Metallica – A Biografia: Cliff Burton, Jim Martin e o Agents Of Misfortune

Oi pessoal,

Ando lendo por estes dias “Metallica – A Biografia” de Mick Wall e sempre que possível tentarei postar por aqui algumas das curiosidades que surgirem durante a leitura.

Por hoje, um vídeo feito na faculdade de Chabot, onde Cliff Burton estudou música clássica e teoria musical – final dos anos 70, antes de seus anos de Trauma e, claro, Metallica – da Agents of Misfortune, banda formada por Cliff e Jim Martin (que mais tarde viria a ser guitarrista do Faith No More). Este vídeo foi feito em decorrência de uma audição da banda para a Batalha das Bandas do Departamento Recreativo de Hayward.

O som é composto basicamente por bastantes improvisações e distorções, com Jim Martin chegando, inclusive, a usar um arco de violino em sua guitarra. Mas o mais interessante de se notar são trechos que mais tarde seriam utilizados no Metallica como um pedacinho de Anesthesia e a clássica introdução de For Whom The Bell Tolls (por volta de 11m27s) além, claro, da famosa presença de palco de Cliff balançando a cabeleira sem parar.

Segue o vídeo:

Abraços,

Su



Categories: Artistas, Curiosidades, Faith No More, Músicas, MetallicA

19 replies

  1. Su, post muito legal! Engraçado eles falando que já tinham conseguido o “objetivo” deles no torneio de bandas, hehehe, além da vontade de tocar em arenas, não em clubes… e as influências: Rush, Pink Floyd e “a little” Black Sabbath…

    O vídeo do post é uma viagem a outra galáxia, não há como definir muito diferente disso… e sim, ali está o que viria a inspirar as versões de (Anesthesia) Pulling Teeth, que sairia já no primeiro álbum, e a semente para a terceira faixa do segundo álbum da banda, hehehe.

    Sem dúvidas, ficamos aguardando próximos posts de curiosidades tão legais como estas conforme você for avançando na sua leitura.

    Para complementar apenas, o YouTube indicou este vídeo relacionado, para quem quiser curtir mais Cliff Burton lá no Trauma, banda com outro estilo do que viria a ser o MetallicA: um pouco mais, digamos, “poser”, mais “Alice Cooper” sem muito terror, sei lá, hehehe.

    Tracklist do vídeo:



    1. I Am the Warlock
    
2. Woman Be Gone
    
3. Bringing Down the House + solos

    Inclusive, coisas visuais meio “ridículas” do Trauma fizeram com que Cliff não fizesse muita questão de ficar por ali, por já estar cansado de coisas como mulheres amarradas no palco, etc. Cliff era um cara da música – apesar que o som do Trauma, pelo menos para mim, agrada e tem qualidade.

    Já este vídeo abaixo traz Cliff e um pouco de (Anesthesia) Pulling Teeth de novo, com um final super acelerado:

    R.i.P., Cliff Burton. Gênio.

    [ ] ‘ s,

    Eduardo.

    Like

    • Sensacional o comentário, Du! Melhor que o post 🙂
      Os vídeos são muito legais. Também curti o som do Trauma, apesar de ter ficado com um pouco de vergonhinha com toda a “encenação” no palco. E parece que Anesthesia já estava há muito tempo na vida do Cliff, bem antes do Kill ‘Em All mesmo!

      E realmente o visual meio poser do Trauma, com dançarinas no palco e névoa de gelo seco, incomodava bastante Cliff. Segundo o livro de Mick Wall, o Trauma tinha o objetivo de atrair um público mais amplo com estas encenações e um som um pouco mais comercial. Este fato e mais a mudança do Metallica de Los Angeles para São Francisco foram que motivaram Cliff a ceder ao constante assédio de Lars em se tornar o baixista do Metallica.

      Like

  2. Esse livro é sensacional mesmo….E o vídeo pré-Trauma é algo que nunca tinha pensado em ver , parabéns pelo resgate, Suellen. Em relação ao Trauma, vale para entender com o Cliff já era alguém diferenciado numa banda meio estranha,para dizer o mínimo.]

    A perfomance pré Trauma é de uma loucura poucas vezes vista e muito interessante para encontrar embriões do que seria a vida do Burton no Metallica .

    O livro também traz alguma das respostas de certos questionamentos feitos inclusive no último podcast, mas eu vou deixar isso pra quem não descobriu do que estou falando em suspense …

    Em relação à discografia , deixa pra lá….. vou guardar minha energia para o próximo mês, no vindouro podcast..

    Alexandre

    Like

    • Podcast? Opa, ganhei uma mês de folga… 🙂 . Falando nele, logo mais vamos marcar uma data, B-Side.

      [ ] ‘ s,

      Eduardo.

      Like

    • Realmente Cliff era um cara diferenciado até mesmo dentro do Metallica, com suas calças boca de sino e tocando baixo com se fosse uma guitarra hehe

      Agora sobre questionamentos feitos no podcast, não me recordo… Dá uma dica aí, Bside, por favor! 🙂
      Ainda estou no lançamento do Kill ‘Em All.

      Like

      • Algumas coisas são realmente muito engraçadas… em várias oportunidades ao-vivo, é muito legal ver, por exemplo, o Hetfield olhando para o Cliff pensando: “what the f*** is he doing?”. Era uma coisa genuína mesmo, nada forçado, olhando e admirando o talento dele…

        [ ] ‘ s,

        Eduardo.

        Like

      • Suellen, se você está no lançamento do Kill ‘Em All, bem, não tenho certeza, pois não tenho o livro em mãos , mas acho que você já passou pelo assunto. Tenho quase certeza….

        Alexandre

        Like

  3. Pessoal, saiu hoje, 16/04/2012, no Whiplash uma matéria do autor ‘Nacho Belgrande’ claramente “inspirada” neste post aqui do Minuto HM. Segue o link para quem quiser conferir a “homenagem” http://goo.gl/fb/YJA7F

    E aí, B-side, Remote e demais, isso é um caso de estranhas ou simples coincidências, Inegáveis influências ou consagrados plágios?

    Like

    • Bom, a curiosidade foi inspirada pela sua leitura do livro, não é um caso onde o autor viu a nota em sites gringos e publicou no Whiplash, como é a maioria das notícias que saem por lá. A curiosidade saiu da sua leitura, Su, que foi procurar o vídeo e fazer o post.

      O post está excelente e eu, como de costume, fui ao Whiplash para divulgá-lo, melhorando a qualidade por lá, que anda difícil (ponto bom para eles) e ajudando a possivelmente trazer pessoas legais para cá, MInuto HM (ponto bom para nós).

      Nosso post, hoje, 16/abril/2012, continua na fila de espera para análise / publicação. Para deixar claro: quando enviei o nosso post para lá, ESTA MATÉRIA “INSPIRADA” NÃO ESTAVA NA FILA. E nosso post saiu por aqui na quarta-feira, dia 11/abril/2012.

      Aqui a mancada é generalizada: do autor, que sim, não há dúvidas, copiou nosso post sem ao mínimo sinalizar a fonte (se tivesse sinalizado, eu estaria DESTACANDO POSITIVAMENTE aqui, como sempre faço a quem publica nossos materiais e eu fico sabendo) e do Whiplash, que publicou a matéria copiada da gente (isso eles não tem como saber, mas deveriam ter seguido a fila deles).

      Não tem nada de simples coincidência ou inegável influência aqui…

      Really disappointing…

      [ ] ‘ s,

      Eduardo.

      Like

      • Desapontante mesmo… Não vejo problema nenhum em se escrever um post baseado em algum outro que se tenha visto por aí. Nós mesmos fazemos isso por aqui, sempre tentando dar um toque pessoal, uma opinião ou qualquer outra coisa que agregue valor ao post mas sempre citando a fonte para não desmerecer o trabalho original.

        Da maneira como foi feita no Whiplash, claramente foi uma cópia porque é muito difícil que duas pessoas tragam à tona um assunto que nem é uma notícia badalada que está sendo comentada em todas as mídias no momento como o Guns N’ Roses no Hall Of Fame, para citar um exemplo. É uma curiosidade que foi trazida após a leitura na biografia do Metallica.

        Até dei uma pesquisada depois no próprio Whiplash e lá existe um post de 2009 sobre o mesmo assunto, de outro autor mas com links para vídeos que nem existem mais no You Tube. Achei que tratava-se de uma repostagem, como eles costumam fazer mas não foi o caso. A matéria foi publicada hoje mesmo. Triste ver um site que acompanhei por muito tempo na minha vida perdendo a credibilidade deste jeito.

        Like

        • Sim, claro, eu sempre faço questão de ressaltar por aqui no blog quando nossas matérias são usadas. É uma honra. Mas assim, é o oposto, um desrespeito com o autor (você), com o Minuto HM e com os leitores daqui e de lá.

          Eu também acompanho o Whiplash há muito tempo, na verdade, desde sempre (1996). É lamentável.

          [ ] ‘ s,

          Eduardo.

          Like

    • Endosso o coro, no mínimo deselegante….

      Like

    • Su e galera, bom, finalmente a matéria saiu da fila do Whiplash e foi publicada por lá: http://whiplash.net/materias/news_840/153072-metallica.html

      [ ] ‘ s,

      Eduardo.

      Like

  4. Aos interessados, além de ter deixado um recado na matéria copiada, também acionei o link de reportar “erro” na matéria. O Whiplash foi rápido na resposta para mim:
    ______________________________

    “Olá… realmente houve um erro na publicação da nota do Nacho antes da enviada por vocês. Checarei com os editores o motivo para que não se repita.

    Quanto a fonte usada pelo Nacho, infelizmente não podemos confirmar. Sugerimos entrar em contato direto com ele para checar e pedir a alteração. [E-MAIL DO AUTOR REMOVIDO]

    mas valeu pelo toque… vamos tentar melhorar.

    Ass: Equipe Whiplash!”.
    ______________________________

    Legal ter recebido um retorno. Não resolveu o ponto, mas bom ver que entenderam, pelo menos, nossas considerações.

    [ ] ‘ s,

    Eduardo.

    Like

Trackbacks

  1. Minuto HM na Califórnia: Whisky A Go Go, The Roxy Theatre, Sound Check Hollywood e mais da Sunset Blvd « Minuto HM
  2. Discografia MetallicA – parte 6: [Pré-MetallicA] Cliff Burton | Minuto HM

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: