Direto do Túnel do Tempo – Capítulo 2: Cobertura Minuto HM – Queensrÿche – Curitiba – 15/maio/2008

Amigos do Minuto HM, este post inaugura uma nova série: há algum tempo, eu, Alexandre Bside,venho conversando com o Eduardo sobre os emails que trocávamos antes do nascer deste importante espaço virtual e como estes emails foram fundamentais para o blog ser hoje o que é. Surgiu então a idéia de buscar nos baús das páginas de emails alguns que são o exemplo deste pré-Minuto HM, o momento embrionário do blog. Durante o tempo em que estávamos avaliando essa ideia, surge o Abílio com este excelente texto sobre um excelente momento do heavy metal antes do blog existir.

Nada mais apropriado do que trazer um show no sul do país bastante peculiar e espetacular para inaugurar a série. Assim, amigos, esperamos que curtam e que esta série traga grandes momentos de saudosismo àqueles que vivenciaram esta época. Está inaugurada a série “Direto do Túnel do Tempo”, com o Queensrÿche em 2008 tocando em Curitiba!

Boa diversão à todos!

Eduardo, Alexandre Bside e Abílio Abreu

—————————————————————————————————-

Lembro bem daquela quinta-feira fria de Maio. Estando há bastante tempo desatualizado quanto ao que rolava no Queensrÿche, uma vez que os trabalhos da banda após a saída do Chris DeGarmo já não me agradavam tanto, me deparei com a notícia na internet que eles estariam tocando naquela noite em Curitiba, que fica a cerca de 100 km da minha cidade, Paranaguá (similar ao trecho Santos/São Paulo).

Após um rápido contato telefônico com o nosso amigo aqui do blog, o Cláudio, com o qual na época mantinha diversos compromissos profissionais, não levei nem um minuto para convencer meu cunhado e grande amigo Eduardo a me acompanhar; pegamos a estrada logo após o trabalho e chegamos no estacionamento vazio da casa de shows “Hellooch” em Curitiba.

Não havia fila alguma, parecia mais um show de uma banda qualquer local, vide à ausência de qualquer movimentação que indicasse que um dos maiores nomes do Progressive Metal estaria se apresentando ali logo mais…

Cruzamos com algumas figuras inevitáveis do Metal Curitibano e, após encontrarmos o Claudio, nos posicionamos confortavelmente perto do palco (mais precisamente de frente do amplificadores do guitarrista Michael Wilton e do baixista Eddie Jackson).

O show começou pontualmente, pois apesar das poucas pessoas que formavam a plateia (umas 300?), felizmente foram justos e não resolveram “esperar mais gente chegar”. A casa de shows “Hellooch” (nome bem sugestivo), era um ambiente muito apropriado para aquele evento, com todo o clima para o Metal.

Para nós que estávamos indo àquele show completamente despreparados (será que tocariam apenas coisas “novas e desconhecidas”?), fomos sendo arrebatados, clássico após clássico, em um fantástico setlist que foi primorosamente executado, com direito a todos os efeitos e mínimos detalhes das gravações originais, sem deixar de mencionar o excelente cover de “Neon Knights” do Sabbath:

Queensrÿche Setlist Hellooch, Curitiba, Brazil 2008, 2007/2008 Tour

Foi interessante notar que Michael Wilton realmente havia assumido musicalmente a frente do grupo, fazendo muitas vezes os arranjos e solos que originalmente eram da alçada de Chris DeGarmo nas canções clássicas da banda. O “outro” guitarrista, Mike Stone, foi muito competente e fez excelentes solos, e a “cozinha” com Eddie Jackson e Scott Rockenfield, como sempre, impecavelmente perfeita. O som estava perfeitamente equalizado e com bom volume.

Lembro termos ficado muito impressionados com a técnica, presença de palco e profissionalismo de Geoff Tate, o que me faz questionar todos os fatos que recentemente se deflagraram na banda, culminando com a separação da mesma em duas… Ali a banda parecia muito unida e coesa…

No final de tudo, pegamos uma estrada enluarada para Paranaguá, muito animados e comentando todos os milhares de detalhes percebidos, certos de que este foi um dos melhores shows já presenciados em nossas vidas…

Para corroborar minha história, hoje mesmo troquei umas mensagens com o Cláudio, que nos resume o show da seguinte forma:

“Lembro que foi um showzaço. Pouca gente, mas eles tocaram como se tivessem 10.000 loucos. Muito profissionais. Afinal, o deles já tava garantido!
O local foi o melhor que já assisti. Bem ventilado. A produção não teve nada de mais. Só a faixa atrás da bateria. A galera tava bem empolgada, todo mundo cantando junto. O Geoff muito carismático. O batera “se movimentava” mais que o resto da banda! Eu que gravei muita coisa perdi. Não gravei em mídia… dancei. O estilo do som também não é pra tango agito. Tocaram muita musica das antigas. Ainda bem.”

Bem, para fechar, segue o motivo pelo qual resolvi escrever este post: um vídeo “perdido” da última música da noite: nada mais, nada menos que “Silent Lucidity”:

Abilio Abreu (contribuiu: Claudio Marcos Villanova Machado)



Categories: Black Sabbath, Cada show é um show..., Covers / Tributos, Curiosidades, Músicas, Minuto HM, Queensrÿche, Resenhas, Setlists

8 replies

  1. Abílio, estive neste show no Rio, que também teve uma platéia reduzidíssima. Lembro de ter mandado um email, que está entre os que guardei da pré-história do Minuto HM, afinal dali surgiu a idéia do blog. Lembro também que vocês dois achavam que poderia rolar o show que a banda fazia lá fora, as duas partes do Operation Mindcrime na íntegra, mas quando informei via aquele email do repertório, é possível que vocês tenham pensado melhor e talvezi isso tenha contribuído para que vocês o assistissem por aí.
    A minha lembrança é de um dos melhores shows que assisti na vida. O Eduardo tem me pedido para publicar o email em forma de novo post. Talvez fosse melhor colocá-lo por aqui, para contribuir para o seu .
    Foi ótimo você trazer suas impressões por aqui, já 5 anos depois . E percebo que temos muito em comum, a idéia das resenhas do RUsh e agora esta.
    Nunca tinha visto um show do Qr com o set list todo , e provavelmente não mais verei, pois a platéia no Brasil para a banda foi pífia, exceto pelo show de São Paulo.
    Mas fica a lembrança de uma noite memorável !

    Alexandre Bside

    Like

  2. Obrigado Bside por ajudar a preencher as lacunas destes meus lapsos de memória!

    Eu tinha mesmo (quase) certeza termos discutido isso nos “e-mails Minuto HM pré-blog”, e enquanto lia seu comentário, lembrei que possivelmente tenhamos feito nossas respectivas resenhas… Se achar, será muito legal postar aqui!

    Também sugiro a todos abrirem seus baús (ou HDs/Pen-drives antigos) e contribuirem com mais posts da sub-série “Cobertura Minuto HM – Direto do Túnel do Tempo”. Eu mesmo tenho alguns bons shows na memória, que seriam bem legais de serem compartilhados aqui…

    Like

    • Abilio, digamos que a ideia do “túnel do tempo” é algo que o B-Side e eu já estávamos discutindo e tentando acertar algumas coisas mas, por enquanto, é ainda cedo para prometermos algo… de qualquer forma, é impressionante como as ideias por aqui batem, ou seja, você sugerir algo que vai justamente em linha com o que pensamos. Esse blog é sensacional…

      [ ] ‘ s,

      Eduardo.

      Like

  3. Abilio, apenas registrando por aqui o que disse nos “bastidores” deste post: excelente a ideia do resgate e o cuidado até em colocar a marca d’água do blog no vídeo… muito legal mesmo! E parabéns pelo post!

    B-Side, creio que ainda caiba o post, de qualquer forma, do Rio, mas fica a seu critério se quiser complementar por aqui via comentário, ok?

    [ ] ‘ s,

    Eduardo.

    Like

  4. Obrigado Bside e Eduardo pela introdução à nova série! Fico muito honrado em ter criado o post inicial!

    Aguardo ansioso os próximos posts desta série, que acrescentarão neste blog magnífico mais momentos históricos do Rock!

    Está verdadeiramente rolando uma incrível sintonia (ou uma real sinfonia) de ideias entre nós, e já posso garantir que teremos em breve mais surpresas agradáveis (e pesadas!) para todos os que curtem o Minuto HM…

    Keep bloggin’!

    Abilio

    Like

  5. Eduardo, Abílio, demais amigos do blog :

    Segue abaixo, como comprometido, o email original que mandei pouco tempo após o show do Rio de Janeiro desta tour do QR de 2008. A data do email é 09.05.2008. Assim, direto do túnel do tempo…
    ——————————————————

    “…..Ontem fui no show do Queensryche no RJ, não tinha quase ninguém, umas 500 pessoas, vi o show da segunda
    fileira ,a 5 metros do Geoff Tate e do Michael Wilton, na minha frente , apenas o Luciano “vamo dar uma força ” e o segurança do Citybank Hall..
    O show foi excelente ,os caras foram super profissionais , apesar do público ridículo que esta cidade sem o mínimo gosto musical retribuiu ao baita show que rolou…
    O set list contou de 20 músicas, 2 horas de show, quase todas da fase inicial,até o Promised Land , exceto
    duas do Operation Mindcrime 2 e o cover de Neon Knights do Sabbath,que ficou ótima,por sinal…
    Ou seja, vi praticamente um show exclusivo ,e apesar de quase ninguém,quem foi cantou e fez um barulho
    considerável ,minimizando a vergonha que é gostar de rock no Rio de Janeiro…
    O bis teve quatro músicas, conforme mando o set list abaixo :
    Já esperava ver o show bem de perto, não contava mesmo com um show com muito público,mas igual a ontem,nunca vi qualquer show internacional….
    Depois a galera reclama por que são poucos os show no Rio…..
    E a despeito do vazio ,Geoff Tate e companhia fizeram um show como se a casa estivesse lotada,abrindo uma bandeira do Brasil no final do Bis e agradecendo a galera e não preciso dizer que apesar de não haver nenhum virtuoso na banda, é de se admirar a qualidade da sonoridade da banda, só me arrependo de não ter levado máquina fotográfica, pois as fotos mostrariam até a cor da palheta (verde) dos músicos….

    Set list :

    1- Best I Can
    2 – NM 156
    3 – Screaming In Digital
    4 – Hostage
    5 – The Hands
    6 – Bridge
    7 – Another Rainy Night
    8 – The Killing Words
    9 – Gonna Get Close To You
    10 – Walk In The Shadows
    11 – Neon Knights
    12 – Last Time In Paris
    13 – Breaking The Silence
    14 – Anybody Listening ?
    15 – Jet City Woman
    16 – Eyes Of A Stranger

    E o BIs:

    17 – The Lady Wore Black
    18 – Empire
    19 – Take Hold Of The Flame
    20 – Silent Lucidity

    A melhor pra mim, Anybody listening?, mas tirando a hostage (que teve uma resposta meio morna da galera),
    o resto foi show de bola……

    È isto aí,

    Alexandre

    ————————————————

    E seguem alguns vídeos que ainda estão hoje no youtube, vejam só…

    Saudações

    Alexandre

    Like

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: