Minuto HM em Paris: L’Olympia – e para lembrarmos do Olympia, em São Paulo

O Minuto HM esteve (e estava até) ontem na “Cidade da Luz”, capital da França quando,  “acidentalmente”, passou em frente ao L’Olympia.

“Acidentalmente” pois o local que estava sendo visitado era a magnífica (Palais) Ópera Garnier (esse passeio sim, planejado e com direito a um self tour interno), próximo dali, e que se houver alguém aqui levantando a mão para tal, deixo na lista praticamente “impagável” de posts a ser fazer por aqui.

Mas como isso foi um “feliz” acidente, a vontade era de fazer o post praticamente ao vivo, coisa que se provou impossível dado que eram as últimas horas pela cidade antes do retorno às nossas terras (com aquela tristeza bastante expressiva).

O post era, na verdade, para servir de inspiração para lembrarmos e quem sabe contarmos / registrarmos algumas histórias do Olympia, casa de shows que existiu em São Paulo de 1988 a 2006, com capacidade para 5.000 pessoas e que abriu grandes nomes, especialmente nos anos 1990, como Deep Purple, Yes, Eric Clapton, B.B. King, Megadeth, Anthrax, Pantera, entre tantos outros. Hoje, o local virou uma igreja evangélica – aliás, uma sede – da “Igreja Bola de Neve“.

Eu conto uma logo de saída e que completou recentemente 18 anos de vida – primeiro ano de faculdade, primeiros shows com o Marcus [106] Batera. Primeiro show meu do Steve Vai em uma das duas noites no local. Já não lembro se foi o show de 01 ou 02 de dezembro de 2000. Casa cheia, mas não lotada. Lembranças do encontro na casa do Marcus, seguido de comilança da sempre carinhosa família dele. Descemos a pé para o local. Lembro da entrada, da gente se posicionando. Não fomos para a grade, pelo que me lembre, mas não consigo lembrar muito.

E o motivo desse lapso mental é simples: dor de barriga generalizada. Naquela noite, eu vi 1/3, no máximo, do show (início e fim). O “recheio” foi porcamente escutado “reinando” e feliz pelo banheiro estar abastecido com papel. Pelo menos, não perdi For The Love Of God (literalmente).

E assim foi meu primeiro “show” do Vai, algo que se repetiu muitas vezes depois, mas assim o Olympia ficou marcado para mim. Creio que vi mais uns 2 shows por lá antes do fechamento em 2006 e devo ter ido, como criança, ver mais alguma coisa nacional ou infantil, mas não tenho lembranças concretas…

O Olympia, assim como outras casas importantes como o Via Funchal ou até mesmo os bares emblemáticos como o Blackmore, deixam muita saudade e há sim um “gap” hoje em casas com essa capacidade na cidade (nem pequeno até 2000 pessoas, nem estádios).

Fica então a homenagem a este local que abrigou tantos nomes de pesos e tenho certeza que os mais “experientes” aqui podem trazer mais histórias e shows importantes das bandas acima e muitas outras. E o de Paris, fica para uma próxima para visitar ou mesmo ver alguma peça por lá.

Qual sua história no saudoso Olympia paulistano?

[ ] ‘ s,

Eduardo.



Categorias:Anthrax, Artistas, Cada show é um show..., Curiosidades, Deep Purple, Megadeth, Off-topic / Misc, Pantera, Yes

7 respostas

  1. Bem, eu , carioca da gema, não tenho histórias sobre o Olympia ou também sobre o L’ Olympia de Paris.
    Então restou ler e achar o post acima muito divertido e engraçado, em especial pela parte do reinado. A França é reconhecida e hoje valoriza sua época de Império, assim como aqui já tivemos esse momento.
    Como não há mais, nada mais lógico de ver um presidente falando de reinado.

    Saudações

    Alexandre

    Curtir

  2. Nas conversas com os amigos paulistas, me parece que o Sabbath na turne Dehumanizer foi no Olimpia

    Curtir

  3. Jake Wizard me comentou algo assim

    Curtir

  4. Quando me mudei para São Paulo a casa já está nos finalmentes. Lá eu vi o Hammerfall, o Gamma Ray e o Stratovarius (foi meu primeiro show colado na grade, fiquei na frente no Timo Tolkki), nada mais. Tinha um Habib’s quase na frente do local que salvava a galera (me incluindo).

    Quem não lembrar da casa, ela foi eternizada no final do filme Dois Filhos de Francisco. Apesar de não ser uma história de metal, o filme é bom! hehehe

    Curtir

  5. concordo com o Kelsei sobre o filme. o Filme e sim muito bom.
    de emocionar

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: