Emuladores e Clones, por obrigação ou não

A famosa Ovelha Dolly

A famosa Ovelha Dolly

O blog já trouxe o tema de coincidências, influências ou plágios em dois posts (este e este) e apesar de não ser um assunto novo em nossas discussões em comentários ou em nossos podcasts, faltava um post por aqui para abordar o tema especificamente.

Então aqui vai: quem são os grandes “emuladores” e “clones” do rock, hard e metal? Por obrigação / imposição, ou por outros motivos? E tanto faz se com sucesso ou não, ou mesmo com qualidade ou não…

Vamos começar com um exemplo simples e latente: Ace Frehley x Tommy Thayer. Aqui é o que podemos chamar de clone, e por obrigação. Tommy é facilmente confundido com Ace Frehley pois clona (e emula) Ace Frehley do começo ao fim ao vivo, especialmente nos solos, e sim, muita gente ainda pensa que o Spaceman está ali.

Quem é quem? Ainda bem que a qualidade das fotos entrega...

Quem é quem? Ainda bem que a qualidade das fotos entrega…

Outro exemplo gritante, e outra vez entre guitarristas, é o caso Slash x DJ Ashba. E aqui não tem apenas a questão da maquiagem ou figurino: Axl queria um “Slash” para seu atual Guns N’ Roses ao vivo e tirando o próprio, acho difícil ele conseguir alguém mais “Dolly” que o “Slashba”, como alguns o chamam…

Slash-versus-Slashba-BW

Slash e seu clone DJ Ashba

Bom, saindo um pouco das seis cordas e indo para o vocal, trarei o que considero não um clone, mas sim uma emulação do estilo. Trata-se de Robert Plant x David Coverdale!

A característica camisa branca, muitas vezes aberta, o cabelo, o jeito de se posicionar e até mesmo os movimentos com o microfone. Coverdale, para mim, passa da influência e emula o clássico que temos na cabeça quando pensamos em vocal do Led Zeppelin.

Neste caso, temos dois vocalistas excelentes, e alguns chegam a compará-los em termos de quem é ou não melhor… Plant tem um apelo mais melódico, e Coverdale traz força e talvez cante até mais alto, se considerarmos o auge de ambos. Ou não. Mas o ponto é: um exemplo forte de emulação!

Plant e Coverdale

Plant e Coverdale

E para terminar, há exemplos de bandas que, historicamente, procuraram de alguma forma emular ou clonar outras, seja pelo estilo, pelas influências e/ou para tentar atingir o sucesso da original. O exemplo que trago é simples e a questão de sucesso é mais que clara (sucesso financeiro, e não musical). The Beatles x Oasis.

O britânicos do Oasis surgiu em 1991 e terminou em 2009 com a briga dos irmãos Gallagher, ainda que o retorno futuro desta banda seja uma das coisas mais óbvias que vá acontecer na música.O desejo em copiar os Beatles é uma obsessão que pairou sobre estes ingleses. O filho de Ringo Starr, Zak Starkey, chegou a tocar com o Oasis quando da saída do baterista Alan White, em 2004.

Oasis Beatles covers

A ideia agora é ouvir dos grandes frequentadores deste espaço mais exemplos, e eles não faltam, sejam artistas ou mesmo bandas inteiras… emuladores de Eddie Van Halen deverão aparecer, imagino…

Vamos ver também como acabaremos trazendo possíveis influências e possíveis boas polêmicas para discutirmos…

O espaço está aberto! Onde estão Dollys e emuladores?

[ ] ‘ s,

Eduardo.



Categories: Artistas, Black Sabbath, Deep Purple, Guns N' Roses, Judas Priest, Kiss, Led Zeppelin, Rainbow, The Beatles, Van Halen, Whitesnake, Yes

Tags:

15 replies

  1. Grande post, Eduardo!

    De imediato, cito o exemplo do Yes: com a saída do vocalista Jon Anderson em 2008, o baixista e único membro original da banda Chris Squire conheceu o vocalista canadense David Benoit através dos videos postados no Youtube de sua banda cover do Yes chamada ‘Close to the Edge’. Vejam a semelhança incrível da voz e até dos gestos esquisitos de Benoit, característicos de Anderson:

    Em Janeiro de 2012, David Benoit ficou doente e foi forçado a sair do Yes. A banda escala o vocalista Jon Davison, da banda progressiva Glass Hammer, para a turnê na qual os clássicos “Yes Album”, Close to the Edge” e “Going for the One” seriam tocados na íntegra, e, para tanto, precisariam de um vocal muito parecido com o de Jon Anderson. Curioso é que Jon Davison entrou no Glass Hammer após os componentes da banda assistirem seus videos de covers do Yes no Youtube…

    Felizmente assisti o show desta formação em Curitiba em Maio de 2013, e afirmo ter ficado impressionado novamente com a semelhança dos vocais e dos trejeitos do novo vocalista com Anderson, vejamos:

    Então o Yes é o tipo de banda que tem um som tão marcante e peculiar, que eles mesmos admitem que uma voz diferente (por exemplo, Blaze Bailey no Iron…) estragaria o som da banda…

    Mas voltando ao ponto central do post, serão estes clones e emuladores ao mesmo tempo?!?!

    keep emulatin’

    Abilio Abreu

    Like

  2. Bem, o assunto é interessantíssimo e já trouxe ótimos exemplos por aqui.
    Quando se tratar de emular, não há dúvidas que Coverdale foi se “RobertPlantizando” aos poucos durante a carreira do WS até que conseguiu chegar ao pote de ouro do arco-íris quando gravou o álbum com Page no inicio da década de 90. A coisa era muito clara na fase platinada e mais comercial do WS, mas quando gravou com seu ídolo, Dave entregou de vez suas pretensões:

    Aliás, o Led Zeppelin é talvez a grande banda ” emulada “, tal a influência que nos deixou. Seguem, sem mais delongas, três bandas menos cotadas, mas não menos emuladoras : Badlands, Fastway e Kingdom Come ( este apelidado maldosamente pelo saudoso Gary Moore de King of Clones, veja lá isso…)

    Eu também não tenho qualquer dúvidas acerca do Oasis, mas deixo a questão para os especialistas, como o autor do post. Aqui eu me calo e aprendo..

    Sobre os clones, os guitarristas citados são talvez os maiores exemplos ” Dolly” das 6 cordas, e não há dúvidas que são intencionais as suas colocações nas duas bandas. No caso de Thayer, é excelente para SImmons e Stanley, pois o cachê deve ser menor, ele não dá trabalho pois não falta, não se atrasa e nem é o bêbado incômodo do original Ace. Já Dj Ashba mostra claramente os trejeitos e sonoridade de Slash, mas acho que fica um pouco aquém instrumentalmente, notando bem o solo de Sweet Child O” mine tem sua parte mais desafiadora tocada pelo melhor contratado de Axl, quando o assunto é guitarra : Bumblefoot.

    O assunto clonar é uma tendência clara do atual cenário musical, em especial nas vertentes do nosso gênero de predileção . Exemplos como o Yes são impressionantes, pois clonar Jon Anderson e sua voz peculiar é pra poucos e aqui o Abílio trouxe dois exemplos fantásticos . O primeiro me chamou ainda mais atenção, mas ambos fantásticos. Isso me lembrou de cara o atual Queensryche , outro desafio que está sendo muito bem superado :

    A coisa chega a ganhar contornos de banda cover, mas no caso do The Snakes não podemos esquecer que há dois membros originais do Whitesnake . Não, não é Dave Coverdale….. São os dois guitarristas, Moody e Marsden

    E por que não falar do Journey e seu atual vocalista, que foi matéria até da Oprah? Pineda faz bonito no grande desafio que é substituir Steve Perry:

    Eu fecho essa inicial participação, me concentrando nos vocais para citar aquele que pra mim é o precursor desta ” moda” : Tim Owens é o grande exemplo que salta aos olhos ( e ouvidos) e o mais antigo, talvez :

    Bem, por enquanto pensei em vocalistas , primordialmente, mas recentemente a moda segue até para os bateristas, vejam só … Vou deixar isso para um segundo comentário

    Alexandre

    Like

    • Trazendo a questão envolvendo os ” dolly-bateristas”, embora eu esteja longe de ser um especialista na questão:

      1) Esse primeiro é o campeão, pra mim:

      Simon Wright, em três momentos clones distintos :

      – Ac/dc – Phill Rudd x Simon Wright

      Aqui a questão é menos dolly e talvez mais emulador, afinal o ac/dc preza pela simplicidade. Eu pensava que este era o estilo de Wright, tanto que o achei inadequado para ir para o Dio substituir o estilo próprio de Vinnie Appice… estava enganado , pelo jeito :

      – Dio – Vinnie Appice x Simon Wright

      Bem, Wright sempre se declarou grande fã de Dio e é tido como um dos seus melhores amigos. A influência parecia questão de adoração, eu não conheço outro baterista que traga tão próximo o indefectível estilo de Vinnie Appice como ele. Esclarecida a questão, certo ?
      Errado, abaixo veja o que ele vem fazendo no TateRyche, algo completamente diferente dos dois exemplos acima:

      -TateRyche ( ou qualquer outro nome pelo qual hoje se conheça a banda de Geoff Tate..) – Scott Rockenfield x Simon Wright

      Bem, a questão, que já foi discussão de um podcast, pode ser complementada por aqui pelos bateristas que habitam o espaço..

      Vou trazer outros dois exemplos ( um óbvio, o outro….)

      O óbvio : Mike Portnoy x Mike Mangini – Bem, a história da substituição do fundador do DT é assunto bem explorado aqui no blog. Assim, vou deixar as imagens trazerem o tom da obviedade ” dolly” da questão, só com um adendo: Acho que Mangini está mais próximo da versão de estúdio que o próprio Portnoy…..

      O outro….

      Aj Pero no Twisted Sister era uma coisa, já no Adrenaline Mob, ele se tornou…Mike Portnoy:

      Bem, é isso, o assunto rende e nem cacoete de baterista eu tenho…assim, deixo a opinião para os especialistas

      Alexandre

      Like

  3. BSide, lendo pensamentos…

    em um review que virá em breve sobre “Appetite for Democracy” o novo dvd (3D) do GnR há uma performance vexatória do DJ Ashba de Sweet Child O´ mine, a mais mecânica e podre que eu já ouvi. Aliás, a música perdeu muito em sentimento. Virou uma questão de matemática, sem o vocal avassalador e longe do tal drive de 20 e poucos anos atrás.

    Em outra ocasião comento mais sobre o post.

    Like

    • É uma versão correta do ponto de vista técnico, mas é estranho esta formação do Guns com três guitarristas. Não faz muito sentido pra mim ter dois guitarristas solos e ainda assim precisar de um para substituir o Izzy ou Gilby Clarke. O vocal de Axl é o melhor que ele pode dar hoje, e deve ter coisa refeita aí, já que é um lançamento oficial. Quanto ao solo, realmente na hora que a ” coisa pega” o jeito é chamar o Bumblefoot, este sim um grande guitarrista…

      Alexandre

      Like

  4. Muito bem lembrado Alexandre, assim que li este excelente tópico, a primeira banda que me veio a mente foi justamente o The Snakes, me lembro de quando coloquei o cd Once Bitten… pra tocar, achei o The snakes mais parecido com o Whitesnake que o próprio Whitesnake atual. Uma grata surpresa!

    Outro que merece estar aqui e’ o guitarrista Stuart Smith, além de tentar copiar o Ritchie Blackmore em tudo, ainda contou em seus trabalhos com Joey Lynn Turner e Glenn Hughes.

    Like

    • Impressionante inclusive a semelhança física do “Dolly” Blackmore ! Eu não conhecia, o cara emula tudo, inclusive cabelo e trejeitos….

      Excelente contribuição, JP!

      Alexandre

      Like

      • Realmente Alexandre o cara tenta copiar o Blackmore em tudo! Sinceramente não me lembro porque comprei o primeiro disco do Stuart Smith, acredito que deveria estar com um bom preço, ou talvez pelas presenças de Joe L. Turner, Carmine Appice e Chuck Wright, mas o fato e’ que depois que ouvi fiquei impressionado com a semelhança com o Rainbow, ate penso que muitas das musicas desse álbum poderiam estar tranquilamente em um Bent Out Of Shape ou mesmo no primeiro trabalho solo do Joe Lynn Turner pós-Rainbow, Rescue You.
        O Heaven and Earth do Stuart Smith tem ate When a Blind Man Cries e uma musica chamada Shadow of the Tyburn Tree que poderia estar tranquilamente no BlackmoresNight porem com o Joe L. Turner cantando.
        Repare na guitarra dessas musicas, e’ Blackmore puro!

        Like

  5. Galera, vamos ver se conseguimos trazer outros exemplos tipo Slash x DJ Ashba?

    De banda, também já abordada em outros momentos aqui no blog, especialmente em podcasts, tem a tal Orchid, apresentada pelo Daniel, que tenta fazer uma Dolly do Sabbath…

    https://minutohm.com/2013/08/04/13o-podcast-minuto-hm-02agosto2013/

    [ ] ‘ s,

    Eduardo.

    Like

  6. Apresento a vocês o Adriangale, que parece ter suas influências no white metal, como Stryper, tendo um dos seus membros pertencido a banda gospel Guardian. Eu no entanto achei que o som da banda lembra muito um tal Leopardo inglês.

    “Crunch”

    “This Time”

    “Last Call”

    Gostei do som dos caras. Melodias legais. Letras bacanas, mas como o assunto aqui é emuladores e clones não pude deixar de reparar nas semelhanças com o Def Leppard.

    Daniel

    Liked by 1 person

  7. Bom, se no começo não era clone, era emulação – seja o que for ta aí para as tais polêmicas, inclusive porque na época não era mais compreensível, ao procurar um vocalista “desconhecido” ir para a formação com Ozzy ao invés da procura pela fase Dio?

    Like

  8. Esse post foi polemico hein
    Sobrou pro deus afonico da voz

    Like

Trackbacks

  1. Versões, covers ou tributos que (ainda) não existem – ou que poderíamos ficar sem… | Minuto HM
  2. Cobertura Minuto HM – Guns N’ Roses em SP – Not In This Lifetime – parte 1 – Minuto HM

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: