MetallicA presta homenagem a Cliff Burton liberando download grátis de show de 1984

Galera,

ontem o mundo completou 26 anos sem Cliff Burton. Quem acompanha o blog há mais tempo e conhece a galera daqui sabe o quanto somos fãs deste genial músico que perdeu a vida naquele triste acidente com apenas 24 anos de idade.

Homenageado pela banda com ainda mais frequência nestes últimos anos, inclusive dando mais espaço para as homenagens oriundas dos fãs (como no Rock in Rio 4 – inclusive nossa) e ainda no final de 2011, durante os shows de comemoração dos XXX anos da banda, o MetallicA mais uma vez faz algo legal, disponibilizando aqui, gratuitamente, o download de um show muito legal de 1984, na França (é necessário ter uma conta no LiveMetallica.com para a realização do download – criar a conta no site também é grátis), na época da tour do Ride The Lightning – o “giro” deles ficou conhecido como “Bang That Head That Doesn’t Bang”.

Camiseta Rock in Rio

Camiseta do Minuto HM, homenagendo Cliff, feita para o Rock in Rio 4

Vale ressaltar que o show não foi disponibilizado na íntegra – só há de “The Four Horsemen” para frente, sendo que em Creeping Death, há um fade out cortando a música.

O que temos neste material, que acabo de ouvir, é uma banda com um potencial gigantesco (potencial que já era realidade, se é que dá para entender), mostrando todo seu talento. A pesada mão do Hetfield já está ali ; Lars é sensacional (não quero nem começar a pensar nos dias de hoje) ; Kirk está demais também e Cliff… bom, Cliff é um degrau acima de todos, em minha opinião, tecnicamente falando…

Estas crianças / adolescentes cometem pequenos erros e a gravação que é uma delícia de ser curtida, com aspecto de gravação amadora, sem tratamento, com chiados, microfonias e tudo que um show de metal ainda não tratado ou “profissional” pode ter. Hetfield ainda estava naquela fase que, se pudéssemos falar na época: “hey, arranjem um vocalista (lembrei deste post aqui, a propósito) para vocês virarem uma grande banda DE VERDADE”, tenho certeza que quase todos nós faríamos… chega a ser engraçado ouvi-lo ao-vivo nesta época. Fico aqui pensando como seria legal se houvesse a possibilidade de mostrar ao Hetfield de 21 anos de idade: “cara, olha você cantando nos anos 90 / 2000″…

É fantástico ouvir o Het falando que estava sangrando no final de Seek & Destroy, ou ainda a galera pedindo Hit The Lights depois de Whiplash -e Hetfield já não querendo tocá-la desde aquela época: “what? No… not that sh…”. Hahahaha. E terminando com chave de ouro 200.000 quilates, uma versão fantástica de Metal Militia – mais thrash metal que isso, não dá…

Sobre o LiveMetallica aos que nunca navegaram por lá: não é só isso que está disponível de forma gratuita por lá. Uma vez com uma conta criada, há muita coisa legal para ser baixada desde os primórdios da banda – coisas grátis e muitas outras pagas. Para os proprietários de iPhones, iPads e iPods, há também o app oficial da banda (custando US$ 1,00 atualmente), onde se pode ouvir muitas destas coisas, além de sempre ter o último show da banda disponível na íntegra (por streaming).

Metallica Setlist Le Riff, Toulouse, France 1984, Bang That Head That Doesn't Bang

Pois é, galera. Para quem curtir essa coisa crua e estupidamente METAL, vai perceber que a coisa é bem diferente do que estamos discutindo recentemente por aqui, não? Hehehehe…

R.i.P., Cliff Burton! Gênio…

[ ] ‘ s,

Eduardo.



Categories: Cada show é um show..., Curiosidades, Músicas, MetallicA, Resenhas, Setlists

7 replies

  1. Imperdível este download! Muito legal notar que embora a banda que ouvimos em 1984 seja bem diferente da que estamos acostumados a ouvir agora, principalmente em relação ao Hetfield, uma coisa que permanece, sem dúvidas, é a energia da banda ao vivo. Chega a ser até engraçado o esforço do Hetfield em Metal Militia, já quase sem fôlego e até tentando forçar um gutural em “We’re trying to get the message to yoooourrrrgh!”

    Like

    • Su, é verdade… a energia permanece, ainda que tenha uma grande diferença se compararmos com a energia dos anos 80 / início 90 (o tal “AlcoholicA”) para uma energia mais “positivista” desse Hetfield “paizão” de hoje em dia…

      Mas sim, as músicas do MetallicA trazem essa energia natural, e é impossível não ficar contagiado quando as luzes se apagam em um show deles. Afinal, eles não viraram os “Kings of the Road” à toa…

      Sim, engraçado como o fôlego do Hetfield acaba em Metal Militia, e ele tentando se virar da forma que dá… incrível o amadurecimento, não?

      E Cliff… bom, Cliff era uma coisa à parte, um outro nível de excelência raramente observada no mundo da música, mesmo tão jovem…

      [ ] ‘ s,

      Eduardo.

      Like

  2. Demorei um pouco a ter acesso a material, mas depois que ouvi o que percebi foi uma banda cheia de energia e prestes a alcançar o merecido sucesso, visto a forma que despejavam suas músicas . Alguns erros do Lars me lembraram o atual Lars, em compensação é impressionante perceber como Hetfield saiu de um estágio vocal próximo ao de Mustaine para hoje ser uma referência do estilo. Os solos de Kirk são bem mais próximos dos originais, obviamente, aos poucos ele foi trocando os registros da época por momentos que até soam meio preguiçosos , hoje em dia . Ainda assim, alguns solos me parecerem precisar de um pouco mais de ” rodagem” , pareciam soar ainda ” verdes ” na época .
    E pra Cliff separei um parágrafo à parte , para colocar que nunca mais o trash teve ( e provavelmente não mais terá ) um exponente de tamanha categoria e virtuosismo. A genialidade do músico saltava aos olhos( ou melhor aos ouvidos) inclusive em relação aos demais companheiros de banda .
    Pra terminar, precisamos elogiar a atitude da banda em disponibilizar gratuitamente esse raro registro numa justa homenagem a Cliff . Melhor ainda é ver que a banda nunca o esqueceu.

    Alexandre

    Like

    • B-Side, a evolução do vocal do Hetfield é algo realmente impressionante – talvez seja o maior exemplo que consigo pensar de alguém que saiu de um estágio “voz de moleque adolescente” para uma referência no estilo, como você bem disse. Sobre Kirk, minha opinião também é a mesma que a sua, o que é uma pena.

      E sim, Cliff merece sempre um destaque, assim como era seu talento perto dos outros. É realmente muita diferença técnica e é inversamente proporcional a tristeza que a ida tão precoce dele nos traz…

      [ ] ‘ s,

      Eduardo.

      Like

  3. Esse bootleg é demais!

    Dessa época tem um show no livemetallica de Donington de 1984 que o Cliff está demais, grande show!

    E liberaram outro show grátis, com um pulo de 10 anos:

    http://www.livemetallica.com/live-music/0,110/Metallica-mp3-flac-download-6-17-1994-County-Fairgrounds-Middletown-NY.html

    Abraços!

    Like

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: