Cobertura Minuto HM – U2 em São Paulo (9/abril/2011)

Quando da venda dos ingressos do U2 pela internet, após inúmeras dificuldades para conseguir acessar e comprar as entradas, fui vencido pelo cansaço. Cansaço e revolta em novamente presenciar o mal dimensionamento da estrutura de venda e outros detalhes sempre muito bem abordados, debatidos e explicados por aqui.

Porém, como uma boa família italiana que aprecia e muito o rock, felizmente tenho primos que não se deixaram levar pelo cansaço no dia da venda e desta forma, puderam conferir de perto todos os adjetivos do primeiro show de São Paulo.

Segue o emocionado relato na íntegra:

“ O show de sábado foi o melhor que já vimos, isso porque já assistimos a Rolling Stones, Roger Waters, Metallica, Iron Maiden, Paul McCartney, dentre outros. Essa opinião era de todos que estavam conosco, dessa vez nosso grupo era reduzido; apenas 7 pessoas. O restante do pessoal ia assistir ao show do domingo.

Decididamente valeu a pena ficar até 2 da madrugada na internet para a compra dos ingressos. Valeu cada minuto de cansaço, cada sorriso, cada lágrima. Sim, porque parecíamos crianças. Nos emocionamos demais e choramos feito os pequenos.

Para nós, que já estamos na casa dos 40 anos, as músicas que mais marcaram foram as mais antigas como I Will Follow, I Still Haven’t Found What I’m Looking For, Sunday Bloody Sunday, Where The Streets Have No Name e With or Without You.

Sentimos falta de ouvir Pride (In The Name of Love), mas mesmo assim valeu, valeu, valeu. Mais do que um show, o U2 fez um apelo pela paz. Foram quase 90 mil pessoas cantando a uma só voz durante pouco mais de 2 horas.

O visual do show é impecável e único.

Mesmo ontem à noite, 24 horas após o show, ainda estávamos em estado de graça e relembrando momentos do show. Esperamos muito tempo por essa oportunidade e seria injusto citar um momento ou outro, o show todo foi de arrepiar. A chuva não atrapalhou, o “Cara Lá De Cima” colaborou e pudemos aproveitar muito.

Ouvir Bono Vox narrando quais eram as pizzas favoritas de cada um dos integrantes da banda foi hilário. Logicamente, não podíamos esperar outra atitude deles: havia tradução simultânea no telão para que todos pudessem acompanhar enquanto ele interagia com o público.

O formato do palco e a simpatia de todos eles colaboram muito para que o público todo se sinta respeitado e esperado. Não temos críticas a fazer, talvez tomados pela emoção que sentimos, mas para nós foi simplesmente perfeito. “

Além disso, o show ainda contou com homenagem aos estudantes mortos na chacina de Realengo (exibição dos nomes de todos no telão cilíndrico), homenagem também à ativista de Mianmar Aung San Suu Kyi, Prêmio Nobel da Paz libertada no fim de 2010 após 20 anos presa, além de cruzar referências como Beatles e David Bowie, AIDS e pobreza.

Após o setlist, link para os vídeos do show, já publicados inclusive no Whiplash.

Setlist:

Intro:

“Trem das Onze” (Demônios da Garoa)

“Space Oddity” (David Bowie)

 

“Even Better Than The Real Thing”

“I Will Follow”

“Get On Your Boots”

“Magnificent”

“Mysterious Ways”

“Elevation”

“Until The End Of The World”

“I Still Haven’t Found What I’m Looking For”

“Stuck In A Moment You Can’t Get Out Of”

“Beautiful Day”

“In A Little While”

“Miss Sarajevo”

“City Of Blinding Lights”

“Vertigo”

“I’ll Go Crazy If I Don’t Go Crazy Tonight”

“Sunday Bloody Sunday”

“Walk On”

Encore 1

“One”

“Where The Streets Have No Name”

Encore 2

“Hold Me, Thrill Me, Kiss Me, Kill Me”

“With Or Without You”

“Moment of Surrender”

Cobertura by: Bete e Joel!

[ ]’s

Julio



Categorias:Artistas, Cada show é um show..., Curiosidades, Resenhas, Setlists

3 respostas

  1. Em primeiro lugar, gostaria de dar as boas-vindas para a Bete e Joel, considerando que o Julio já é um dos nossos amigos sempre resenhando por aqui.

    Sobre o show, confesso que o U2 não é uma banda de minha apreciação, porém entendo perfeitamente a emoção sentida por vocês em um show. Realmente é impressionante, principalmente na questão visual, o que a banda traz em cada um de seus shows. Tive a oportunidade de ver um show desta tour 360º, o da California, disponível em DVD / blu-ray, e vi pelo canal Multishow HD. Aquele palco é algo sem precendentes e incomparável, mesmo com outros artistas que trazem grandes espetáculos visuais, como Madonna, Kiss, Rolling Stones, etc., acho que a Madonna chega a ser comparável, mas mesmo assim, está um nível abaixo em termos de produção visual, em minha opinião.

    Minha única observação sobre essa passagem da banda pelo país, e esse é um recado não para vocês ou para o blog, e sim para a mídia especializada, é que até agora não li nenhuma resenha que traga algo mais específico sobre a performance MUSICAL da banda. Pelo que vi neste show da California, achei o vocal do Bono bastante desgastado, em algumas músicas, ele praticamente “falava” as letras da música. Entretanto, não sei se isso é algo pontual ou se ele realmente está assim mesmo – em comparação (em termos de desgaste), é como o de Paul Stanley, do Kiss.

    Entretanto, como não sou fã e pouco acompanho, não tenho condições aqui de expor uma opinião melhor que esta, e isso que gostaria de ver da mídia especializada, ou seja, dos grandes portais.

    Muito obrigado por usarem o Minuto HM como canal para o texto de vocês e continuem conosco, aproveitando o espaço. Gostei bastante do relato de vocês e é exatamente este o propósito deste blog, trazer coisas deste tipo.

    [ ] ‘ s e até uma próxima!

    Eduardo.

    Curtir

  2. Já vi 2 shows do U2 e “esgotei” um pouco minha cota. rs.

    Mas se tocarem isso na 4a. feira, vou me arrepender de não ir:

    Essa música tem um dos riffs mais sensacionais do rock.

    O fato do Bono ter mudado daquela fase messiânica dos anos 80 para uma fase “ONG” no novo milênio, comprova mais ainda que pra mim, a melhor fase da banda, é a de Achtung, Baby no início dos anos 90. Esse álbum entra pra mim em qualquer lista de 10 melhores do rock. Fácil. Era uma fase “rockstar” do Bono e eles, de alguma maneira, com esse álbum fizeram algo diferente. Talvez influência (total influência eu diria) da gravação do disco em Berlim, pós queda do muro. Letras, riffs e a turnê Zoo TV são “top class”. O mundo estava mudando e eles perceberam e se adaptaram.

    Talvez o mundo esteja mudando de novo e o Bono esteja certo e eu errado- ou velho, sei lá! – Li por aí que o cara perguntou pra Dilma sobre ficha-limpa… Então ou é muito bem informado ou muito bem assessorado – isso é um mérito perto de tanta gente vazia por aí.

    Curtir

  3. Não que fará QUALQUER diferença para o U2, mas é legal ver a justiça funcionando, ainda que “rápida” como em nosso país (como uma tartaruga manca bêbada) – voltemos à 1998… e o empresário conseguiu… http://musica.uol.com.br/noticias/redacao/2016/12/16/empresario-brasileiro-ganha-acao-de-r-15-milhao-contra-u2.htm

    [ ] ‘ s,

    Eduardo.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d blogueiros gostam disto: