Cobertura Minuto HM – Accept em SP – parte 1

No último Monsters of Rock, que ocorreu no Brasil em São Paulo em 26/abr/2015, o Accept – “The Teoutonic Metal band” foi, em minha opinião, o melhor show do segundo dia do festival rivalizando apenas com o Judas Priest, banda que tocou nas duas noites do festival. A banda que iniciou sua trajetória como uma banda de garagem na cidade de Solingen na Alemanha voltou ao cenário mundial como um dos grandes nomes do Metal.

O Accept é liderado pelos alemães Peter Baltes (baixo) e Wolf Hoffmann (Guitarra) e na sua turnê mundial desembarca no Brasil novamente para uma série de 5 shows da turnê Blind Rage Tour 2016. A turnê passou pela Argentina e chega primeiro em São Paulo agora – amanhã – no Carioca Clube em terras brasilis.

fulltour-723x1024

As vendas dos ingressos para a pista está no 3º lote e custou módicos R$120,00 com ingresso de meia entrada – afinal o meu mestrado está surtindo algum efeito prático – com acréscimos de R$18,00 de taxa de conveniência. Na verdade esse era o preço de um ingresso no Brasil há um tempo atrás. É justo, não? A expectativa é grande para recebermos essa banda.

0408-723x1024

É sensacional ver em um mesmo poster os nomes “São Paulo” e “Carioca Club”…

 

Accept

08 de Abril de 2016 – Carioca Club Pinheiros – Portas: 17h30. Show: 19h00. Mais informações na agenda do blog.

Realização: Free Pass Entretenimento

Rolf Henrique Neubarth

Accept :3º lote – Pista – Meia-entrada

——————————————————————————————————–

img_6340

img_6341

img_6343

img_6342

img_6344

Blind Rage é o 14º CD da banda lançado em agosto de 2014 e sucedeu 2 grandes registros excelentes após um hiato de 15 anos sem lançar um material inédito. Os CDs Blood of the Nation (2010) e o Stalingrad (2012) foram excelentes. Eu tenho uma predileção total pelo Blood of the Nations que colou a banda de volta em seu posto e possui sons clássicos e muito bem compostos. Blood of the Nations foi aclamado pela crítica especializada em todo o mundo. O resultado comercial foi satisfatório também e isso manteve a banda nesse rumo com uma  consistência muito grande nas composições. Eu só não curto a escolha das músicas desse CD para compor esse repertório dessa turnê, mas isso é outra história.

Esses 3 lançamentos – Blood of the Nations, Stalingrad e Blind Rage – mostram como a banda tem sido bastante cuidadosa com suas composições com uma “fórmula” que na minha opinião é muito acertada pois traz melodias lindas, muitas guitarras acentuadas, seus tradicionais backing vocals graves – uma das grandes características da banda – e o encaixe perfeito do vocal do americano de New Jersey Mark Tornillo que se entrou perfeitamente na banda e deu um rumo certo para as coisas se saírem perfeitas nesses 3 registros.

Achei interessante citá-los de uma forma única pois são registros bastante similares. Se trocássemos a ordem das músicas entre os CDs isso seria quase imperceptível. Considerem isso como um grande elogio. A banda voltou com tudo para o cenário mundial do Heavy Metal – sempre em maiúsculo para respeitar o nosso aspecto religioso aqui com o Metal, né, folks?

Accept é formado por Wolf Hoffmann (guitarra) e Peter Baltes (baixo), com vocais de Mark Tornillo, Uwe Lulis (guitarras) e Christopher Williams  (bateria). Eu destaco a cadenciada Fall Of The Empire… cace**, como eu gosto de metal cadenciado… podia fazer essa base ao por uns 10 anos… igual Follow the Tears no ensaio

Versão retirada do áudio do CD:

Me parece ser um vídeo promocial que está carregando a mísica pela metade:

Enquanto esperamos a banda, curtam aí umas meninas fazendo um cover muito digno. Chama-se Bloody Diamond tocando um cover de Balls to the Wall. O registro foi filmado em 29/mar/2015 no concurso Girls ‘N Rock, do bar Manifesto, de SP. Excelente pronúncia do inglês da vocal. A batera dá umas na trave mas no geral a versão ficou muito boa.

Wolf/Rolf Accept/Dio

Contribuiu: Eduardo.



Categories: Accept, Agenda do Patrãozinho, Covers / Tributos, Curiosidades, Discografias, Músicas

9 replies

  1. Rolf, ótima primeira parte. Mais uma vez, vou ficar em débito para assistir o Accept. Na minha opinião , a banda melhorou com o novo vocal, Mark Tornillo. Não era muito fã da era Udo, apesar dos inegáveis clássicos. O cd Blood of the Nations é excelente mesmo. A faixa que você indicou, do novo álbum, Fall of the Empire, segue na mesma linha , uma canção muito boa e com a marca do coro Accept.
    Legal também ter trazido a cover feminina no post. Desejo a você e aos presentes um ótimo show, certamente teremos uma excelente cobertura por aqui.

    Alexandre

    Like

    • B-Side, essa formação do Accept atual + o momento da banda merecem realmente que a banda seja vista. Não pude ir desta vez, e digo isso com dor, pois gostaria. Espero poder em uma próxima. E quem sabe não vemos juntos todos… seria o ideal… e dá para bater no peito que é certeza de um show de metal de qualidade ímpar.

      [ ] ‘ s,

      Eduardo.

      Like

  2. B Side
    A responsabilidade de fazer uma cobertura aqui pro blog é tremenda
    Obrigado

    Like

  3. Concordo plenamente com o Rolf sobre o Accept ter sido o grande show, junto aos dois do Judas, de todo o Monsters of Rock 2015. Metal maduro, colhido no pé, convenções e guitarras tradicionais, aquele espetáculo, coisa de show que faz você sair de alma lavada.

    Como diria o Tite: “ME DÓÓÓÓI” não poder ir ao show, filho. De qualquer forma, o blog não poderia estar melhor representado quando se fala de Accept. Aguardamos o que virá, que com certeza será tão bom quanto o momento da banda.

    [ ] ‘ s,

    Eduardo.

    Like

  4. Rapazes, quanto tempo!

    Falou em Accept eu apareço rsrs, afinal lá se vai quase um ano daquele show espetacular no Monsters, vou esperar o post sobre o show para comentar e por hora posso dizer que dos 3 discos o Blood of the Nations é o que mais gosto, felizmente o Accept voltou e veio pra ficar!

    Abraços!

    Like

    • Olá Katia, valeu pelo comentário por aqui e bem-vinda. Realmente já se vai praticamente 1 ano do Monsters of Rock (com aquele lineup espetacular e que também registrou que não tivemos Lemmy no palco pela última vez em SP, infelizmente). Já o Accept fez junto ao Judas o melhor show das duas noites.

      Já há a parte 2 da cobertura e também a resenha do show disponíveis… fique a vontade para participar nestes posts também.

      [ ] ‘ s,

      Eduardo.

      Like

  5. É sempre um prazer, afinal falar de Accept nunca é demais.

    Abraço!

    Like

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: