Toto lança novo disco em 2015 com formação reduzida

toto

Da esquerda para direita: David Paich, Joseph Williams, Steve Lukathear e Steve Porcaro

Sou suspeito para falar do grupo americano formado em 1977 na Califórnia tendo passado por muitas marks, com idas e vindas de integrantes ilustres. Uma banda com quase 40 anos de estrada, com discos excelentes e outros que não devem trazer saudade alguma aos mais fervorosos fãs. Toto é sinônimo de bom gosto musical, talento, categoria técnica e muita história na música pop com qualidade. Ah! Quase sempre com muito peso e delírios harmônicos.

Com uma formação enxuta e que conta com David Paich (vocais e teclados), Steve Lukather (vocais e guitarra), o retorno de Steve Porcaro (vocais e teclados) e de Joseph Williams (assumindo os vocais principais), a banda prepara seu retorno às lojas com o lançamento de “XIV“. Para o novo disco a banda contou com os músicos de estúdio Keith Carlock (bateria) e David Hungate (substituindo Mike Porcaro no baixo, que se encontra há algum tempo doente), além do convidado especial Michael McDonald (Steely Dan/Doobie Brothers).

A julgar pelo vídeo promocional do disco, que chegará ao comércio em março, a empolgação e o bom humor foi o mote dos depoimentos. Perto de completarem quatro décadas, o Toto optou – especialmente nos últimos 20 anos – por discos com sonoridades acessíveis, mas com alto grau de sofisticação na produção, afastando-o do som mainstream produzido especialmente na década de 80.

O disco já se encontra em pré-venda na Amazon nos formatos LP, CD e Edição de Luxo. Para quem deseja esperar, o lançamento mundial acontece nos dias 23 (Europa, Inglaterra e Oceania) e 24 (América do Norte) de março de 2015.

totoxiv



Categories: Agenda do Patrãozinho, Artistas, Cada show é um show..., Covers / Tributos, Músicas, The Beatles

18 replies

  1. Daniel, talvez aí uma opção para a lição de casa para o podcast seguinte ao seu lançamento, que será o 20º do blog, provavelmente em maio/2015.

    [ ] ‘ s,

    Eduardo.

    Like

  2. Conheço um pouco da banda, o suficiente para entender que são grandes músicos que lançam coisas estupendas, mas as vezes se perdem…
    Aliás o Lukather é um dos monstros da banda, parece bem estimulado para este novo
    E em breve sai um post meu que menciona este craque.
    O que vi no vídeo é muito interessante, vale realmente conferir – concordo com a sugestão – vamos levar para o Podcast?

    Like

  3. Ver novamente Lukater em ação por si só já é um senhor handicap. Vamos torcer para um belo trabalho e eu vou ficando com a lição de casa ” Toto” ainda maior para terminar.
    A idéia do Eduardo é excelente, podemos pensar neste álbum como um dos escolhidos para o podcast.

    Alexandre

    Like

    • Mestre Bside,

      conheço um pouquinho a discografia da banda e tenho a presunção de diminuir seu ‘homework’ (são 14 discos de estúdio) e indico a você dois álbuns pra mim bastante representativos. Caso você tenha curiosidade e curta, pode escutar os outros discos lançados pelos caras.

      O primeiro é o Toto IV. Ele é cheio de hits, parece até uma coletânea. Aliás, a banda tem vários best of, pode ser uma alternativa pra você.

      O outro é o Fahrenheit que tem a famosa balada I´ll Be Over You. São discos ‘datados’ (em termos de mixagem, tipo de timbre bem aberto/agudo para todos os instrumentos) mas eu os escuto até hoje e me sinto em um filme da Sessão da Tarde.

      Espero que ajude,

      Daniel

      Like

      • Valeu as dicas, Daniel. Já estou ouvindo o Fahrenheit , by the way. Pop de qualidade, vocal com muito de Michael Jackson, é isso mesmo ?

        Alexandre

        Like

        • Tirando o David Paich (ele canta o clássico “Africa”) , todos os vocalistas que passaram pelas marks do TOTO tem esta característica vocal bastante aguda, trabalhando nesta região, talvez por isso esta sua relação com o rei do Pop, no entanto, não custa lembrar, que o grupo colaborou com Michael em “Human Nature”, já que a música pertencia à banda, só que recebeu um arranjo mais clean do que a original. Mais tarde, o próprio Paich (responsável pela maioria dos teclados na fase áurea) vai assumir os keyboards de vários discos do Michael.

          Ótima analogia,

          Daniel

          Like

  4. A propósito, achei a capa do disco interessante, bonita. Começar com uma boa capa é sempre um primeiro passo importante.

    [ ] ‘ s,

    Eduardo.

    Like

  5. Também tenho o Toto na minha relação de “deveres de casa”. No momento estou ouvindo a discografia do Supertramp. Comentários sobre minha audição, somente no podcast.

    Like

  6. Daniel,

    Sempre nos atualizando com notícias com a sua destreza usual, gostei de saber deste lançamento, da banda que considero o “Roupa Nova Yankee” (ou melhor, não seria o Roupa Nova o “Toto brazuca”?).

    Digo isso porque, assim como na citada banda Brasileira, é inegável a qualidade de todos os seus integrantes, mas por muitas vezes as composições deixam a desejar por enquadrarem-se numa ambientação classificável como “brega”, com todo o perdão da palavra e sem querer desmerecer nenhuma das duas bandas. Na verdade é mais que merecido que músicos desse calibre alcancem seu sucesso financeiro, diferentemente de ícones como o baixista Jaco Pastorius, que acabou sua vida em numa situação deplorável de mendicância e abandono, e foi fatalmente espancado por um segurança de bar após uma discussão idiota.

    Voltando ao Toto, lembro que lamentei muito a morte prematura do baterista Jeff Porcaro (aos 38 anos de idade) nos anos 90, já que o mesmo era uma figura carimbada na cena, tendo tocado com McCartney, Gilmour, Clapton, Michael Jackson e monstros do jazz como Miles Davies, Lee Ritenour e Stan Getz. Só pelo sobrenome já dá pra saber que esta familia Porcaro é altamente competente, pois, sendo filhos do percussionista Joe Porcaro, seus irmãos Michael (baixista) e Steve (tecladiista), também integrantes do Toto, são também músicos de estúdio “world class”.

    E Steve Lukather… Esse cara é muito fera, lembro de uma video aula dele que consumi sem moderação nos anos 80. Aprendi muito com ele e sempre admirei sua musicalidade e personalidade, como dá pra ver no video que você postou acima.

    Muito bom saber que estão em atividade plena e animados, pra continuarem a mostrar ao mundo como se faz um pop de qualidade, já que o cenário atual neste estilo se encontra nada mais que caótico…

    keep releasin’

    Abilio Abreu

    Like

  7. Pois é mestre AA,

    não tive o prazer de ver a banda no palco, só sinto o gostinho pelos DVDs da vida, mas reconheço nos arranjos vocais, nas convenções, nas cores do som, um talento ainda subestimado dos ‘meninos’.

    Espero ter a oportunidade de vê-los em ação.

    Obrigado por sempre aparecer, amigo.

    Daniel

    Like

  8. Sad but true:

    http://www.rollingstone.com/music/news/toto-bassist-mike-porcaro-dead-at-59-20150315

    Dois dias após anunciar o braço da turnê europeia para o lançamento do novo disco, a banda recebe esta triste notícia com a morte de Mike Porcaro, aos 59 anos, pela doença de Lou Gehrig, responsável por um tipo de esclerose que toma metade do corpo.

    Os fãs certamente ficam tristes com o óbito e com mais um ‘heroi’ da música mundial nos deixando. Desde 2008 ele estava afastado da banda tratando da doença. Mike era o terceiro membro da família Porcaro a integrar as marks do Toto. Jeff Porcaro foi o baterista original e fundador da banda em 1977 (faleceu em 1992 aos 38 anos) e Steve Porcaro após 22 anos, retomou seu papel no grupo em 2010, como tecladista e compositor.

    Like

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: