O precursor do recurso “random”: os discos de vinil “multilaterais”

“Multilateral”, “multilaterais” – a primeira dúvida aqui era se as palavras existiam em nossa língua. Sim, existem.

Lendo este artigo do blog do Discogs (marketplace que não deixa ninguém mais em paz há anos – o Kelsei que está curtindo, certo, Kelsei?), me deparei com este interessante texto que, claro, também leva o leitor às compras mas, de qualquer maneira, traz algo que eu particularmente não conhecia: o tal fenômeno dos álbuns multilaterais, ou “multisided records”.

Inicialmente cheguei a fazer – e já o deletei – uma referência apenas como comentário no melhor post sobre vinil da história da internet mundial – esse aqui. Mas entendi que o assunto é legal para se ter um post independente e aguardar os grandes mestres aparecerem e darem a aula: sim, falo dos senhores Remote e, obviamente, da nossa Enciclopédia JP.

E o que seria a tal técnica? Bom, agora há informação de sobra – basta ver aqui. Em geral, uma técnica bastante legal que, ao se colocar a agulha normalmente (na extremidade / borda da bolacha) para iniciar a audição do álbum, o ouvinte é “levado” para alguma das ranhuras, não necessariamente a primeira. Alguns álbuns, inclusive, possuem faixas escondidas “acessíveis” após a insistência de tentar encontrá-las, “aleatoriamente”.

Ainda de acordo com o artigo acima, realmente parece que o álbum de 1973 do Monty Python, o Matching Tie and Handkerchief, é o grande exemplo da brincadeira. Mas no post do Discogs, encontrei e me interessei muito mais pelo Rush ‎– Rush ‘N’ Roulette (1981) – que casou perfeitamente com o momento de ter recebido recentemente o Exit…Stage Left aqui em casa, para alegria minha, dos gêmeos e do Claudio, estou certo.

Mas vamos ver um pouco disso na prática, em um exemplo muito legal que traz mais entretenimento ainda: um jogo que acompanha um álbum para uma brincadeira de apostas, como se fosse de corridas de cavalo, para ver quem acerta o que será tocado e ganha…

Há várias outras “aplicações” deste tipo de técnica para jogos e entretenimento e, como no caso do Rush, para tentar descobrir qual será a “próxima música”. Entendo ser algo que só o mundo veria anos depois, a função “random” que temos nos aparelhos de CD…

Vontade até deu de comprar do Rush ‘n’ Roulette … falta só a coragem$$$$.

[ ] ‘ s,

Eduardo.



Categorias:Artistas, Curiosidades, Discografias, Rush

Tags:

3 respostas

  1. Falando em maluquice… tocando vinil como se fosse um CD!

    Mais fácil comprar um CD player? Mas e a graça da vida? 🙂

    [ ] ‘ s,

    Eduardo.

    Curtir

  2. Bem, tudo aqui é uma maluquice sem fim e bem adequado aos grupo de nerds que habitam esse blog ( não exatamente a minha praia, ressaltemos..).
    Entre os dois projetos de doidos , fico com esse segundo, é uma engenhoca bem interessante, apesar de precisarmos entender que o fato do treco dar defeito vai fazer do dono ter uma novela sem fim para tentar consertá-lo. A não ser que ele seja um gênio como o narrador acima.
    Em relação aos multitracks, sei lá hein….
    Melhor ficar com o Exit…Stage Left e ouví-lo sem parar, na ordem que foi criado.
    Melhor ainda, ouça-o 5 vezes seguidas.
    Afinal, uma obra prima como essa merece no mínimo 5 audições seguidas.
    E definitivamente não precisa de engenhoca nenhuma para escolher qual faixa tocar.
    Todas são maravilhosas.

    Alexandre

    Curtir

  3. Caramba que parada doida
    Essa ai do rush random foi irado! So petardo!

    Curtir

Leave a Reply

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: