Estranhas ou simples coincidências, Inegáveis influências, Consagrados Plágios – Parte 2 (final)

Bom Galera,

Nessa 2a parte estaremos trazendo mais exemplos do que se iniciou post Estranhas ou simples coincidências, Inegáveis influências, Consagrados Plágios – Parte 1.  Neste traremos exemplos mais recentes, mas o início do video é de um caso bem antigo e no mínimo bem curioso.

Segue o vídeo aqui primeiro e depois os comentários.

1) Black Sabbath  e Roberto Carlos (Fred Jorge).

A música é na verdade uma cover da banda, com álbum homônimo, Aynsley Dunbar Retaliation  e foi lançada pelo Sabbath no seu primeiro álbum, o homônimo Black Sabbath em 1970, A música Não Adianta Nada é composta por Fred Jorge e cantada por Roberto Carlos no seu album de 1973.   Eu não sou especialista em Fred Jorge, mas pesquisando, verifiquei que ele compôs muitas músicas (mais de 100) que foram utilizadas principalemente na época da Jovem Guarda, pelos artistas brasileiros do movimento.  Em 1973 a Jovem Guarda não existia mais, e a influência Soul nesta música que Roberto Carlos canta é bem notada (outros artistas traziam este estilo Soul – americano – para a música brasileira, nesta época, notadamente o Tim Maia).  Independentemente do conteudo Soul da música, a melodia é muito parecida.  Não tenho a mínima idéia se Fred Jorge ouvia Rock ou Heavy Metal nesta época e se utilizou-se da música Warning como base para compor esta Não Adianta Nada, mas comparando-se as melodias não há como fugir da caracteristica muito semelhantes.  Então meu veredito é fortemente para plágio.

2) Judas Priest e Anthrax

Aqui um trecho da música Strap it On do excelente álbum do Anthrax – We’ve Come for You All (2003) – que eu recomendo – e que tem uma parte (guitarras) extremamente parecida com a música Love Bites do excelente álbum Defenders of The Faith (1984) do Judas Priest. Claramente o Anthrax é uma banda que é influenciada pelo Judas Priest, então aqui nesta música há a tal aproximação que não parece ser intencional, mas que parece pacas, novamente parece.  Desta forma vou considerar Clara influência, sem ser intencional, é como uma homenagem.

3) Metallica e Iron Maiden.
Aqui a parte parecida que já utilizei na brincadeira do suspiro do Bruce Dickinson no comentario do excelent post do B-side – ETERNIZADAS GRANDES BANDAS, ETERNIZADOS MILIMÉTRICOS EQUÍVOCOS. É a parte onde há um dedilhado em ambas as músicas.  Phantom Lord é pré Kill Em All e aparece na Demo No Life ’til Leather (1982), para posteriormente ser lançada no primeiro album da banda (Kill Em All) em 1983. Revelations aparece no álbum Piece Of Mind também em 1983 e o dedilhado semelhante é inclusive a justificativa para o Bruce Dickinson ter tocado guitarra nas tournês onde a banda tocava esta música.  Existe uma harmonia feita por duas guitarras (Adrian Smith e Dave Murray) e o dedilhado era executado por Dickinson.  Lembro que a guitarra desta música que foi utilizada no Rock in Rio foi o próprio objeto que bateu na testa de Dickinson e abriu aquele pequeno rombo que sangrou durante boa parte da canção.  Em relação a semelhança entre os trechos:  Considero mera coincidência, não acredito que alguém copiou o outro, principalmente pela proximidade das epocas que foram compostas e de ainda não haver uma grande projeção do Metallica como banda que poderia influenciar o Iron Maiden, já que sua composição seria teoricamente mais antiga e original.

4)  Dio e Iron Maiden

Da mesma forma vamos considerar (com mais condolência) o caso Stand Up And Shout x Two Minutes to Midnight.  Dois riffs muito parecidos e a composição de DIO e anterior (1983) ao lançamento de Two Minutes (1984).  Não acredito que houve intenção de copiar a música do DIO pelo Iron Maiden, mas isso é minha opinião apenas. A execução em 2 minutes é um pouco mais lenta do que Stand Up And Shout, mas que os riffs são bem próximos, inclusive no mesmo tom, ah eles são.  Então vou considerar apenas coincidência.

5) A última é a mais polêmica: Iron Maiden e (?????????????)

A música Wasting Love foi composta no álbum do Iron Maiden – Fear of the Dark (1992), por Dickinson e Gers.  Esta música foi muito tocada nas rádios brasileiras, foi lançada com single e é uma das poucas músicas mais lentas, com levada de balada, do Iron Maiden.  Tem apelo um pouco mais vendável e fez muito sucesso.  Este que escreve aqui gosta bem deste som.  Ao me deparar com um indício de plágio com a música Die For Love, fiquei surpreso.  Die for Love seria anterior (1982) e faz parte da coletânea Lovy Metal (2002) – Som Livre.  Depois ao ler a matéria do excelente site Whiplash aqui onde textualmente Marc Ferreira, suposto cantor da música, nega veementemente sua participação na musica, nem cantando, tocando ou mesmo escrevendo, e também afirma achar muito improvável que o Iron tenha feito cópia desta música.  Então a gravadora brasileira Som Livre, em 2002,  lança uma música numa coletânea que se atrela indevidamente ao nome Metal, credita a um artista, que nega sua participação, e ainda para completar é descarado plágio da música do Iron Maiden! O pior é que não achei o verdadeiro autor da música! – é nessas horas que dá vergonha ser brasileiro.  Não são muitos momentos, ainda bem que é somente nessas horas….

Abraços

Flávio Remote



Categories: Aerosmith, Anthrax, Artistas, Black Sabbath, Covers / Tributos, Curiosidades, DIO, Guns N' Roses, Iron Maiden, Judas Priest, Músicas, MetallicA, Nirvana, Pink Floyd, Queen, Resenhas, Rumores, Saxon, Scorpions, Tá de Sacanagem!

59 replies

  1. Remote, desculpe-me pela demora…

    1) Black Sabbath (Aynsley Dunbar Retaliation) vs “Rei” Roberto Carlos (Fred Jorge):

    Em primeiro lugar, até mandei para meu pai e minha mãe, não sei se eles conseguirão ver e ainda comentar por aqui, mas mandei…

    Bom, se isso não é plágio, é no mínimo uma inegável influência… mas meu voto também vai para plágio, se ignorarmos o conteúdo da letra, a sonoridade é praticamente a mesma… aliás, Remote, parabéns por este apontamento, muito legal…

    Aliás, é plágio, estou ouvindo mais uma vez… é plágio… mesmo não tendo certeza que Fred ou qualquer um deste tempo de Jovem Guarda ouvia Sabbath… pelo jeito, ouviram sim… 🙂

    2) Judas Priest vs Anthrax:

    Aqui, como o Remote bem colocou, uma banda que teve influência da outra. Também não vejo como plágio (algo intencional), mas a base bebe mesmo daquela fonte, então eu voto em influência… talvez a palavra INEGÁVEL seja exagerada no caso… mas sim, tem influência…

    3) MetallicA vs Iron Maiden:

    Bom, esta MERA COINCIDÊNCIA (já adiantando minha opinião) é algo que percebi há um certo tempo já, e confesso que percebi sozinho e passei a comentá-la com todos. Remote, você já conhecia antes de eu ter falado no nosso podcast, pelo jeito, né?

    É pura coincidência mesmo. Os tempos de lançamento são muito próximos e em uma época onde não era assim tão fácil ouvir as coisas como hoje. O MetallicA era uma banda ainda em formação e o Maiden já dava seus passos para se consolidar no cenário. Enfim, grandes músicas, grande e adorável coincidência, que lembro cada vez que escuto-as… assim como agora me lembro da tal respirada de Bruce em Revelations… é muita coisa já, não? 🙂

    4) Dio vs Iron Maiden:

    Aqui outro caso que considero coincidência, mas uma bela coincidência mesmo… não acho que chegou a ser influência, pois, mais uma vez, os lançamentos foram muito próximo (eita, que época boa). Mas realmente os riffs são MUITO parecidos, com Adrian mesmo mais lentamente…

    Ai ai ai… que complicado… mas voto em mera coincidência mesmo… ou será que Adrian ou Bruce estavam com ouvidos lá com o patrãozinho? Talvez, seja fosse nos dias atuais, eu votasse em influência… mas fico mesmo com coincidência.

    Que período maravilhoso do heavy metal… era riff e mais riffs saindo pelo ladrão…

    5) Iron Maiden vs FULANO DE TAL

    Sabia que essa apareceria nesta série brilhante do Remote. SABIA que isso não ficaria para trás… se não saísse, eu faria este lembrete, pelo menos…

    Então vamos começar pela conclusão: sim, é plágio, plágio desse “alguém” COM o IRON MAIDEN. Seja quem for que toca e canta nesta música, sim, copiaram Wasting Love. Digo isso pois o texto de “justificativa” do Marc não possui clareza com relação a vários aspectos, como reais datas ou motivos gerais (http://whiplash.net/materias/news_902/052307-ironmaiden.html).

    Vejam estes trechos do texto dele:

    “Anos atrás meu bom amigo Ian Duarte, um dos produtores da coletânea e também baterista da minha banda CARTOON, do Rio de Janeiro, no começo dos anos 90, me pediu uma música instrumental para concluir o CD.”

    Ficam as perguntas: anos atrás QUANTOS E QUANDO EXATAMENTE? QUANDO NO “COMEÇO” DOS ANOS 90? ANTES DE 01/01/1995, pode ser considerado COMEÇO?

    “Por algum motivo ele não pôde usar meu nome na música”

    Qual motivo?

    “Colocarei em breve a música do jeito que deveria soar em meu MySpace.”
    Aqui pode ser um problema meu de não ter achado a música lá, mas não achei. Gostaria de ter o link completo. Apesar que, agora que o tempo passou, já não adiantaria muito…

    “Também notei que meu nome foi usado sem autorização na música “Die For Love”, na qual eu não canto, não toco, e principalmente não escrevi.”

    Aqui não há o que comentar. Nunca saberemos se esse comentário é para se livrar de um possível processo por parte do Maiden ou se é a pura verdade. Então, não posso comentar e ser injusto…

    “Não há notas suficientes para configurar plágio.”

    Tecnicamente, pode não ter mesmo. Não sou músico e não consigo avaliar, deixo esta questão para os músicos aqui de plantão. Mesmo assim, pelo amor de Deus, se tecnicamente não se configura um plágio, então tenhamos bom senso…

    Seria errado este exemplo que darei? Se uma pessoa estiver na beira de um precipício e eu empurrá-la e matá-la (credo), e eu alegar que apenas a empurrei, e não a matei, não tenho culpa no cartório, é isso?

    “O CD é uma piada da Som Livre, que não entende de Heavy Metal, e quis vender para a garotada que está comecando a ouvir o estilo. Um CD sem personalidade…”

    Aqui estou de acordo com o autor.

    “música que gravei de coração foi deformada, estragada e creditada a outras pessoas.”

    Então, pelo texto, concluímos que a culpa é de quem mixou novamente a música trazendo-a para uma sonoridade de uma música que virou sucesso, é isso?

    “Iron Maiden, plagiando? I don’t think so! Bullshit!”

    Certo, certo…

    “Em respeito ao meu grande amigo Ian, um grande músico, produtor, baterista, vocalista e guitarrista… Era seu trabalho. Não o culpo pelo problema de mixagem e printagem do CD, e também não me incomodaria por não ter crédito na música instrumental. O que realmente me incomoda é a música ter sido tão alterada.”

    Tá bom, então de quem é a culpa, afinal? É da Som Livre, é isso?

    Então é isso. De plágio do Iron Maiden, passando por falta de créditos corretos, possíveis mudanças de mixagem e complicações com as épocas de lançamento. O Maiden nunca deve ter se preocupado com isso pois gastaria-se mais dinheiro com o processo jurídico do que tirando dinheiro de fontes que talvez nunca teriam a grana real para pagar.

    Não cabe a nós este julgamento…

    Nos cabe ouvir a tal versão original de 1982, caso seja possível confirmar que a master é realmente desta época. Caso isso apareça, não vejo problema algum em rever tudo que comentei…

    Mas que é um belo de um plágio, tecnicamente ou não, ah, é! Impossível não perceber…

    Para terminar: muito legal o Marc ter se manifestado publicamente sobre a questão, apesar do texto ser, em minha opinião, esclarecedor com tendência apenas para o lado dos “panos quentes”…

    Muito bem adicionada a categoria “Tá de Sacanagem!” a este post…

    [ ] ‘ s,

    Eduardo.

    Like

    • Eduardo,
      Entendi porque você demorou a responder, afinal envolve bandas de sua predileção, era de se esperar que você se interessasse ainda mais neste assunto nesta 2a parte. E você realmente se interessou… se interessou a ponto de fazer um excelente comentário que aprofunda o post ainda mais. Eu concordo com tudo que disse e inclusive já tinha pensado na tal resposta panos quentes, por que não há como provar nada nesta questão Fulano de tal, e é provavelmente de forma proposital é que há tantas dúvidas na tal Die For Love.
      Como este assunto foi colocado no nosso podcast, seria interessante que o Marcus e Renatinho, além do Rolfístico, meu irmão (que sei que vai se manifestar) e Marcos Mustaine também participassem, da minha parte, vou falar com o Mustaine para dar uma olhada. E é claro, como já vi no comentário do 1º Podcast Brazil Rock Society, Aliterasom, Imprensa Rocker e Minuto HM, a Suelen deve também comentar aqui. Aliás as participações de todos são sempre benvindas.
      Estou com outra idéia para um post, mas tenho que pesquisar mais ainda. E talvez traga mais polêmica…
      Abraços

      Like

      • Remote, obrigado…

        Sei que o Rolf estava fora da empresa, provavelmente viajando, não sei como anda a vida dele em relação a estar lendo o Minuto HM ultimamente. Já o Renatinho, que deve estar nos lendo agora por RSS, é um cara que mais lê do que escreve, mandei um mail para ele enchendo o saco. Já o Marcus é um pilantrão, que se envolve com milhares de coisas e meio que nos abandona aqui no Minuto HM. Também recebeu uma cópia do e-mail.

        Sobre você já ter ideia para outro post, é sempre o que é desejado por aqui, ou seja, você, seu irmão e galera postando a vontade… afinal, nunca podemos esquecer como este blog nasceu… e principalmente o motivo dele ter sido criado… por mim, você pode fazer 5 posts por dia, se quiser… 10… 15…

        Agora, take your time para a tal pesquisa que quiser fazer… sem pressão!

        [ ] ‘ s,

        Eduardo.

        Like

  2. Pessoal,

    Antes de começar a comentar preciso esclarecer algumas coisas.
    Não toco nenhum instrumento e sou praticamente leiga em teoria musical. Precisei voltar à parte 1 deste post e reler a definição técnica de plágio pra ver se me ajudava em algo.
    Outro fator muito importante é que sou fã de todas estas bandas que aparecem no vídeo (exceto R. Carlos e o “????????”). Porém, acima de todas, o Iron Maiden é a minha banda do coração! Sendo assim, como a maioria dos fãs do Iron, é muito difícil deixar o sentimento de lado e ser racional e imparcial, mas juro que farei o maior esforço do mundo!

    Esclarecimentos feitos, vamos lá:

    1) Black Sabbath e Roberto Carlos (Fred Jorge)
    Pra ser plágio a letra tambem é levada em consideração ou somente a melodia? Porque considerando somente a melodia, pra mim isso é plágio sim! O Fred Jorge, pegou a melodia da música do Sabbath, deu uma modificada e trocou a letra da música, quem nem o Kiss fez
    no outro post.

    Isso me lembra de uma coisa que acontece com frequencia entre os artistas populares no Brasil. Eles pegam músicas gringas, regravam em português e ganham milhões de dinheiro com isso! Só que nestes casos não é considerado plágio porque deve rolar alguma autorização por parte de gravadora e artistas. São as famosas “regravação” ou “versão brasileira”. As duplas sertanejas são especialistas em fazer isso. Um exemplo que me veio a mente agora é o Zezé de Camargo e Luciano com ‘And I Love Her’ dos Beatles. E para minha surpresa, em uma rápida pesquisa no Google pra confirmar se a regravação de “And I Love Her” era mesmo do Zezé de Camargo e Luciano, vejam o que achei: “A versão dos sertanejos, chamada Eu Te Amo, é original de outro grande nome da música brasileira, o rei Roberto Carlos. O primeiro LP da dupla vendeu mais de um milhão de cópias em todo o país.”
    (http://virgula.uol.com.br/ver/noticia/musica/2010/11/22/262836-zeze-di-camargo-luciano-gravam-versao-dos-beatles)

    O que agora me faz pensar, será que a música do Fred Jorge não foi uma improvável “versão brasileira” da música do Black Sabbath, visto que o Roberto Carlos já tem um histórico de regravações?

    Ainda que não seja plágio e seja regravação, pra mim é lamentável esse tipo de atitude. Uma coisa é você pegar uma música e fazer um cover, com novos arranjos a fim de prestar uma homenagem a uma banda ou artista. Outra é você seguir pela lei do menor esforço e sair fazendo ‘versões’ de músicas estrangeiras com intuito de ganhar dinheiro.

    E desnecessário dizer que, entre as duas, gosto mais da do Sabbath, né?

    2) Judas Priest e Anthrax
    Realmente é muito parecido! Mas outra coisa que me chamou atenção, na música do Anthrax, quando o John Bush canta “Take me, Take me baaaaack… I’m baaaaack…I’m baaack!” em seguida pensei em “I’m back in the saddle again! Im baaack! I’m back in the saddle again!” Anthrax fazendo uma clara homenagem ao Steven Tyler hahaha
    Então meu veredicto é influência do Judas e homenagem ao Aerosmith.

    Aliás, que sensacional vocalista é o John Bush, né? Alguem tem alguma idéia do que ele esteja fazendo no momento?? Está em alguma banda?

    3) Metallica e Iron Maiden
    Naquele vídeo que fizeram pro Eduardo, nem reparei que o que estava tocando no final era Phantom Lord. Pra mim era Revelations mesmo, na parte “Just a babe in a black abyss…” Só quando o próprio Eduardo comentou no post dos Erros Milimétricos sobre a coincidência entre as músicas, que me liguei.

    E Revelations tem se tornado cada vez mais inesquecível, hein! Tem respirada do Bruce, dedilhados de Phantom Lord, boca do Bruce abrindo e fechando mil vezes em “and I waited for the dAaAAaaaWn”, guitarrada na cabeça hahahaha
    Nunca mais vou conseguir ouvir Revelations sem pensar em vocês hahahha 🙂

    Mas meu voto vai para coincidência. Além dos períodos serem muito próximos, naquela época não existia a facilidade de download de música que temos hoje em dia. Acho muito difícil alguem do Iron ter ido lá na Bay Area catar uma cópia da ‘No Life ’til Leather’.

    E entre Phantom Lord e Revelations, fico com Revelations, mas por bem pouco. As duas são sensacionais mas Revelations é uma das minhas músicas preferidas no mundo. Só por isso.

    4) Dio e Iron Maiden
    Noooossa! Que difícil!!! Pra mim ambas as músicas são tão incríveis e marcantes na discografia de cada banda que nunca tinha me atentado a essa incrível semelhança!! E o pior que, durante a minha vida, já ouvi cada uma dessas infinitas vezes!!!
    To rindo aqui, sozinha hahahahahaha

    O quão anterior é o lançamento do Dio em relação ao Iron?

    E mesmo com os riffs sendo muitos parecidos, não consigo cantar, aqui na minha cabeça, 2 Minutes to Midnight emendada com o riff de Stand Up And Shout e vice-versa.

    Posso votar na coincidência de novo? 😀

    E escolher entre qual das duas é melhor é complicado mas fico com o Dio. Novamente, por muitíssimo pouco, mas o refrão de Stand Up And Shout é mais empolgante.

    5) Iron Maiden e “????????”
    Eu ja tinha lido esse texto no Whiplash há alguns anos atrás, e pra mim é quase a mesma coisa que acontece no caso 1, as tais “regravações”, só que neste caso, de forma ilegal por parte do tal do “????????”.
    Um engraçadinho que resolveu ganhar dinheiro “regravando” Wasting Love e que talvez seja o mesmo engraçadinho responsável pela coletânea Lovy Metal.

    E essa “Die For Love” é mais do que plágio ou regravação. Chega a ser uma ofensa ao Iron Maiden e seus fãs. A música é pavorosa.
    Acho que nunca rolou um processo por parte do Maiden, primeiro porque acho que a banda nem deve saber da existência dessa coisa horrorosa, e segundo porque seria que nem chutar em quem já ta morto, não valeria a pena.

    Pra finalizar, Flavio, parabéns pelo excelente post!! Ajudou com a minha insônia durante a madrugada.
    Provável que volte amanhã e reveja algumas coisas que eu tenha escrito aqui, até porque agora já estou com sono e talvez tenha escrito algo sem analisar direito.
    E certamente acordarei amanhã com todas estas músicas misturadas na cabeça hahhahahaha

    Abraços,

    Su

    Like

    • Suelen,
      Dá mesma forma que te tomou um bom tempo para fazer o comentário e apreciar o post, vou comentar seu comentario (sic!) com calma mais tarde. De qq forma muito obrigado pelos elogios e parabens pela paciencia de apreciar os videos.

      Like

    • Suelen, você levantou algumas dúvidas, vou ver se consigo responder:
      1) Pra ser plágio a letra tambem é levada em consideração ou somente a melodia?
      R: A melodia configura plagio sem dúvida. Alias talvez seja o que mais importa em termos de plagio. Quanto a harmonia ou letra – também acho que deve constituir plagio. Como exemplos temos a Baby I´m Gonna Leave You (Letra) e a tal Die For Love (Base ou Harmonia) e a melodia aparece em mais exemplos (Radar For Love X Black Dog – por exemplo)

      2) O que agora me faz pensar, será que a música do Fred Jorge não foi uma improvável “versão brasileira” da música do Black Sabbath, visto que o Roberto Carlos já tem um histórico de regravações?
      R: Olha neste caso acho que a cópia vem do autor da música – que é o Fred Jorge. O Roberto é um intérprete, e apesar de ser uma especie de rockeiro brasileiro no fim da decada de 60, inicio de 70, e ter podido curtir ou ter influência de Black Sabbath. Neste caso acho que ele apenas cantou a composição do Fred. Em relação as versões brasileiras, embora eu não ache recomendável, existem joios no trigo. A maioria das versões é deprimente, principalmente por não respeitar nem a temática lírica da canção original. Mas que existem exceções, existem.

      3)Aliás, que sensacional vocalista é o John Bush, né? Alguem tem alguma idéia do que ele esteja fazendo no momento?? Está em alguma banda?
      R. Eu sou fã do Bush, aliás o Anthrax escolheu muito bem tanto o Belladona, quanto o Bush. Apesar de gostar dos dois, acabo tendenciando para o Bush mesmo. Passei a gostar de vários albuns do Armored Saint, principalmente pelo vocal. Eu recomendo o Symbol of Salvation (1991), Revelation (2000) e o La Raza (2010). Sei que o Bush não está no Anthrax, mas não sei se o Armored voltou à a ativa.
      4) Revelations:
      Revelations (Iron Maiden) realmente nunca mais será a mesma depois do MHM, está cheio de histórias…

      5) O quão anterior é o lançamento do Dio em relação ao Iron?

      Holy Diver (DIO) foi lançado em 25/05/1983, enquanto que o Powerslave (IM) foi lançado em 02/09/1984. Dificil dizer qual das duas eu gosto mais. É empate técnico.

      6) “Die For Love” (Engraçadinho)
      E essa “Die For Love” é mais do que plágio ou regravação. Chega a ser uma ofensa ao Iron Maiden e seus fãs. A música é pavorosa.
      Acho que nunca rolou um processo por parte do Maiden, primeiro porque acho que a banda nem deve saber da existência dessa coisa horrorosa, e segundo porque seria que nem chutar em quem já ta morto, não valeria a pena
      R: Concordo que é uma ofensa, daí o Tá de Sacanagem que botei no vídeo. Realmente nos sentimos ofendidos por esse lixo. Achei muito engraçado o chutar em quem ta morto, realmente não vale a pena. Agora que a estória da tal die for love tá muito mal contada, ah está. E a Som Livre se rebaixa a esse nível – ridículo. Fiquemos com Wasting Love que a que vale.

      Em relação ao post, fiquei com vontade de listar as tais deprimentes regravaçoes ou versões brasileiras. Talvez seja mais um motivo para boas gargalhadas…

      Abraços

      Like

      • 2) Sobre as versões brasileiras, acho que se entrarmos em versões de músicas dos Beatles, seria um post a parte, né? Deve ser a banda que mais tem, imagino.

        4) Sim, nunca mais será a mesma! Hahahaha.

        5) Empate técnico é uma ótima saída neste caso mesmo… é impossível determinar uma preferência.

        Apoio a iniciativa da criação do post das versões brasileiras… mas como sabem, sou horrível neste assunto, então prefiro deixar para os especialistas de plantão e comentarei cada um dos casos, claro.

        [ ] ‘ s,

        Eduardo.

        Like

      • 2 – Concordo que o Roberto Carlos é somente o intérprete, neste caso ele não tem culpa. Fiz uma rápida busca no Google, o Fred Jorge não era somente um dos dos principais compositores da Jovem Guarda. Ele também era especialista em “compôr” versões. Aqui só algumas das que achei(são muitas):

        ESTÚPIDO CUPIDO (Stupid Cupid) (Neil Sedaka – Howard Greenfield / versäo: Fred Jorge)
        MUITO JOVEM (Just Young) (Roberts / versäo: Fred Jorge)
        TÚNEL DO AMOR (Have Lips, Will Kiss In The Tunnel of Love) (Fisher – Roberts / versäo: Fred Jorge)
        BROTO JÁ SABE CHORAR (Heartaches At Sweet Sixteen) (Reid – Kosloff – Springer / versäo: Fred Jorge)
        LACINHOS COR DE ROSA (Pink Shoe Laces) (M.Grant / versäo: Fred Jorge)
        BANHO DE LUA (Tintarella di Luna) (P. de Filippi – Migliacci / versäo: Fred Jorge)

        Eu sempre soube que grande parte dessas músicas eram versões mas não sabia que a maioria era do Fred Jorge.

        3 – Não sabia que o John Bush tinha gravado mais um album com o Armored Saint, depois do Anthrax. Aliás, taí uma coisa que preciso correr atrás. Não conheço o trabalho do Armored. Vou procurar estes álbuns que você citou, Flávio, e resolver essa pendência. Obrigada 😉
        Não sei escolher de quem gosto mais, se do Bush ou do Belladona. Uma vez fiz uma playlist com as músicas que tem naquele Greater Of Two Evils enfileirando primeiro uma música na voz do Belladona seguida pela mesma música na voz do Bush. Não adiantou de nada, só me fez ficar mais confusa hahaha Só achei que as músicas ficam um pouco mais pesadas com o John Bush.

        Like

        • É incrível como são muitas as pessoas que não conhecem o Armored Saint. Da galera do post, apenas eu (que me lembre) já havia ouvido a banda com atenção adequada e já falei mais de 10 vezes para a galera ouvir (acho que já estou sendo até chato). O Symbol of Salvation é sempre o álbum indicado da banda, foi lançado um pouco antes do Bush ir para o Anthrax – é muito bom, e tem aquele som mais Heavy Tradicional. Já o Reveletions marca o retorno do John Bush ´- é mais trash – mais pesado e é excelente – se tiver que começar por algum, comece por este. o La Razza é um bom álbum também, embora prefire os dois primeiros. Tirando a tal de No Me Digas do Revelations, os dois primeiros citados são bons do começo ao fim. Já os lançamentos pré Symbol não me agradam e soam datados.
          Se você gosta do Bush – não tem erro – deve gostar dos que falei aí – vale o investimento de procurá-los e ouvi-los.

          Like

  3. Vamos lá, eu demorei pois nesta época minha vida fica bem atribulada, assim peço considerações ….
    De todos os exemplos acima, acho que quase tudo se encaixa na categoria saudáveis coincidências, seja na dupla maravilhosa stand up and shout- two minutes to midnight, seja no pequeno trecho de riff que o Anthrax acabou por lembrar o Judas, seja na Revelations ( que torna-se candidata a música mais lembrada no Minuto Hm ) misturada com Phamtom Lord.
    Ou seja, esta parte 2 é mais ” inocente” na minha opinião.
    As exceções se referem a copiada do tal Fred Jorge, que deve ter ouvido muito o primeiro álbum do Sabbath e chupou toda a harmonia e melodia da música que fecha o dito.
    O pior sem dúvida é este ” arremedo descarado” da tal Die for Love, que sem dúvida nos deixa muito chateados com a cara de pau que foi copiar Wasting Love , do Iron, lamentável e oportunista até dizer chega!!!
    E pra apimentar uma possivel discussão acerca das regravações e versões ( ou seria aversões) de músicas com letra em português, uma de cara me vem atormentar a lembrança : A famosa “touca” do Yahoo na versão tupiniquim de Love Bites, do Def Leppard. Se ficou complicado entender o que é esta “touca”, peço a todos o sacrificio de ouvir o refrão da tal ” aversão” brasileira .
    Se persistir a dúvida, estou á disposição

    Alexandre Bside

    Like

  4. hahahahahahahahaha
    Yahoo!! como pude esquecer dessa pérola? hahaha
    Eles viviam na Xuxa!!
    Ja saquei qual é dessa “touca” hahahah
    Não vou falar pra não estragar a brincadeira para os demais. =P

    E o Yahoo! tambem tinha uma versao de ‘Angel’ do Aerosmith. “Vem meu anjoooo, venha me salvaaaar!”
    Aliás, se o Yahoo ainda existisse (existe??), em tempos de Google translator, a vida seria tão mais fácil pra eles!!

    Like

  5. Flavio, já li sua resposta mas amanhã volto pra comentar com mais calma, blz?

    Mas só pra deixar registrado, uma lista destas “versōes brasileiras”, sem dúvidas seria muito engraçada!!! Minha barriga tá doendo de tanto rir só de ter lembrado do Yahoo, graças ao Alexandre, aí embaixo hahahaha

    E lembrei agora de mais uma regravação que me deixou com vergonha da minha memória: Starman do David Bowie que virou Astronauta de Mármore, com o Nenhum de Nós.

    Espero conseguir dormir sem ter pesadelos 🙂

    Abraços,

    Su

    Like

  6. Pessoal, botem, por favor, o link da do Yahoo para a galera…

    [ ] ‘ s,

    Eduardo.

    Like

  7. Eduardo, seu pedido é uma ordem : Eu queria achar o videoclip original,não consegui, então segue uma versão mais nova e “live’ do Yahoo, não contando mais com o Robertinho do Recife :

    e a original, do Def Leppard :

    Like

    • Essa era uma idéia para um outro post, mas já que começemos a brincadeira, la vai:

      e a original, precisa dizer de quem?

      e outra (sensacional (sic!!!)

      e original – também nem precisava mostrar

      A lista é interminável – vamos a mais uma –

      ou

      ta bom ou querem mais?

      Like

      • HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA

        MINHA BARRIGA DÓI DEMAIS COM A MÚSICA DOS PATINHOS HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA

        Like

      • Meu anjo azul: que tristeza… ainda com esse sotaque sertanejo, não dá para ser feliz… não consegui ouvir até o fim… o pior é que deve ter muita gente achando que essa música é a oitava maravilha do mundo… “ignorance is blessing”! “Nunca é tarrrdeee… para descobrir um amorr”… “será com taaaaanta luuuzzzz”…

        Comprei um patinho: essa desgraça eu já tinha ouvido / visto em algum programa de humor na TV… isso não é humor, é uma desgraça para a humanidade… coitado do F.M.… chega a ser triste e é um dos exemplos onde dá vergonha de ser brasileiro… “morreu um patinho? 2? 3?” Vai para a casa do #%@#%$%$ !!! “Chora sanfona” e chora Brasil! Aprenda a chorar, por favor…

        Sweet Child O’ Mine: aqui eu faço uma pergunta: não é certo não termos porte de arma? Eu acho certo! Só isso, obrigado.

        Respondendo sua pergunta: tá bom, obrigado mesmo… 🙂

        [ ] ‘ s,

        Eduardo.

        Like

    • Primeiramente, amigos, desculpem pela demora e…

      PELO AMOR DE DEUS! Eu já havia ouvido isso aí em algum ponto da minha vida (esta versão do Yahoo) e, como vocês bem disseram, realmente está bem “tirada”, mas e esta letra? E a tal da “touca”? Concordo com a Suellen com relação a letra, hahahaha. Eu tenho facilidade de esquecer certas coisas que vejo e dou pouca bola… mas agora está aqui registrado… hahahaha.

      [ ] ‘ s,

      Eduardo.

      Like

  8. Honestamente, acho que já deu…Este post tá na categoria Tá de Sacanagem?
    Se não tiver, é preciso reposicioná-lo urgente!!!!
    E perto desses três desastres que o Flávio botou acima, o Yahoo merece até um grammy por melhor (a)versão…Apesar da “touca”, não dá pra comparar com os outros…

    Alexandre Bside

    Like

  9. O post entrou na categoria Tá de Sacanagem dese a tal Die For Love ((fulaninho de tal).
    Agora, se alguém conseguir piorar os exemplos de asassinato musical que boteri – é um desafio, pois as últimas três são o lixo dos lixos.
    Bons pesadelos a todos que ouviram as últimas pérolas….

    Like

  10. Remote (e galera), verei tudo com a devida atenção, mas estou viajando e assim estou andando para cima e para baixo… já vi um trecho do Sylvano Reis e quase vomitei…

    Olharei todos os comentários e possíveis posts sempre que possível e depois com a merecida atenção!

    [ ] ‘ s,

    Eduardo.

    Like

    • Eduardo e Suelen,
      Tudo certo com sua viagem, se tiver coragem para ver as (a)versões é realmente de vomitar. Estava viajando para Tucuruí há uns dez anos quando ouvi a tal anjo azul – que deprè. Já os patinhos, tava na casa da minha sogra e na TV o tal Raul Gil – entram os dois imbecis acima (aliás acho que imbecil sou eu que vi esta P…. e quem ganha dinheiro são os idiotas) e nem tinha com quem comentar como o Freddie devia estar se remoendo no túmulo.
      O tal Silvando Reis – é sem comentários. O Anjo e a Mordida de Amor são igualmente ridículas, com um atenuante de que pelo menos o tal Yahoo se deu o trabalho de tirar a música bem tirada (a tal anjo azul não ta mal tirada – mas os caras são sertanejos e a entonação e breguice do vocal é f…) e tentar ser uma pseudo banda pop rock. Se procurar em forró e os Beatles vai ser uma chuva de pérolas deste tipo.
      A pergunta que fica – será que o Queen, Scorpions, Guns, Aerosmith e Def Leppard ganharam alguma coisa nessa ou mesmo autorizaram essas aversões – acho difícil….

      Like

  11. O trabalho que o Yahoo teve pra tirar a música eles dispensaram na hora de ” compôr” as letras porque alí foi um Google Translator e só.

    E o mais impressionante é que se você for na seção de comentários dos vídeos do Yahoo no You Tube, todos comentam que a música é ótima e tal mas ninguem cita as originais. Ou seja, essa galera nem deve saber que as originais existem!!

    Like

    • Suellen, isso é o que mais acontece aqui no Brasil. O povo cantando “n” músicas dos nossos ídolos lá de fora achando que foi o “artista” brasileiro que criou determinada música! Isso, como comentei, acontece muito fortemente com os Beatles, mas com vários outros também…

      Trarei minha pequena contribuição logo mais abaixo, assim que acabar de ver tudo por aqui. Este post já é histórico por aqui!

      [ ] ‘ s,

      Eduardo.

      Like

  12. Eu concordo que não devam saber das originais. Aliás as originais não fizeram tanto sucesso no Brasil e a massificação do Yahoo na Globo (xuxa e demais) foi impiedosa.
    Eu lembro na época de conhecer a tal mordida de amor, antes de conhecer a original do Def Leppard. Depois vi como era ridicula a cover. Agora perto das outras o Yahoo tá é bom pacas….

    Like

  13. Minha contribuição não vai em linha com as versões brasileiras, mas com o que se ouve quando se vai em “baladas” de som eletrônico (seja dance, house, sei lá o quê…).

    Já vi gente dizendo que “adora” estas “novas” músicas e gostariam de saber quem são os “vocalistas”… vocalistas das versões remixadas, sem saber absolutamente nada dos originais. Sim, é verdade… NADA.

    Seek And Destroy – essa é a que ninguém sabe mesmo, da galerinha da balada. E acham a guitarra super “pesada”, e ficam mexendo a cabeça. Que coisa…

    MetallicA:

    A outra é o remix da clássica For Whom The Bells Tolls para o filme Spawn, que também é conhecida pela galerinha como música do filme e da balada. Cliff Burton deve estar querendo morrer de novo, coitado…

    MetallicA:

    Essa abaixo tem uma história engraçada: lembro-me de estar em uma balada-aniversário e ter bebido as minhas tantas… estava bem mais para lá do que para cá… (eu canso de baladas eletrônicas em questão de minutos, se eu não bebo, acabo indo embora antes de falar “oi” para todos). Me lembro de estar neste estado quando comecei a ouvir isso abaixo… eu não conseguia ouvir… não sabia o que fazia… e acho que continuo não sabendo…

    Pink Floyd:

    Terminando, essa é outra que me lembro de ter ouvido em condições semelhantes à anterior, do Pink Floyd. Ouçam se conseguirem…

    Nirvana:

    Sei que devem existir MUITAS outras, essas foram apenas as que lembrei sem muito esforço e que já ouvi na “night” – e que, infelizmente, ouvi de gente próxima que gostava da música sem saber das originais (novamente: acreditem!) … mas é melhor nem mexer com isso… 🙂

    [ ] ‘ s,

    Eduardo.

    Like

    • Aaaaaaaargh! Minha mente nunca mais será a mesma depois de ouvir estes malditos remixes! Isso porque nenhum deles eu consegui ouvir direto, do início ao fim. Ouvi só uns apanhados, avançando a barra de streaming.

      Se eu tiver que escolher qual o pior entre todos os remixes, acho que é For Whom The Bell Tolls

      E pra contribuir mais ainda com o nosso sofrimento, uma versão remixada de Fear Of The Dark (por que estamos fazendo isso com nós mesmo?)

      remix:

      Iron Maiden:

      Like

      • Acho realmente impossível alguém daqui conseguir ouvir todas essas “coisas” do início ao fim. Viva a barra de rolagem / progresso lateral!!!

        Essa eu nunca ouvi nas baladas. Ainda bem.

        Acho que realmente podemos parar agora… hahahahaha. Acho que não estamos fazendo isso muito para nós, mas para quem sabe alguém que leia isso e não conheça a verdadeira origem das coisas…

        [ ] ‘ s,

        Eduardo.

        Like

  14. E nem rolou Black Sabbath no especial do Roberto Carlos, na Globo… 😦

    Like

  15. bom gente depois de tantos comentários excelentes e tanta coisa legal dita só me resta dizer que todos vocês estão de parabéns por todas as contribuições aqui. Não restou mais nada.
    O marcus Batera de pilant~rão ficou excelente e eu concordo que todos na vida deviam ler este post ao menos uma vez………

    Like

    • Rolf, nada como ter você por aqui, cara… e olha aí… o Remote trouxe aqui o comentário sobre 2 Minutes To Midnight x Stand Up And Shout e você colocou ainda mais pimenta no assunto, trazendo no seu comentário no post anterior (https://minutohm.com/2010/12/05/estranhas-ou-simples-coincidencias-inegaveis-influencias-consagrados-plagios-parte-1/#comment-4359) o que chamou de cópia do riff de 11:58 P.M. da música Flash Rockin’ Man do Accept.

      Vamos então a elas e abrimos assim para mais esta discussão:

      Accept – Flash Rockin’ Man (disco Restless and Wild – lançado em outubro de 1982 na Alemanha e março de 1983 no Reino Unidos e EUA, sendo sua gravação em fevereiro, março e junho de 1982):

      Iron Maiden – 2 Minutes To Midnight (lançado em setembro de 1984, sendo sua gravação iniciada em 1983 e terminando somente em julho de 1984, portanto, DEPOIS do disco do Accept):

      Ooopsss… galera, pensei em ficar entre inegável influência, mas ouvindo algumas vezes o riff, fica difícil… meu voto no momento então vai para plágio do Adrian Smith nos alemães (riff)…

      [ ] ‘ s,

      Eduardo.

      Like

    • Marcus “Pilantrão” Batera comprou um smartphone… pensei que ia começar a participar mais aqui, mesmo que fosse lendo e comentando naqueles momentos, digamos, mais particulares no cômodo frio da casa / trabalho, mas nada, viu… é um pilantra mesmo…

      [ ] ‘ s,

      Eduardo.

      Like

      • Enquanto o pilantrão não se manifesta – aliás temos outro que tb não deu a mínima – o Marcos Mustaine – vou chamar na chincha depois novamente – Srs a coisa ficou feia pro Mr Adrian – mas vou ouvir novamente tudo com calma. Esse post sem o Rolfístico ficaria incompleto. Aliás todos , não é?
        Agora quem ta devendo sou eu – vou ouvir com mais calma tudo aqui e ali (outros posts) pra comentar melhor
        Abraços

        Like

  16. Bom
    Primeiro é inegável que o Rolf sempre contribui com qualidade, sempre impecável seus comentários – e lembrou de uma mais parecida ainda que stand up and shout – a do Accept. Bom assunto encerrado? não, eis que me aparece uma ainda mais parecida e aí ficou dificil defender o Maiden, DIO, Accept sei lá. Mas com o meu coração natalino diria: Os riffs são em uma progressão muito comum, facilmente criada quando brincamos com a guitarra – até afinando pode se “criar” este riff – um caso parecido é Suicide Solution (ozzy) – criada desta forma. Então natalinamente perdôo todos – foi coincidência e salve São Nicholaus.

    Já a parte eletrônica é f…. Que nojo, vômito total – não consegui ouvir mais do que 30 segundos de samplers e samplers e falta de criatividade e será que rolou a tal autorização para uso? Duvido – o Iron, Metallica permitirem este sacrilegio – não acredito. Então meu veredito é que atitudes como estas são lamentáveis e deviam ser punidas e não estimuladas – como provavelmente acontece nas pistas de dança. Bom uma coisa acontece de bom – eu nunca tinha ouvido isso e por talvez por isso nunca tive um ataque cardiaco – e enquanto isso, Curt Cobain, Cliff Burton e Richard Wright estão se remoendo nos túmulos.

    Like

    • Remote, que assim seja… quando vi essa do Riot que coloquei, comecei a ficar (ainda mais) confuso… daqui a pouco chegamos nos anos 50… hahahaha.

      Sobre a parte eletrônica, posso falar que a versão do filme Spawn do clássico do MetallicA não só é sabido pela banda, como aprovado pelo Lars… claro, com as devidas verdinhas em ação. Essa parte do Lars é… triste.

      Sobre as outras versões, a de Seek and Destroy é bastante conhecida entre a turma do (barulho) “som” eletrônico. Acho difícil isso não ter chegado nos advogados de Lars, mas não tenho nenhuma referência de nenhum desenvolvimento deste assunto. O mesmo vale para as outras músicas das outras bandas que coloquei (Nirvana, Pink Floyd…).

      RiP a todos que você mencionou… eles precisam!

      [ ] ‘ s,

      Eduardo.

      Like

  17. Mais um caso, galera… coisas que a madrugada ajudam… 🙂

    Dessa vez, a brincadeira veio do seguinte link: http://whiplash.net/materias/curiosidades/121929-saxon.html

    O texto diz: “Reparem nesta pequena semelhança entre o clássico “Princess of The Night”, do SAXON (a partir de 1:49 até 2:04), e na não menos clássica “Seek and Destroy”, do METALLICA (3:34 a 3:50).”

    Eu acrescento estas relevantes Informações:

    – Saxon: Princess Of The Night é a faixa de abertura do disco Denim and Leather, gravado e lançado em 1981

    – MetallicA: Seek & Destroy está no Metal Up Your Ass, digo, Kill ‘Em All, gravado em maio de 1983 e lançado em julho de 1983. Ou seja, há um intervalo de tempo relevante aqui!

    Opinião: é inegável que realmente são muito parecidas… o MetallicA estava dando suas caras ao mundo, juntamente com a NWoBHM, que o próprio Saxon já estava dando as cartas antes do nascimento da banda americana… já vimos aqui mesmo no Minuto HM que Lars, por exemplo, não nega que é um “produto britânico”, inclusive do Saxon ( https://minutohm.com/2009/04/08/the-sword-tallica-paris-bercy-with-lars-ulrich )… então, fica realmente difícil falar que isso é apenas uma coincidência, não? É, pelo menos, uma forte influência – pelo menos… mas sem ficar em cima do muro: me parece que temos um caso de plágio deste trecho, não? Para mim, está mais do que parecido, logo… é mais do que influência!

    E a opinião de vocês, hein?

    [ ] ‘ s,

    Eduardo.

    Like

  18. Eduardo, isto está virando um transtorno obssessivo compulsivo? Botei a ótima Princess of the Night pra tocar aqui e antes de tentar avaliar sua percepção lembrei do Riff do meio da música The New Frontier, do Dance of Death … Ih, vou procurar um médico…..
    Falando sério, considero a sua percepção , subjetivamente falando, uma inegável influência , mas não chego a considerar plágio não, por mim absolvo o Metalllica . o Riff não é dos mais criativos e bastante básico na execução de músicas do estilo, se procurarmos mais devemos achar em outras músicas tamanha semelhança . O Metallica sem dúvida ouviu muito o Saxon, a conseqûência é esperável. O importante sem dúvida e que tal fato produziu duas músicas excelentes, então vamos absolver o Metallica.

    E a The New Frontier? Antes de ir ao médico, mando o link, ouçam o trecho inicial da Princess e o trecho a partir dos 2:52 da música da Donzela.
    Quando eu voltar do médico, leio os comentários ….

    Alexandre Bside

    Like

    • B-Side, como foi a consulta? O médico é bom? Tem agenda para mim? Hehehehe.

      Será que peguei pesado então como meu querido MetallicA? Tentei ser imparcial pois, como fã, as vezes as coisas ficam mais complicadas de serem vistas. Se você está absolvendo, como músico e enorme entendido, quem sou EU para não absolve-los?

      Sobre este novo caso, cara, esse eu achei apenas parecido… seria uma estranha coincidência, nem sei se encaixaria em influência… pelo menos foi o que eu achei!

      Precisamos continuar o tratamento…

      [ ] ‘ s,

      Eduardo.

      Like

      • Socorro! Me passa o nome desse médico tambem!
        Isso nunca vai ter fim!! hahahahaha
        Vocês estão se tornando os caçadores dos plágios perdidos!! 😀

        Voto tudo em inegável influência (apesar que no caso do Metallica é influência demais!!) ou então vamos acabar todos parando no hospício.

        Like

  19. 2 Minutes to midnight é a campeã!! hehe comparem mais esse vídeo “gravação de 1980”

    Like

    • Olá amigo(a), realmente muito legal essa contriuição que você deu por aqui e o riff é praticamente idêntico ao de 2 Minutes do Maiden, só que datado até bem antes do de Adrian na Donzela.

      Realmente 2 Minutes nesta época é a campeã…

      Continue conosco e obrigado.

      [ ] ‘ s,

      Eduardo.

      Like

  20. Mais um caso envolvendo o Iron Maiden… para mim, creio ser inegável influência, pelo menos…

    Vale a pena conferir:

    [ ] ‘ s,

    Eduardo.

    Like

  21. Em relação ás músicas envolvidas (Life is a shadow do Beckett em 1974 e Iron Maiden em Nomad de 2000), acredito ser inegável influência o trecho citado no Iron Maiden Brasil. Em relação à letra da mesma canção do Beckett , comparando agora à Hallowed be thy name , que me desculpem os fãs de Steve Harris, mas considero algo bem “chupado”. Pra mim, plágio.

    Seguem as letras :

    Life is a shadows ( 2 trechos da letra )

    “Mark my words, my soul lives on
    Please don’t worry cause I’m gone
    I’ve gone beyond to see the truth”

    “When your time is close at hand
    maybe then you’ll understand
    life down there is just a strange illusion”

    Hallowed be thy name :

    “Mark my words, believe, my soul lives on
    don’t worry now that I have gone
    I’ve gone beyond to see the truth”

    “When you know that your time is close at hand
    maybe then you’ll begin to understand
    life down here is just a strange illusion”

    Steve Harris, nesse caso ficou difícil de te defender ….

    E por fim, parabéns ao belo texto do site Iron Maiden Brasil..

    Exemplo de conteúdo de qualidade que esperamos encontrar na internet , assim como o que estamos sempre vendo aqui no blog.

    Parabéns à eles !

    Alexandre Bside

    Like

  22. Bom, galera, vou usar este post por já ter a categoria “Tá de Sacanagem!” devidamente adicionada…

    Que tal esta agora? Nem precisamos classificar aqui isso, certo?

    Fear Of The Dark (Iron Maiden) x Amor/Rubi (Faringes da Paixão – de Recife) – olha, até os 37 segundos da “música” está bom, ok?

    Fonte:

    [ ] ‘ s,

    Eduardo.

    Like

Trackbacks

  1. Tweets that mention A brincadeira continua: plágio por parte de Adrian Smith em 2 Minutes to Midnight x Accept (Flash Rockin' Man)? -- Topsy.com
  2. Tweets that mention Estranhas ou simples coincidências, Inegáveis influências, Consagrados Plágios – Parte 2 (final) « Minuto HM -- Topsy.com
  3. Discografia-homenagem DIO – parte 6 – álbum: Holy Diver « Minuto HM
  4. Emuladores e Clones, por obrigação ou não | Minuto HM

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: