Mob Rules x Mob Rules

Galera,

Parafraseando a música do Accept (Fast As A Shark) gostaria da opinião de vocês – porque dessa vez estou estancado no muro.

Sutis diferenças, mas qual é a melhor versão?

Original:

Pré Original:

E a referência para entendimento da existência das duas versões pode ser vista aqui.

Salute

Remote



Categories: Black Sabbath, Curiosidades, DIO, Músicas, Pesquisas, Trilhas Sonoras

16 replies

  1. Bem, é uma tarefa difícil essa… Isso por que a canção é sensacional, qualquer das versões, se conduzidas por esse dream team do metal, não tem defeitos. Vou começar pelo comentário mantendo-me em cima do muro para deixar claro, que entre as duas versões acima, prefiro uma terceira…..

    Mas, ok , o propósito do post é de escolher entre uma das duas de estúdio. O que percebo é uma evolução nas gravações do que foi inicialmente gravado na trilha sonora para o que ficou eternizado no excelente álbum de 81. A mixagem final ( a do álbum do Sabbath) traz detalhes mínimos em relação ao cuidado com o vocal , mas a grande diferença está nos solos de Iommi. O final da versão embrionária, que entrou na trilha sonora do filme, é um retrato do estilo de Tony, majestoso. O solo principal desta primeira versão é mais lento, interpreto como se Iommi ainda estivesse trabalhando o solo, mas já aqui tendo uma versão bonita de seu momento principal, trazendo linhas mais lentas.
    O solo se desenvolve em um pouco de rapidez para a versão definitiva do álbum de 81, e eu , pra não ficar em cima do muro, escolho a versão do homônimo álbum como a minha preferida entre as duas.Mas ainda considero a definitiva a do Live Evil, uma banda em excelente forma e registrando um momento histórico daquela formação.

    Marca aí, então: No placar, 1 x 0 para a versão do álbum

    Alexandre Bside

    Like

    • Uma boa defesa – realmente a diferença se percebe mais nos solos de Iommi, mas eu gosto muito da entrada do 2o solo na pré original. Diria que o primeiro é melhor no original e o 2o no pré-original onde ele inclusive “brinca” mais com o efeito do eco.
      Reparei no vocal (1:05) ->… you burn your fingers and lose your hold of the flame, Yeah – gosto mais na pré , enquanto na original além desta interpretação que prefiro, Dio coloca um Oh (ao invés de Yeah),mais uma sutil diferença.
      Acredito que a sensacional bateria de Vinnie Appice sobressai mais no mix da pre-original, principalmente o bumbo, e há uma virada muito legal em 2:11, mas antes do 2o solo, tem uma virada na original (2:23), que não tem na pré. Tem uma levada nos pratos (ride) em 3:00 na pré, que não tem na original e em seguida mais uma viradas (3:05) é bem legal…
      Tem Dio cantando mais um depois de You´re all fools -> “The Mob Rules (2:38) na original, complementando o 2o solo, e isso me traz novamente a dúvida…
      É impressão minha ou diria que a original parece ter mais guitarra, enquanto na pré-original o som está mais grave?
      E tem mais coisa que peço se puderem, apontarem aqui..
      O muro continua…

      Like

  2. Coloca aí, 2×0 para original.

    Sem mais.

    Daniel

    Like

    • Daniel, rápido no gatilho e sem mais delongas entrega o 2 x 0 – abrindo vantagem para a original, diria que numa disputa em nível tão acirrado, talvez não tenha mais “come back”…

      Like

  3. Poxa, desta vez o remote foi a fundo no detalhismo. A música é “off the charts”, sensacional e é um prazer ouvi-la e reouvi-la. Concordo com o Remote quando diz que a versão para o filme parece um pouco mais grave, o que ressalta o trabalho de Mr Butler sem apagar em nada o trabalho dos outros. Porisso, votaria na versão “pré-original”.

    Like

  4. “A melhor é a que está tocando”…
    “A melhor é a que está disponível”…

    Assinado, Eduardo “The Wall”.

    Brincadeira, vai…

    Bom, excelente o desafio, eu acho pontos fortes nas duas versões, mas encaro a versão da trilha sonora como talvez um dos mais luxuosos “rascunhos” (sem querer ser pejorativo, pelo amor de Deus) do heavy metal.

    A voz de Dio na versão do disco homônimo é mais apurada e definitiva, mas realmente o que muda nas versões são os solos, estes sim me deixam no modo “The Wall”, mas mesmo assim prefiro a versão mais conhecida do álbum de 1981, ainda que goste da entrada do solo como disse o Remote e também da dobra que existe (vocês sabem que eu gosto de uma guitarra dobrada estilo Iron Maiden)… os detalhes de bateria são interessante, mas talvez estejam melhor “trabalhados” na versão final também…

    Bota aí no placar: 3 a 1 para a versão do álbum, e quem dá a saída de jogo novamente é o autor do post…

    [ ] ‘ s,

    Eduardo.

    Liked by 1 person

  5. Tentei votar
    Mas não rolou
    Eu vou de versão original

    Liked by 1 person

  6. Então estamos 4 X1 – mas vou me posicionar – não vou esperar até a 3a do Rolf.
    Eu gosto mais da primeira – gosto mais da bateria e baixo mais ressaltados e o solo, ainda que em fase embrionária. Quanto ao Dio X Dio nas duas, fico com qualquer uma.
    Aqui não tem erro, é escolher ou ouvir uma ou outra ou mesmo ao vivo, é uma grande aula de Heavy Metal, do monstruoso e irretocável disco de 1981.
    Aliás que fase….
    Ficamos então com 4 X 2, e vale ter trazido o duplo Heavy Metal Movie Soundtrack, que foi comprado pelo simples fato de conter outra versão deste hino.
    Remote

    Like

Trackbacks

  1. Kiss e o Brasil na década de 1980 | Minuto HM

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: