão ao vivo de Shout it Out Loud, gravada por Eddie Kramer no show de abertura da turnê, em Detroit. As demais músicas deste trabalho são tiradas dos diversos álbuns anteriores da banda.  A se ressaltar, contudo, a inclusão de God Gave Rock And Roll To You II, da fase sem make-up da banda, justificada pela boa repercussão da canção na Europa.  Este cd seria lançado nos demais países em datas diversas, sendo a versão Australiana lançada em 29/11/96, mesma data da versão Mexicana, que contém 2000 Man e I Want You nos lugares de Shock  Me e Cold Gin.  A contracapa do cd Mexicano, porém, não traz esta informação. Em 09/12/96 o cd é lançado no Japão, tendo C’mon and Love Me e Rock Bottom nos lugares de Cold Gin e Plaster Caster.  As datas de lançamentos nestes países foram organizadas para preceder o seguimento da turnê, que se encaminha para o Japão em Janeiro/97, onde em Osaka (22/01/97) Gene Simmons ficou afônico tendo de ser substituídos em seus vocais por Paul Stanley e Ace Frehley, para a Oceania em Fevereiro/97 (quando Paul Stanley tocou Shandi apenas tendo a si próprio na guitarra como acompanhamento) e México em Março/97. Antes, porém, o KISS se apresenta em Nova Jersey em 31/12/96, com o evento sendo transmitido no tradicional show de fim de ano de Dick Clark de Nova York para todo o país. A versão brasileira de GREATEST KISS segue o padrão europeu.  A gravadora comete um erro estratégico em demorar a lançar este GREATEST KISS nos Estados Unidos, pois o faz quase o fim da turnê (08/04/97) e como conseqüência o mesmo só atinge o 77º lugar nas paradas, não obtendo qualquer certificação pela RIAA, e chegando a quatrocentas mil cópias pela medição SoundScan em Fev/07.  A versão Americana só contém dezesseis músicas e tem o repertório bastante diferente das demais, não contendo Black Diamond, Love Gun, Goin’ Blind, Shock Me, She, God Of Thunder e God Gave Rock And Roll To You II e tendo Christeen Sixteen, Flaming Youth e Two Sides of the Coin.

A lista de músicas de Greatest Kiss varia em determinados países.

Após a incursão em terras Mexicanas, o grupo faz dois shows na América do Sul, no Chile e na Argentina, e retorna para mais shows em cidades americanas que não haviam sido visitadas, o que foi chamada de “Lost Cities Leg”, ou perna (ou parte) da turnê das cidades esquecidas.  A partir deste pedaço da turnê, Paul Stanley tem a idéia de tocar Love Gun numa espécie de mini-palco no meio da platéia, e para tal perfomance protoganiza um “vôo” antes e depois da execução da música (na verdade içado por sobre a platéia numa tirolesa). Outro fato marcante acontece em Columbus, na Geórgia, no dia 04/04/97 quando Peter Criss encontra-se impossibilitado de tocar devido a fortes dores em seus braços e é substituído pelo “roadie” Eddie Kanon, que toca mascarado e com a roupa igual a utilizada por Criss. Como conseqüência, Beth não é executada e Black Diamond tem sua versão cantada inteiramente por Paul Stanley. Eddie até se sai bem, mas no exato momento que é apresentado no show (como o “melhor amigo” de Peter Criss), erra de forma grosseira a introdução de Let Me Go, Rock and Roll. 

Greatest Hits – Kiss – nenhuma novidade nesta coletânea.

 A última parte da turnê segue novamente para a Europa e outra coletânea é lançada exclusivamente na Inglaterra para promover esta última passagem por lá. O álbum GREATEST HITS é um pacote de vinte músicas de diversas fases da banda, com a inclusão de Hotter Than Hell, Lick It Up e tendo a faixa de abertura Crazy, Crazy Nights.  O cd praticamente não foi distribuído e até hoje consiste de uma raridade no catálogo da banda, ainda que perfeitamente dispensável. 

Apesar de rara, Greatest Hits não oferece nenhum atrativo ao possuidor da discografia da banda.

E é justamente em Londres, no dia 05/07/97 que a turnê termina, tendo sido feitos um total de cento e noventa de dois shows e arrecadado cerca de 143,7 milhões de dólares, ambos recordes indiscutíveis em toda a carreira da banda.  Um documentário chamado The Second Coming é lançado em dvd posteriormente e cobre todo este período, desde a participação do MTV Unplugged e Grammy Awards, os ensaios iniciais, a turnê propriamente dita (contendo inclusive o vídeo Shout it Out Loud filmado no Tiger Stadium) e termina trazendo a idéia do próximo lançamento, PSYCHO CIRCUS, que será o assunto do próximo post.   

A banda ao vivo em uma foto de Greatest Kiss.

 N.R: É lógico que um fã mais assíduo do KISS normalmente não vai achar nada interessante ver uma nova coletânea ser lançada.  Desta forma, ambos os trabalhos aqui dissertados não foram algo que nos agradasse. Em questão de preferência, o álbum YOU WANTED THE BEST, YOU GOT THE BEST!!  é mais interessante que o seu sucessor pois contém quatro faixas inéditas. Em relação a estas faixas, algo óbvio pode ser notado, pois a qualidade de gravação das três primeiras faixas se assemelha muito mais as gravadas no ALIVE III do que as de seu contemporâneo KISS ALIVE!.  Isto até este momento nunca foi admitido, mas muito provavelmente essas músicas foram gravadas em estúdio com adição de platéia para trazer o clima “live”. O estilo de cantar de Paul Stanley é muito próximo com o do ALIVE III, o som da bateria nada tem a ver com o das músicas do KISS ALIVE! – é necessário apenas um pouco de audição mais apurada para se constatar isso. 

Em relação a Take Me, é provável que o vocal tenha sido refeito, mas o restante deve ser quase totalmente o originalmente gravado em 1977.  De qualquer maneira, as quatro faixas valem a aquisição do álbum, que também pode ser elogiado pela arte gráfica, como os acrílicos coloridos utilizados no lugar dos transparentes que normalmente estão no cds. A entrevista (KISS Tells All (with Jay Leno)) é até interessante, mas preferimos um álbum exclusivamente com músicas em seu conteúdo principal. Quanto ao GREATEST KISS, muito pouco podemos escrever: de novidade, apenas a versão “live” da Reunion Tour de Shout It Out Loud.  Como curiosidade, a versão de Detroit Rock City que abre o álbum foi pinçada da outra coletânea DOUBLE PLATINUM e só: muito pouco para agradar um fã mais presente. 

É bastante compreensível, no entanto, o lançamento destas coletâneas: A banda encontrava-se muito atarefada com a maior turnê de sua carreira, e a gravadora precisava manter a “caixa registradora” funcionando.  Aliás, em relação a turnê, só verificamos comparação em números com a “WORLD SLAVERY TOUR “, que o Iron Maiden fez durante os anos de 1984 e 1985.  A diferença (favorável ao Maiden) é de exato um show, o que dá uma dimensão de quanto de condicionamento físico deve ter sido exigido desses senhores então na faixa de seus 45 anos ou mais. Ace e Peter (com 51 anos completados em dezembro de 1996) evidentemente sofreram muito mais, pois já não mantinham o mesmo ritmo de trabalho de 16 anos antes, estando notavelmente em outro ritmo se comparados a Gene Simmons e Paul Stanley, isso é algo bastante claro na turnê. Podemos ver em qualquer destes shows do Kissology acima mencionados um Peter Criss bastante econômico e um Ace Frehley cometendo muito mais erros do que no início da carreira. O dvd  The Second Coming é de apreciação obrigatória para quem quer entender o que foi esta Reunion Tour, da enormidade dos números a incorporação cênica que os avanços tecnológicos puderam trazer ao espetáculo visual do KISS quase 20 anos depois do auge de suas carreiras. Na parte musical nos agrada bem mais músicas que trazem a momento mais visceral do KISS no inicio de carreira, como as intervenções muito criativas de Ace Frehley em Let me Go, Rock’n’Roll ou 100.000 years, em nossa opinião os pontos altos dos shows. È importante ressaltar que o prometido fora cumprido: A banda retornou fazendo um show que não deixou nada a desejar em relação à fase áurea da carreira, ainda que quase vinte anos depois. Talvez influenciados pelo retorno da dupla Page & Plant alguns anos antes, o sucesso desta turnê do KISS viria a talvez também influenciar alguns retornos nos anos que seguiriam, como o Black Sabbath , o Van Halen e a volta de Bruce Dickinson e Adrian Smith ao Iron Maiden. E para manter a alta lucratividade dos mascarados, nada melhor que um novo álbum com a formação original e nova turnê milionária (que acabaria trazendo o KISS pela terceira vez em nossas terras).  Detalhes deste novo capítulo estarão por aqui na semana que vem, até lá!

Alexandre Bside e Flávio Remote



Categories: Alice in Chains, Artistas, Cada show é um show..., Curiosidades, Discografias, Entrevistas, Kiss, Resenhas

11 replies

  1. Muito legal o post , essa época ai foi de euforia pra mim, pois estava realizando um sonho de ver o KISS original, e vivi intensamente esse momento.
    Quanto aos Cds , eu tenho o You Wanted The Best e o Greatest Kiss. esse post me motivou a ouvir novamente , só posso dizer que acho muito legal o material, mesmo com pouca coisa inédita , quanto as faixas ‘ao vivo’ do Cd, ‘Room Service’, Two Timer’ e ‘Let Me Know’ eu sempre achei elas totalmente ‘fake’ , com certeza foram regravadas em estúdio, pois o som nada tem a ver com o que a banda soava naqueles tempos (70’s).

    AH, sobre as fotos do meu Kiss Unplugged em vinil, eu não tive como entrar antes, pois nessas festas meu tempo ficou todo bagunçado, mas esse final de semana eu tirei as fotos dele e mais algumas outras raridades que tenho aqui , gostaria de saber como eu faço pra enviar pelo email.

    abraço e um ótimo 2010 pra todos “”””

    Like

    • Olá Bill, obrigado pelos comentários por aqui. Vou te mandar um e-mail para ajudar no recebimento certinho das fotos que você tirou e enviar para nossos camaradas BSide e Remote para a devida atualização dos posts. Muito obrigado novamente!

      Remote, BSide, se quiserem fazer de outra forma, é só falar.

      [ ] ‘ s,

      Eduardo.

      Like

  2. Belo post, pra variar!
    Também não conheço estes albuns. Mas, vou atrás das inéditas, pra conhecer.
    Estou curiosíssimo pra ver o próximo post, do Psycho Circus!

    Abraços.

    Like

  3. O Psycho Circus é o próximo post, é só aguardar,Marco…
    Remote,olha só a responsabilidade !!!!!!!!

    Like

  4. Eduardo, acho que a melhor forma é esta mesmo , nos mandar as fotos, em especial para o Remote, que tem sido o responsável pela árdua tarefa de fazer a coisa acontecer no mundo da informática, e atualizaremos o post com essas valorosas contribuições do Bill.
    Aliás, aproveito mais uma vez para agradecer as palavras elogiosas que todos acima nos encaminharam

    Alexandre Bside

    Like

  5. Olá B-Side e Remote,

    O que signica “passagem de som”, mencionado por vocês anteriormente sobre músicas dos ALIVEs que seriam “passagens de som com adição de som de platéia”?

    Abraços e

    I Believe in Rock n’ Roll!

    Like

  6. Rafael,mais uma vez muito bom ter seu comentario por aqui.
    Em referência às passagens de som que transformam-se em músicas ao vivo, um exemplo claro do que estamos tentando colocar nos posts pode ser visto e ouvido na versão de I want you que está na coletânea quintupla do Kiss ,o box-set.
    Se você puder apreciar,vai entender bem a questão,pois coloquemos algumas palmas no fundo da gravação e teremos certamente uma versão ao vivo que pouquíssimas pessoas poderão questionar sua veracidade.

    Várias dessas versoes que foram gravadas em passagens de som tiveram esse objetivo, ou seja, eventualmente figurar como músicas ao vivo em álbuns da banda .

    Um abraço,

    Alexandre

    Like

  7. Entrevista com Ace Frehley abordando mais ou menos esta época, as recentes colaborações com Stanley e também as claras intenções e esperanças de retornar ao Kiss:

    Fonte: http://www.blabbermouth.net/news/ace-frehley-my-kiss-highlights-video/?utm_source=feedburner&utm_medium=feed&utm_campaign=Feed%3A+blabbermouth+%28Blabbermouth.net%27s+Daily+Headlines%29

    [ ] ‘ s,

    Eduardo.

    Like

Trackbacks

  1. Ace Frehley e Peter Criss não se apresentarão com o Kiss no Rock and Roll Hall of Fame « Minuto HM

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: