Cobertura Minuto HM – Rolling Stones em SP (show 2) – parte 1

OleTour_RollingStones_RSbrasillitho-600x600

Os Stones estão de volta. Bom, já estão pelo Brasil faz um tempo: a “America Latina Olé Tour 2016” se passou pelo Maracanã no sábado passado, dia 20. O show de hoje virou “show 2” de São Paulo, mas foi o primeiro oficialmente anunciado. Com a enorme busca na terra da garoa, anunciou-se um show extra, que acabou sendo o primeiro show em São Paulo no dia 24. Saindo daqui, a banda passará ainda por Porto Alegre no dia 02/março/2016, no Beira Rio.

É um momento muito especial para nós, brasileiros, que já recebemos a banda algumas vezes desde 1995: esta tour tem grandes chances de ser a última passagem deles por nossas terras. É uma realidade. Mas em se tratando de Stones, com a energia ainda colocada no palco especialmente por Jagger, nunca podemos afirmar isso. Afinal, a banda que tocou seu primeiro show oficial em 12/julho/1962, no lendário Marquee Club (Londres) é uma das que desafia o tempo, no bom sentido.

A tour não é focada em trabalho de estúdio recente, assim, o foco são os inúmeros hits espalhados ao longo das décadas. A Olé vem, a cada show, abrindo um spot para votação popular entre 3 ou 4 músicas escolhidas pela banda, sendo que a mais votada é anunciada no palco e executada. Para o show desta noite, são 4 opções.

A votação pode ser feita no link do tweet abaixo:

Ou pelo próprio Twitter, escolhendo-se Dead Flowers ou Anybody Seen My Baby uma através de um RT ou função de “favorito” – notem que pelo próprio post aqui, isso pode ser feito nos tweets:

A única coisa “ruim” é que aí todos votam, inclusive os que não vão aos shows. Poderia ser algo “linkado” com o número do ingresso, já que até isso é digital. Mas vale a iniciativa.

Vem chovendo bastante em São Paulo nos últimos dias, com direito a algumas verdadeiras “tempestades tropicais” – não dá para não lembrar realmente de 1995. Para hoje, há a previsão de chuvas “espalhadas” pela tarde e noite. Por onde eu moro, vi uma leve garoa, mas o céu não é nada animador. Vai ser difícil não chover, então é torcer para que durante o show principal da noite isso não aconteça.

Os Titãs, que já abriram a primeira noite, estão “escalados” novamente para hoje, a partir das 19h00, para um show de 50 minutos. Já os Stones deverão subir ao palco as 21h00.

É esperada lotação máxima em todos os setores, já que este é o único sold out da perna brasileira. Se já há relatos de problemas na entrada na quarta, é esperar que o serviço flua melhor hoje, com mais gente e com o “aprendizado” – apesar de sabermos que brasileiro não é lá aquelas coisas com relação ao que os americanos tão bem fazem, o tal “lessons learned“.

Não dá para não comentar outro absurdo que foi “lançado” neste show: os ingressos são eletrônicos, mas houve cobrança, além da hoje em dia injustificável “taxa de inconveniência”, de algo que consegue ser ainda mais absurdo: uma TAXA DE ENTREGA (?????) para um arquivo PDF, que é o ingresso. Se alguém puder me explicar isso, eu gostaria. Melhor ainda se fosse um (pelo jeito inexistente) órgão fiscalizador / regulatório.

Para terminar, parece que realmente só aceitam ingressos impressos, mesmo que hoje possamos levar o celular com o código de barras para o scanner. É o fim da picada. Então, fica o aviso também para não arriscarem a ida ao show sem o “papel”. Ok, mais uma: nem para fazer um trabalho gráfico com o ingresso – é mais um recibo de compra, horrível, e que não deixa nem um lembrança aos colecionadores, especialmente aos mais fãs.

Mas o “normal do Brasil” à parte, e dependendo do sinal de celular e do tempo, espero voltar com uma parte 2 com fotos e mais detalhes já pelo estádio do Morumbi.

I said, I knoooow… it’s only rock n’ roll but I like it, like it, yes, I do.

[ ] ‘ s,

Eduardo.



Categories: Agenda do Patrãozinho, Artistas, Cada show é um show..., Curiosidades, Off-topic / Misc, Rolling Stones

6 replies

  1. Eu saí de Curitiba levando esse papel A4 como ingresso. Levei até a fatura do cartão de crédito e o email da compra do ingresso. Tudo quanto é papel.

    Na entrada a guria simplesmente passou o papel no scanner e me deixou entrar. Nada de conferir o documento RG com o que estava no ingresso. Conferir o cartão do banco então, menos ainda… (como estava informado).

    Fiquei pensando nessa galera que compra o ingresso, tira foto e posta na internet

    Quantos desses foram barrados na entrada porque, como está nas instruções “NÃO FAÇA CÓPIAS DESSE INGRESSO, SOMENTE O PRIMEIRO A PASSAR NOS NOSSOS LEITORES TERÁ ACESSO AO EVENTO”.

    Like

    • Olá Marcus, primeiramente, bem-vindo ao Minuto HM e obrigado pelo comentário!

      Ainda tem essas questões, como você bem coloca. A questão da meia entrada deveria sim ser validada, já o ingresso do tipo inteira, de “praxe”, já não existe qualquer validação.

      A galera que coloca foto na internet ANTES do show, que me desculpem a sinceridade, mas ou são muito sem noção ou sei lá o quê. E isso não é apenas Brasil, em qualquer lugar do mundo há gente “esperando” por “vacilos” (para não dizer coisa pior que isso) como este para tirarem proveito. E acho que sim, as empresas precisam deixar essa nota claramente escrita, que o primeiro que entrar no evento com o código de barras é o que terá acesso ao evento.

      Nós aqui publicamos nossos ingressos na Galeria de Ingressos do blog (https://minutohm.com/galeria-de-ingressos/) mas, obviamente, APÓS o evento – até porque se o evento não acontecer (exemplo: https://minutohm.com/2011/04/01/cobertura-minuto-hm-iron-maiden-no-rj-parte-5-um-resumo-do-dia-em-que-o-show-parou/) ou acontecer algum problema mais sério, é com o ingresso que se deverá pedir os reembolsos devidos.

      Por fim, a dica final: eliminar da versão online informações confidenciais, como endereço, telefone, RG, CPF… coisas básicas de privacidade / segurança da informação e que infelizmente o povo não reflete sobre tais riscos em questão.

      Continue participando por aqui.

      [ ] ‘ s,

      Eduardo.

      Like

  2. Ha cara, sobre essas taxas de INconveniência… talvez elas sejam necessárias para pagar o serviço on-line. Alguém tem que bancar os programadores, os servidores onde a aplicação está hospedada, o link de internet…

    Acho que é por isso..

    . abração
    Marcus

    Like

    • Marcus, obrigado novamente pelo comentário. Vou colocar o que penso do tema abaixo:

      As taxas não são reguladas, não são claras e não se nota que há alguém auditando isso, como uma das Big Four – este post traz mais informações sobre o assunto: https://minutohm.com/2015/02/18/a-festa-das-empresas-de-ingressos-queremos-regras-transparencia-e-auditorias/

      Se houvesse transparência e especialmente regras, creio que a discussão seria válida.

      Agora, a taxa de ENTREGA para INGRESSOS ONLINE é praticamente chamar o público de, perdão pelo termo, “trouxa”. Essa taxa simplesmente não pode se chamar assim, por definição, até porque não é só ela, já há a OUTRA taxa de “conveniência”, essa sim podendo ser questionada para os custos de um Datacenter, leasing de equipamentos, staff, etc., DESDE QUE o que comento acima fosse atendido também.

      [ ] ‘ s,

      Eduardo.

      Like

  3. Sobre a questão do futuro “papai” Ronnie Wood, o Ron Wood, nesta passagem dos Stones pelo país…

    (A parte 3 do tweet tem uma foto da esposa grávida apenas, que pode ser considerada “conteúdo impróprio” em termos de publicação em blogs, e um desenho feito pelo guitarrista).

    [ ] ‘ s,

    Eduardo.

    Like

Trackbacks

  1. Cobertura Minuto HM – Rolling Stones em SP (show 2) – parte 3: resenha – Minuto HM

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: