Série de pesquisas sobre “Instrumentos” – Adrian Smith: escolha sua guitarra preferida

Adrian_Eddie

Continuando a série de pesquisas sobre seu instrumento preferido, agora é a vez do guitarrista do Iron Maiden que mais é conhecido na banda por variar de escolha de suas guitarras. Adrian entrou na banda bem no início dos anos 80 e, desde então, dentro ou fora da Donzela, optou durante seus incontáveis anos de carreira por vários e vários instrumentos. Fazer uma seleção de apenas 10 guitarras tornou-se para mim uma grande dificuldade. Sabendo então que algumas belas e marcantes guitarras podem não estar aqui, tive de bater o martelo e fechar o terceiro capítulo desta série com essas 10 abaixo:

 

1) Gibson Les Paul Goldtop

d8febcaf-009c-4382-a863-ea547a8b042a

Adrian atesta que esta Gibson Les Paul foi sua primeira guitarra decente e ele a usa desde seus 17 anos, sendo sua primeira guitarra também no Iron Maiden. Antes dessa, seus instrumentos incluiram uma guitarra adquirida a Dave Murray (uma Top Twenty Woolworths) e outras que nem sequer o músico lembra mais.

adrian-smith--large-msg-123917367633

Como curiosidade, Adrian mudou o captador mais próximo ao braço da guitarra por um chamado mini-bucker, ou seja, um captador usual das Gibson Les Paul (humbucker) em formato ligeiramente menor. Este captador era usado nas Gibson Firebird, outro modelo da mesma fábrica. E essa a guitarra é a usada por Smith no primeiro home video oficial da banda, Live at the Rainbow, ainda antes do lançamento de sua estreia no Maiden, no álbum Killers.

 

2) Ibanez Destroyer II

ibzdest1

A segunda mais conhecida guitarra de Smith começa a surgir mais frequentemente nos shows do álbum The Number Of The Beast e é mais usada nos anos de 1982 e 1983. Neste momento, esta é a guitarra principal de Adrian, que deixou a Les Paul Goldtop meio que para “escanteio”.

ibanez_destroyer

O vídeo feito para a tour do álbum de 1982, Beast Over Hammersmith, traz Adrian utilizando apenas esta guitarra, e até Dave Murray, conhecido pela sua então fidelidade aos modelos Fenders, acaba também usando guitarras no formato Destroyer na ocasião. Esta guitarra foi uma espécie de “febre” da época, sendo utilizada também pelos guitarristas do Def Leppard, outra banda do então propalado movimento  NWoBHM. Adrian também usa a guitarra durante a Piece Of Mind Tour, onde vai descontinuando de vez o uso do instrumento.

 

3) Lado Earth Black

 

6F5D3F22-DE82-41F7-AAC9-149079197FE9_zpsdwpeo1ci

Para o álbum Powerslave, uma construtora de guitarras mais artesanal oferece não só a Adrian, mas também a Steve Harris e Dave Murray alguns de seus instrumentos. Adrian, no entanto, é o que mais faz uso das guitarras Lado, especificamente no modelo Earth. Essas guitarras voltaram a ser colocadas no mercado apenas recentemente, trazendo a mística da utilização pelo músico durante a fase mais áurea da banda. O instrumento é tão icônico e diferente que trago aqui dois dos modelos usados por Adrian na ocasião.

qboca-1

A versão da Lado na cor preta é menos comum na carreira de Adrian, sendo mais conhecido por sua utilização durante o vídeo de Aces High e fotos promocionais do lançamento do álbum de 1984. Ainda que menos conhecida, esta Lado preta acabou por se tornar uma espécie de tesouro arqueológico (aqui em um trocadilho infame com o tema da turnê), face ao fato de Smith acabar por não levá-la durante a World Slavery Tour.

 

4) Lado Earth Sunburst Cinza

DSC02876

Eis aqui um dos instrumentos mais reconhecíveis da carreira de Adrian Smith. Esta Lado foi sua companheira durante os mais de 180 shows feitos por ocasião da turnê do álbum Powerslave. O guitarrista optou por trazer de volta a Gibson Les Paul Goldtop e durante esses shows revezava praticamente de música para música do uso dos dois instrumentos. Depois dos shows de 1984 e 1985, o Iron Maiden entra pela pesquisa por instrumentos sintetizados e uma nova Lado Azul é utilizada para os sons de Can I Play With Madness por ocasião de seu lançamento com single. No entanto, é esta Lado Sunburst Cinza um dos símbolos maiores da época singular que Adrian passou ao lado de Dave Murray como a maior dupla de guitarristas daquele momento.

1225943909318_f

Seu uso é amplamente visto durante o vídeo oficial Live After Death e esteve aqui no Brasil também por ocasião do histórico show no Rock in Rio, em janeiro de 1985.

 

5) Jackson Adrian Smith Signature San Dimas DK

c056dc73-6ca7-402d-9f64-4b7b4a559af1

Em 1986, a Donzela de Ferro resolve incursionar pelos sons sintetizados na busca de uma sonoridade inovadora. O incrível álbum Somewhere in Time traz três composições exclusivas de Adrian Smith, que revezou-se entre os modelos sintetizados e dois instrumentos que a Jackson lhe entregou. Este modelo, com escudo preto, é talvez mais conhecido que seu irmão de época, e depois de muito tempo acabou por ser eternizado através de uma linha da Jackson que contém a assinatura do músico.

bd612602-6ea7-4c55-bc3b-81f9949573f4

Adrian também usou o instrumento no videoclip super veiculado do single The Evil That Men Do e durante os shows da tour seguinte, em conjunto com outras guitarras. De uma certa forma, este é o instrumento que marca a saída do músico da banda, após o sétimo álbum da donzela.

 

6) Jackson Adrian Smith Signature SDX

340fa479-b765-4da3-bfb8-4f9d3ee44e8b

A irmã da Jackson San Dimas também contém a assinatura de Adrian Smith como seu modelo junto a fábrica americana, contendo um X em seu final, como diferenciação para seu modelo quase gêmeo. Esta guitarra também foi largamente usada por Adrian em seus anos finais junto ao seu primeiro momento com a banda e apresentava variações, como um modelo que trazia acoplado o módulo sintetizador usado no álbum Somewhere in Time e durante a tour, no duelo com Dave Murray.

Adrian_Smith_Iron_Maiden_Newcastle

E assim como o modelo anterior, Adrian vem usando a SDX nas turnês mais recentes, como podemos ver abaixo em 2014, sedimentando o caráter marcante do instrumento como sua marca principal.

 

7) Jackson King V

kingv

Depois de sua saída do Iron Maiden, e durante os quase 10 anos em que ficou fora da banda, Adrian experimentou novos horizontes musicais para um pouco antes de sua volta à Donzela unir-se a Bruce Dickinson, fazendo dois álbuns excepcionais. Neste intervalo, também experimentou diversas guitarras e também o uso de afinações mais graves, como o uso da corda mais grave afinada em ré (a intitulada Drop -D tuning). Com o propósito de talvez buscar um som mais incorpado, Smith usa entre outros instrumentos a Jackson King V, instrumento mais conhecido por estar nas mãos de Dave Mustaine.

_c19408_image_0

A experiência permitiu a Adrian utilizar-se da afinação citada inclusive na volta ao Iron Maiden, como na foto acima, em 1999 ainda, mas ressalto o uso na fase mais pesada da carreira de Bruce Dickinson, como no faixa e videoclip abaixo (Killing Floor):

 

8) Jackson Double Neck Soloist

dblSoloistRd

 

A última Jackson desta relação é o modelo doubleneck usado por Adrian Smith durante as gravações do álbum A Matter Of Life And Death e também durante as tours subsequentes, especialmente para tocar a faixa Children Of The Damned.

hqdefault

O instrumento tem a curiosa junção das mãos, sendo assim chamada de double neck siamesa por este fato. Seu uso, no entanto, é específico e raro, sendo deixada um pouco de lado na entrada desta atual década.

 

9) Gibson SG

72bb217e-5427-41f3-a36e-dc852f9ea292

Apesar de trazer as guitarras dispostas de forma cronológica, esta Gibson SG acima foi trazida de volta para as tours mais recentes, mas trata-se de uma das quatro Gibsons SG que Adrian utilizou na década de 1980, mas propriamente entre as tours dos álbuns The Number Of The Beast e Piece Of Mind. Além dela, Smith tinha outras duas de cor avermelhada (uma delas num tom cereja mais escuro) e outra preta, que usou de forma mais conhecida no vídeo de Flight Of Icarus.

Adrian_Smith_@_Bluesfest_July_6_2010

Como podemos perceber, no entanto, Adrian escolheu esta Gibson SG de coloração amadeirada para as recentes turnês, como no vídeo abaixo de 2006 :

 

10) Fender Stratocaster Sunburst

MSDSCF0016

Ao terminar a série, trago um modelo mais comum, que vai representar o uso das Fenders por Adrian Smith. O guitarrista vai usar diversos modelos nesta fase de retorno ao Maiden, como esse da foto, com o Drop D- Tuning, ou mesmo outras várias Fenders de diversas cores, mas quase sempre equipados com a ponte flutuante Floyd Rose e captadores duplos próximos à ponte citada. Estas preferências dentro de um modelo clássico como o Fender Stratocaster, em especial pelo uso da ponte Floyd Rose, fazem o uso do instrumento nas mãos de Adrian tornar-se ligeiramente diferentes das Stratocasters mais tradicionais, que trazem  pontes fixas tradicionais da própria Fender e captadores simples. O guitarista também acoplou em um desses modelos o GK -3 Roland Sintetizer, para utilização dos sons sintetizados como uma das opções, algo que pode ser visto na foto abaixo, bem abaixo da ponte flutuante acima mencionada.

d7813a5986c37e0a095e4c4e7567bcd0

A guitarra é também conhecida por ser talvez a representante da nova fase do Iron Maiden, ao ser utilizada na tour do álbum Brave New World na primeira música dos shows, The Wicker Man:

 

Bem, aqui chegamos ao fim desta pesquisa. Agora é a vez de todos que aqui chegaram escolherem uma entre as 10 acima colocadas:

ATUALIZAÇÃO EM 05/maio/2015: pesquisa encerrada – confira os resultados abaixo:

Ainda que Adrian tenha usado outros tantos modelos (posso citar alguns: Gibson Les Paul Black Beauty, ESP Mirage Custom Black, Charvel Stratocaster Black, Dean Baby ML, Hamer Standard Texture of Wood, Ibanez Roadstar Blue Sunburst, a lista é quase infinita…), espero ter trazido os modelos mais importantes da carreira do músico.

Eu aqui me despeço, aguardando a participação de todos!

Up the Irons !

Alexandre Bside



Categories: Artistas, Curiosidades, Def Leppard, Instrumentos, Iron Maiden, Músicas, Pesquisas

15 replies

  1. Muito legal o arsenal de Mr. Smith, muito bem selecionado aqui pelo Ale. Desde as classicas Gibson/Fender às modernas Jackson/Lado – Adrian tem como um dos pontos fortes a escolha criteriosa do som, e versatilidade, como nos anos mais pesados na carreira solo de Mr. Dickinson.
    Fiquei com duvidas e solto para os especialistas responderem:
    1) Por que os tais dois braços, já que o numero de cordas é igual ? São afinações diferentes? Timbres diferentes? Alguma outra possibilidade?
    2) As duas Lados são parecidas (em cores diferentes) mas a preta me pareceu mais curta de corpo, com linhas mais agudas – alguém concorda?
    E meu chute:
    Acho que ganha uma clássica (GIbson ou Fender), mas até agora nenhuma apareceu na votação.
    Salute
    Remote

    Like

  2. Flávio, vamos là :

    1) O braço superior tem 12 cordas, assim como boa parte das guitarras doublenecks. As cordas são presas alternadamente na mão/ na parte inferior do corpo, por isso apenas 6 tarraxas na mão. O uso da parte de cima em Children of the Damned é no dedilhado inicial, daí aquele som maravilhoso de chorus natural.

    2) Eu acho que talvez seja impressão das fotos, mas aqui eu não tenho certeza. Entrei no site da Lado, que está vendendo guitarras bem próximas as de Adrian, e as especificações parecem iguais. Segue o link, me ajuda nessa:

    http://jklado.com/guitars/earth-line

    E em relação ao seu chute, a largada pendeu para as guitarras com o estilo dos anos 80. Pois há no exato instante em que comento este post, dois votos para a Jackson do clip de The Evil That Men Do , um voto para a Lado Earth do clip de Aces High.

    Neste momento : The Evil That Men Do 2 x 1 Aces High

    Assim, eu não apostaria nas tradicionais não .

    Mas ainda é cedo para ter alguma previsão mais embasada.

    Alexandre

    Like

    • Alex,
      Muito legal a explicação das tais 12 cordas – eu desatento que sou, não havia reparado na fixação dupla das cordas – uma lá na “mão” e a outra atrás da ponte. No caso dessas 12 cordas eu tendo para ir para as tradicionais Gibson e não me acostumo com as mais modernas.
      As Lado do Adrian são muito bonitas, principalmente a preta que foi a que escolhi aqui e por minha satisfação já tem mais apreciadores – é uma das que estão liderando. Entrei no site é tem a tal Earth Model 2005G-BL que é a mais caprichada dos modelos – muito legal. Já que parece que a preta está fora de linha, que tal mais uma no seu arsenal? Uma azulzinha 2005 cabia bem.
      Sobre a disputa – já teve uma boa reviravolta e nesse momento a tradicional Gibson GoldTop já empatou com a Ibanez Destroyer,
      Lado Earth Black e Jackson Adrian Smith Signature San Dimas
      E ainda temos muito proximas as Lado Earth Sunburst Cinza e
      Fender Stratocaster Sunburst. Está dificil saber quem vence, mas já temos duas tradicionais presentes e uma delas liderando.
      Seria eu um Clairvoyant? Aliás qual a que Adrian usa nessa música mesmo?
      Remote

      Like

      • Neste momento, um empate quádruplo entre a Ibanez , A Goldtop, a Lado preta e a Jackson Dimas.

        Impossível entender qual vai ganhar, mas eu apostaria entre a Jackson e a Goldtop, pela questão de serem guitarras mais conhecidas. Outra seria a Lado cinza, neste momento um voto atrás.

        Quanto a adquirir outra guitarra, ” never say never” , mas se eu tivesse de ter uma Lado, seria a preta, que não se encontra à venda, ou seja é uma ” mosca branca” . Somente Adrian deve ter , será que ele me venderia ?

        E no vídeo de Clairvoyant, vemos a outra Lado, a azul que brevemente mencionei no post, mas que não está em votação:

        Será que cometi uma falha em não colocá-la?

        Eduardo, temos talvez que rever a quantidade de exemplos em votação ?

        Alexandre

        Like

  3. Minute-men,

    Minha predileta, e isso é preferência pessoal mesmo, já que acho que é a guitarra mais completa de todas já fabricada, altamente versátil, servindo com sobra para todo e qualquer estilo – do jazz ao Heavy Metal – é a Gibson Les Paul Goldtop.

    Neste caso específico, votei nela porque também acho que de todas é a que tem o melhor timbre, haja visto que foi modificada com a inclusão do captador perto do braço. Isso pode ser visto (ou melhor, ouvido) no meu post sobre a “involução” dos solos da “The Trooper” (https://minutohm.com/2014/04/06/iron-maiden-the-trooper-uma-involucao-de-solos/) quando ele a usa no clássico “Live After Death”.

    Vamos ver no que dá essa votação…

    keep Goldtoppin’

    Abilio Abreu

    Like

  4. cara, a dinamica do texto e nos trazer algo que pra mim era totalmente novo, foi muito bom

    após mais de 25 anos eu ainda aprendo com o Alexandre B-side

    eu fico com a Ibanez vermelha. eu depois queria uma opinião dos guitarristas sobre os intrumentos Ibanez

    Like

  5. B-Side, um zilhão de desculpas pela demora em comentar por aqui, e por estar comentando justamente agora que a pesquisa acaba de ser fechada. Dias tumultuados para mim estes últimos, espero retomar a rotina em breve.

    Independente da pesquisa, o post é maravilhoso. Muito bem “costurado”, espetacular de ser lido e um aprendizado rápido. A forma que foi escrito é simples e ao mesmo tempo completa, características que você e seu irmão são mestres absolutos e exatamente onde eu falho :-).

    Temos a vencedora, e é a última guitarra do post e única representante da Fender na pesquisa! E por que ela ganhou? Eu tenho minha opinião: é a nova geração do Iron Maiden! É a geração que passou a curtir a banda depois do retorno do Bruce, e gosta da “fórmula Brave New World” para frente, e que acostumou a ver Adrian com tal instrumento. Minha irmã foi uma das que votou nela, por exemplo – ela tem 21 anos e adora o Brave New World.

    Já eu votei na vice-campeão, a Ibanez vermelha, que é a guitarra que penso quando lembro de Adrian Smith.

    Interessante ver que a doubleneck não foi votada, pois apesar de não ser referência direta a ele como “top of mind”, uma guitarra doubleneck é sempre muita curtida em termos visuais – o que mostra que até nisso esse blog é diferenciado.

    Um post fantástico, de um guitarrista fantástico e de um autor igualmente excelente.

    Foi uma honra ler e ter participado desta série que só melhora a cada post e a cada pesquisa – além da aula.

    [ ] ‘ s,

    Eduardo.

    Like

  6. E eu quase esqueci disso aqui, de tanta coisa atrasada que tinha para ler e comentar…

    Bem, fechando o resultado, muito legal a análise do Eduardo, buscando uma razão para a vencedora ( Fender ) que eu próprio não esperava mesmo ser a ganhadora. Você tem inteira razão, a vencedora tem a marca da atual geração, da fase de sexteto da banda, que está muito viva na memória mais atual.
    Eu votei na Lado Preta, acho a guitarra linda e um pouco mais b-side em relação à sua irmã mais famosa, a da World Slavery Tour.
    Mas eu esperava uma vencedora entre a Gibson Gold Top ou a Jackson branca e preta de Adrian, um dos modelos signatures do músico.
    Por fim, agradeço os elogios exagerados , Eduardo, e mais do que isso, a participação dos votantes nesta terceira etapa desta série.
    Vem mais por aí, espero, em breve

    Alexandre

    Like

Trackbacks

  1. Kiss e o Brasil na década de 1980 | Minuto HM

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: