Layne Staley, Alice in Chains, Metallica e fãs

Este post tem como tema duas grandes bandas de rock da atualidade e que estarão no próximo Rock in Rio: Alice in Chains e Metallica. E também sobre outro ponto importante: a atenção aos admiradores, dando orgulho de ser fã de certas bandas.

Em 2008, o Metallica lançou seu último álbum de estúdio, Death Magnetic que, de acordo com James Hetfield, frontman da banda, “The theme of our new album is that we’re all gonna die sometime. Just like the poles of a magnet, some people are drawn to death and others are repulsed by it, but we all have to deal with it. Lyrically, it started as a bit of a tribute to Layne Staley and all those who’ve martired themselves in the name of rock and roll. But it grew and evolved from there”. Além disso, Kirk Hammett disse em entrevista para a revista Rolling Stone que trouxe uma foto de Layne Staley, membro falecido da banda Alice in Chains, para o estúdio onde o Metallica estava gravando e comentou: “a imagem ficou lá por um longo tempo, eu acho que mexia com James.”.

Na ocasião do lançamento do álbum ocorreram várias discussões em fóruns e sites especializados que a música não lançada oficialmente “Shine” seria dedicada a Layne. Em 2011, nas comemorações dos 30 anos do Metallica em shows realizados em São Francisco, a banda tocou quatro músicas inéditas gravadas na época de Death Magnetic e lançadas posteriormente no EP Beyond Magnetic. Dentre elas está “Just a Bullet Away”, que Hetfield durante o show fala que se trata da famosa “Shine”. No vídeo abaixo é apresentada a música e neste link a análise do show no Minuto HM.

Dois dias depois, na mesma comemoração dos 30 anos, o Metallica executou “Rebel of Babylon”. Prestando atenção na letra da música, aparentemente ela retrata melhor a história de Layne e as declarações de Hetfield na ocasião do lançamento do álbum. Neste link aqui, há várias teorias sobre essa música e sua relação com Layne. Até hoje a banda nunca confirmou se há alguma música dedicada a Layne Staley.

Nancy Staley, mãe de Layne, mantém uma instituição que possui a função principal de ajudar dependentes químicos e promover campanhas de combate ao uso de drogas principalmente os mais jovens, a Layne Staley Fund. Vale a pena visitar o site da instituição e difundir entre os amigos. Além disso, a cada mês de Agosto (mês de aniversário de Layne), é realizado um show para arrecadação de fundos para a instituição com diversas bandas, o Sing For Layne.

Contando a isso, em 2010 Nancy Staley participou do programa Celebrity Rehab, que tinha com uma das “celebridades” Mike Starr, ex-baixista do AiC e dependente de drogas. Infelizmente Starr faleceu devido a overdose de drogas cerca de um ano após a participação dele no reality. O depoimento de Nancy é emocionante e vale a conferida:

Voltando um pouco no tempo! Em 2009, com o lançamento de Death Magnetic, toda a história sobre a inspiração do álbum e sendo fã de Layne e Metallica, por que não propor algo diferente? Por que não o Metallica fazendo um show especial para o Sing For Layne? Impossível, não sei…  resolvi arriscar e mandei o seguinte e-mail para Nancy:

Dear Nancy,

 My name is Glaysson Muller and I am a brazilian fan of Layne Staley and Alice in Chains. And my English is not very well…

 My purpose of this e-mail is an idea of the next show of Layne Staley Fund. Last year the band Metallica launched a new CD, Death Magnetic. And the members of Metallica devoted this CD to Layne (see  links below). Why not invite this band for this show? It will be very well !!

 Links:

http://www.contactmusic.com/news.nsf/article/metallica%20album%20tribute%20to%20staley_1080985

http://en.wikipedia.org/wiki/Metallica’s_ninth_studio_album

Congratulations !

A resposta demorou um pouco… mais de 3 anos! Mas chegou: no último dia 27 de Dezembro, Nancy Staley me enviou o seguinte e-mail:

Glayson, I am so sorry not to have answered sooner. I am always swamped, and have to tend to business first. I no longer plan the Tribute; but, I will consult with the team, and see if the band is interested. Since they have an international following, and their schedule is set at least a year in advance in some cases, it will be up to their managers.

Thanks for this suggestion, and of course, thank you for supporting the band and Layne by sharing this idea.

I hope you had a fine holiday with family and friends. We did stocking-stuffer gifts, and it was fun to see what everyone came up with.

Take care,

Nancy

Com esse e-mail, volto ao início do post: a atenção aos fãs. A realização do show é difícil devido a diversos pontos, como logística e datas de shows que uma grande banda possui, mas Nancy em uma pequena mensagem ganha mais um admirador, pela atenção desprendida e, é claro, por dar valor a ideia, que se for bem passada à equipe da banda, tenho certeza que Hetfield & Companhia fariam um grande show, tornando a Layne Staley Fund mais conhecida e conseguindo seus objetivos com maior êxito.

Abraços!



Categories: Alice in Chains, Curiosidades, Entrevistas, Músicas, MetallicA

34 replies

  1. Glaysson, parabéns pelo seu primeiro post por aqui, já em altíssimo nível, e obrigado por escolher este espaço, em nome de todos aqui, para compartilhar algo tão especial e único como este e-mail.

    Acho que a letra tem sim relação, mesmo que a banda não confirme. E o exemplo pode ser estendido a tantos e tantos outros que perdemos dado ao maldito vício.

    Os links trazidos por você são excelentes e realmente é muito bonito ver o trabalho realizado. E a entrevista é algo que chega a dar ainda uma maior tristeza projetando o que aconteceu meses depois dela…

    Muito legal você ter recebido a resposta e ainda mais especial que, mesmo tanto tempo depois, Nancy tenha tido o especial cuidado em responder – o que confirma o grande coração e que seus atos são realmente verdadeiros, mesmo depois de tantos anos da morte de seu filho.

    Bem-vindo aos posts e um parabéns especial a Nancy, uma guerreira.

    A propósito: fique a vontade para mandar o post a ela, agora… temos a tradução do Google, quem sabe ela não dá uma olhada e, sonhando mais um pouco, comenta por aqui?

    [ ] ‘ s,

    Eduardo.

    Like

    • Valeu, Eduardo!

      Obrigado pelos elogios. Acredito que não está no mesmo nível dos outros posts do blog, mas é uma contribuição!

      A ideia é ótima de enviar para a Nancy, mas tomara que não demore TANTO tempo para responder rsrs!

      Se não me engano, em uma comunidade do Orkut, há muito tempo, vi um texto em que a Nancy falava que o melhor show que ela viu do AiC foi no Hollywood Rock, aqui no Rio de Janeiro. Ela disse que não entendia como não virou um DVD ou algo parecido. Assim, ela já sabe que o AiC aqui no BR é recebido de braços abertos.

      Abraços e obrigado!

      Like

      • Glaysson, sim, tomara que ela não responda lá nas Olimpíadas de 2016, quem sabe até a Copa 2014? Hehehehe…

        Cara, o post está sim dentro da proposta do blog, por favor… será um prazer a todos ler mais e mais de você por aqui, tenho certeza.

        E a banda, que foi mesmo muito bem recebida no SWU 2011, será também aplaudida no Rock in Rio 2013, ainda que o público no dia seja ainda mais “variado” que em Paulínia.

        [ ] ‘ s,

        Eduardo.

        Like

  2. Glaysson, que legal ver você postando por aqui! Seja bem vindo :)

    A amizade entre o Metallica e o AiC realmente esteve sempre presente, especialmente com relação a Jerry Cantrell, com Hetfield participando de shows do Alice cantando Would e Jerry no show de aniversário do Metallica. E também Robert Trujillo que tocou nos discos solos de Cantrell antes de ingressar na sua atual banda. Será que teremos alguma chance de alguma jam no Rock In Rio já que elas tocarão na mesma noite?

    O vídeo com Mike Starr admitindo para Nancy que esteve com Layne na noite em que ele provavelmente morreu é impossível assistir sem se emocionar! E o depoimento dela, achando o corpo do filho no sofá, é de cortar o coração. É triste que mesmo com o apoio de Nancy, não o culpando por não ter chamado o 911, Mike não tenha conseguido viver em paz e se livrar do vício…

    Mais triste ainda ainda admitir, como Hetfield fala aí no texto, que alguns acabem se martirizando em nome do Rock n´Roll. Se não fosse o vício destes caras, talvez nunca tivéssemos músicas tão únicas e cheias de sentimento como as que tem em Facelift e Dirt, e até mesmo nos outros discos que já não contam mais com Mike Starr. Eles não seriam celebridades e teriam uma vida chata e entediante, como desejada por Nancy, mas provavelmente estariam vivos!!

    Glaysson, sua carta recebida pela mãe de Layne, mesmo que com alguns anos de atraso na resposta, é ótima. Você deve se orgulhar. De qualquer forma, é mais uma maneira de se sentir próximo de quem a gente tanto admira, mesmo que ele não esteja mais entre nós. Parabéns!

    Abraços,

    Su

    Like

    • Sobre o Rock In Rio 5, não vejo motivo de NÃO acontecer. Seria inclusive um grande desperdício se não rolasse algo, seja durante o set do AiC, do MetallicA ou em ambos :-).

      [ ] ‘ s,

      Eduardo.

      Like

    • Valeu, Suellen!

      Essa história do Mike é muito triste… E a ligação drogas-música é muito forte no AiC. Nunca uma pessoa sóbria conseguiria escrever Junkhead ou qualquer outra música do Dirt. São músicas excelentes (adoraria que tocassem Junkhead no RiR), mas o que é melhor, eles vivos ou estas músicas??

      E um jam seria sensacional. Cantrell TEM que cantar no show do Metallica, obrigação!!!

      E se o Hetfield cantar com o AiC pelo menos vê se capricha melhor, porque quando cantou Would, doeu rsrs.

      Acho Get Born Again, que nunca foi tocada ao vivo, a cara do Metallica.

      Like

      • Existe um post legal publicado aqui: http://minutohm.com/2010/06/24/da-serie-encontros-improvaveis/ . Como de costume, nos comentários, exploramos ainda mais o assunto…

        [ ] ‘ s,

        Eduardo.

        Like

      • Acho que se tratando da vida de uma pessoa, neste ponto não podemos ser egoístas. Não teríamos as músicas que tanto amamos mas em compensação todos estariam provavelmente vivos. Se a Nancy pudesse escolher o destino do seu filho, entre ser um rockstar ou um careta, certamente ela escolheria o destino careta. Nós fãs perderíamos muito, claro, mas em compensação ela ainda teria seu filho ao seu lado.

        Infelizmente drogas e rock n’ roll sempre estiveram muito ligados. Muitas bandas tiveram seus auges criativos na época em que seus músicos estiveram mais drogados! De cara, sem pensar muito, eu cito o Aerosmith e o Black Sabbath como exemplo. Infelizmente esta é a realidade…

        Like

        • Realmente exemplos não faltam… se formos aos anos 60, veremos uma certa banda de Liverpool fazendo coisas no final da década que jamais serão repetidas…

          Na verdade, são raros os exemplos de bandas que NÃO têm grandes casos com drogas. E isso dá até um post, não? :-)

          [ ] ‘ s,

          Eduardo.

          Like

  3. Eu nunca tinha me aprofundado para saber o que houve realmente na morte de Layne,é muito triste ver este ponto que a relação com drogas se torna imprevisível e qualquer coisa pode acontecer, hoje vejo como a vida é muito frágil, precisamos tentar preservar o máximo e vejo que mesmo depois de tudo que aconteceu e é mostrado, o destino identico para Mike Starr mostra o quão podemos nos tornar escravos do vício.
    Vamos torcer para o encontro das banda no RIR
    Parabens – excelente Post

    Like

  4. O post é triste, mas emocionante em nos mostrar como alguém tão talentoso pode ter ficado refém de si mesmo, em suas escolhas ou em não ter como escolher outra forma de seguir , que tivesse menos riscos como o que acabamos por ver acontecer . E como isso é um fato até comum no meio musical , entre outros . Ver a resposta da mãe de Layne, ainda que algum tempo depois, é muito legal , gratifica o fã pelo simples retorno .
    É ótimo contar com outro grande conhecedor do gênero musical de nosso predileção para acrescentar em alto nível o já espetacular nível deste blog, por isso eu só posso escrever , seja bem-vindo , Glaysson , e não pare por aqui, por favor ..
    O material dessa resenha eu pouco conhecia, assim agradeço a oportunidade de aprender um pouco mais desse triste acontecimento e também da relação do Metallica com o Alice in Chains.
    E fica também a minha torcida para quem sabe possamos ver um encontro entre as bandas no Rio esse ano !

    Super parabéns por esse conteúdo !

    Saudações

    Alexandre

    Like

  5. Glaysson, post publicado no ótimo AIC – Alice Brasil: http://www.aliceinchainsbr.com.br/home.php#281

    [ ] ‘ s,

    Eduardo.

    Like

  6. Muller, excelente a sua iniciativa de escrever sobre o assunto. Meus parabéns e obrigada! Tenho só uma correção a fazer:

    O “Sing For Layne” não é o nome do evento anual do “Layne Staley Fund”, realizado desde 2002. Esse evento se chamava “Layne Staley Fund Tribute & Benefit Concert”, e infelizmente não existe como tal, desde 2010.

    O “Sing For Layne” foi um evento criado no ano passado por fãs, nada relacionado ao “Layne Staley Fund”, mas que deverá se repetir anualmente, ao que tudo indica.

    Outro adendo, desta vez sobre a música do Metallica em homenagem ao Layne. No seu texto:

    “…Até hoje a banda nunca confirmou se há alguma música dedicada a Layne Staley.”

    Segundo pessoa que esteve em uma das noites da comemoração dos 30 anos do Metallica, depois da banda tocar “Rebel Of Babylon” pela primeira vez ao vivo, James Hetfield disse que a música era “inspirada em, e dedicada a Layne, um irmão que se foi” (Fonte: http://migre.me/cIBbC)

    E sobre a resposta da Nancy ao seu e-mail, não esperaria menos dessa senhora. Ela é sempre muito gentil e amável com quem a aborda. Espero que você tenha mudado sua idéia a respeito dela.

    Like

    • Olá, Ana!

      Bom ver você por aqui e se for a primeira vez, seja bem-vinda!

      Obrigado pela correção e vou editar o post com suas novas informações sobre os shows dedicados ao Layne.

      Em relação a fala de Hetfield, eu até agora não encontrei nada no youtube! Na época do show alguém disse que ele falou o nome de Layne, procurei no youtube e nada! Vou procurar na net hoje e se eu achar qualquer fala pós-Rebel eu posto.

      O link que enviou serve para dar uma “comprovação” aos outros links e as semelhanças entre Layne e Rebel of Babylon.

      Sobre Nancy, não posso dizer que a minha opinião mudou “completamente”, mas hoje a entendo melhor. Tenho apenas minhas objeções sobre o período de Layne durante sua passagem no AiC e consequentemente nas drogas. mas isso é papo para outro post!

      Novamente obrigado e acho que aqui tem outros posts interessantes que pode ver e comentar. Acho que vc é fã de Kiss e aqui tem uma discografia comentada muito boa da banda!

      Abraço

      Like

    • Link encontrado! A partir de 9:00 – Fala sobre Layne!

      Fica claro que é Rebel of babylon ou o álbum Death Magnetic?

      Like

  7. Ana (bem-vinda) e Glaysson, excelentes contribuições de vocês por aqui… muito obrigado mesmo por compartilharem esse material tão legal…

    [ ] ‘ s,

    Eduardo.

    Like

  8. Alguém interessado em comprar um 2000 Pontiac Firebird Trans Am que pertenceu à Layne Staley? O carro está sendo ofertado no forum oficial do Alice In Chains com primeira opção de compra para os fãs da banda. Todas as informações da venda e os opcionais do carro, abaixo:

    http://aic.yuku.com/topic/4416/Selling-Laynes-2000-Firebird-Trams-Am?page=1#.UQHkv2ee3YM

    Fotos do carro: http://www.jwhitemedia.com/gallery/laynestaleyfirebird
    Detalhe para a placa “Chainz” :)

    Abraços,

    Su

    Like

  9. Voltando um pouco o tema, encontrei no facebook uma pequena raridade. Uma foto de Layne Staley em 1999 ou 2000, na sua fase “sumida” do publico em geral. Essa fase perduraria até sua morte, em 2002.

    Olhando apenas a foto, se trata de algo comum, mas se tratando do histórico de Layne percebe-se dois pontos tristes e interessantes: o primeiro é o poder destrutivo das drogas, em 10 anos Layne envelheceu 30 e se tornou outra pessoa, mais magra, debilitada. Pode se pegar até seu último show, em 1996, para comparação.

    Um outro ponto é a vontade de fazer música era maior do que seu vício (ou suas implicações). Vê-se em um bateria eletrônica, “fazendo” o seu dom.

    Aí vai o link da foto:

    Abraços!

    Like

    • Glaysson, perfeito seu comentário analisando a foto. Ótima contribuição, valeu!

      Realmente triste pensar no destino tão pouco tempo depois…

      [ ] ‘ s,

      Eduardo.

      Like

    • Glaysson, essa foto é da época em que a banda se reuniu em estúdio pela última vez com Layne, em 1998, para a gravação de “Get Born Again” e “Died” para o box Music Bank

      Aqui neste link tem outras informações sobre estas sessões de estúdio e várias outras fotos da época. Do Layne, infelimente, só esta mesmo que você já postou.

      http://grungereport.net/?p=20987

      Like

      • Boa!

        Quase o ano que postaram. Provavelmente se enganaram devido ao ano de lançamento do Music Bank , que foi em 1999. Ela bate bem com a descrição de Dave Jerden que disse “Staley weighed eighty pounds…and was white as a ghost.” na ocasião da gravação das músicas.

        Será que esta é a última foto de Layne?

        Like

  10. Mãe de Layne Staley processa o Alice In Chains por não pagamento de royalties. Por outro lado, a banda acusa Nancy McCallum de tentar se apropriar ilegalmente da marca Alice In Chains.

    http://grungereport.net/?p=25293

    Like

  11. Alice in Chains com o pai de Layne no palco, pouco antes de tocarem Nutshell, no Canadá

    Like

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

Follow

Get every new post delivered to your Inbox.

Join 3,237 other followers

%d bloggers like this: