Axl Rose nos vocais do AC/DC: do inimaginável à realidade

Notem pelo título do post que a palavra “realidade” não é precedida de adjetivos, como “triste”, “feliz”, “incrível”, “terrível”… ou seja, a ideia deste post é tão somente registrar um momento que considero histórico, independente do que achemos ou da verdadeira realidade que será este caminho de duração ainda indeterminada.

Muito pouco antes disso, Axl Rose havia aceitado o também (quase) inimaginável retorno com alguns dos ex-companheiros para reformar o Guns N’ Roses QUASE original – não nos enganemos, apesar do mais difícil (pelo menos do que lemos da mídia por tantos e tantos anos) reencontro com Slash, a banda não tem um dos bateristas que passaram pelas formações iniciais, muito menos o original, que estava louco para dizer “sim”. Até mesmo sua ex-banda de “apoio” que estava levando o nome Guns por bastante tempo, com o competente DJ Ashba emulando Slash e outros membros apoiaram o mítico retorno – sendo que alguns deles permaneceram inclusive na banda.

Ver Axl e Slash novamente juntos nos palcos foi e está sendo para os fãs antigos da banda algo especial, independente do resultado e especialmente do estado vocal de Axl, que há anos é bastante questionável, para dizer o mínimo. De verdade, não sei se ele continua atrasando para entrar no palco, comportamento este que apesar de ser “rock and roll” na essência, muitos podem dizer, é ingrediente básico para irritar a todos em volta à serviço ou seus “clientes”, ou seja, os que estão em frente ao palco.

Mas o post aqui é para registrar outro movimento de Axl em sua carreira, mas que desta vez envolve uma entidade sagrada: o AC/DC. Com a mais que esquisita e ainda não totalmente compreendida saída do lendário Brian Johnson, que estava desde 1980 nos vocais e iniciou sua trajetória com um tal de “Back In Black”, simplesmente apontado como o SEGUNDO álbum mais vendido da história. A saída de Brian do AC/DC no início de março/2016 teria sido por recomendações médicas, pois o vocalista estava perdendo sua audição. Outros relatos também “oficiais” davam que Johnson há havia perdido sua audição. A banda se manifestou desta forma:

“AC/DC band members would like to thank Brian Johnson for his contributions and dedication to the band throughout the years. We wish him all the best with his hearing issues and future ventures.”

A declaração oficial de Johnson:

“As many AC/DC fans know, the remaining shows for the 2016 AC/DC Rock or Bust World Tour, including 10 postponed U.S. shows, are being rescheduled with a guest singer.  I want personally to explain the reason because I don’t believe the earlier press releases sufficiently set out what I wanted to say to our fans or the way in which I thought it should be presented.

On March 7th, after a series of examinations by leading physicians in the field of hearing loss, I was advised that if I continue to perform at large venues, I risked total deafness.  While I was horrified at the reality of the news that day, I had for a time become aware that my partial hearing loss was beginning to interfere with my performance on stage.  I was having difficulty hearing the guitars on stage and because I was not able to hear the other musicians clearly, I feared the quality of my performance could be compromised.  In all honesty this was something I could not in good conscience allow.  Our fans deserve my performance to be at the highest level, and if for any reason I can’t deliver that level of performance I will not disappoint our fans or embarrass the other members of AC/DC.  I am not a quitter and I like to finish what I start, nevertheless, the doctors made it clear to me and my bandmates that I had no choice but to stop performing on stage for the remaining shows and possibly beyond.  That was the darkest day of my professional life.

Since that day, I have had several consultations with my doctors and it appears that, for the near future, I will be unable to perform on stage at arena and stadium size venues where the sound levels are beyond my current tolerance, without the risk of substantial hearing loss and possibly total deafness.  Until that time, I tried as best as I could to continue despite the pain and hearing loss but it all became too much to bear and too much to risk.

I am personally crushed by this development more than anyone could ever imagine.  The emotional experience I feel now is worse than anything I have ever in my life felt before.  Being part of AC/DC, making records and performing for the millions of devoted fans this past 36 years has been my life’s work.  I cannot imagine going forward without being part of that, but for now I have no choice.  The one thing for certain is that I will always be with AC/DC at every show in spirit, if not in person.

Most importantly, I feel terrible having to disappoint the fans who bought tickets for the canceled shows and who have steadfastly supported me and AC/DC these many years.  Words cannot express my deep gratitude and heartfelt thanks not just for the recent outpouring to me personally of kind words and good wishes, but also for the years of loyal support of AC/DC.  My thanks also go to Angus and Cliff for their support.

Finally, I wish to assure our fans that I am not retiring.  My doctors have told me that I can continue to record in studios and I intend to do that.  For the moment, my entire focus is to continue medical treatment to improve my hearing.  I am hoping that in time my hearing will improve and allow me to return to live concert performances.  While the outcome is uncertain, my attitude is optimistic.  Only time will tell.

Once again, my sincere best wishes and thanks to everyone for their support and understanding.

Love,
Brian”

Rumores e rumores foram inundando a internet e fontes e mais fontes davam várias versões para tudo que acontecia, tanto do lado de Brian quanto dos restantes membros do AC/DC. A banda de Angus Young e CIA teve que adiar 10 datas norte-americanas neste momento. E enquanto o mundo tentava também prestar atenção no retorno de Axl com Slash, veio o rumor de que Axl Rose poderia “fill in”. E aí o improvável começou a virar verdade, para surpresa geral.

Até que, em 16/abr/2016, a confirmação: Axl Rose assumiria os vocais do AC/DC para dar continuidade à Rock Or Bust World Tour.

“As much as we want this tour to end as it started, we understand, respect and support Brian‘s decision to stop touring and save his hearing. We are dedicated to fulfilling the remainder of our touring commitments to everyone that has supported us over the years, and are fortunate that Axl Rose has kindly offered his support to help us fulfill this commitment.”

Os auditions para isso, ao que foi anunciado, contou até com vocalista de banda cover. E aqui a versão de Axl de como foi o processo para ele:

“I called the day I read about it in the news, that there was a situation going on with Brian’s hearing,” he said.

“I called a guy who’s their production manager right now… because I knew there was going to be a problem with having dates on sale and dates sold and stuff like that. So if I could help, and if I was able to do it, and they were interested, I’d love to help. And that’s how it started.

“I wasn’t looking at it like, ‘I’m singing for AC/DC.’ I was looking at it like, ‘y’know, if I can, and if they think I’m able to do it.”

Axl sobre cantar – ou não – algumas das músicas do AC/DC:

“A lot of the Back In Black stuff is really challenging. I’m not here in any way out of any disrespect to Brian. I can’t take anything away from his singing at all,” he said.

“He’s a great singer and it’s really challenging to sing it. I’m just trying to do it justice for the fans.”

Começaria, então, uma inesperada parceria “oficial” entre Axl e Angus. No meio ainda do “choque” com os “novos” shows do Guns, Angus fez questão de aparecer em um deles. E de Atlanta e outras cidades americanas, Axl com o AC/DC foram para a Europa, especificamente para Lisboa, onde começaram os ensaios. Os fãs conseguiram encontrar o local e ouvirem Axl cantando clássicos como “Hells Bells”, “Hell Ain’t A Bad Place To Be”, “Back In Black”, “Thunderstruck” e “Shoot To Thrill”.

Enquanto isso, Axl seguia com o Guns e para dar mais um clima de doideira a tudo isso, fez shows com um pé quebrado, situação esta que deve se prolongar para os primeiros shows do AC/DC também.

Em paralelo, o AC/DC deixou em aberto para quem quisesse desistir dos shows, que assim o fizesse. E o resultado foi relevante (o número já passou dos 10.000 depois desta notícia) abaixo, enquanto Axl afirmava sua intenção de respeitar o legado da banda em sua primeira entrevista em alguns anos (a última que me lembro que tinha acontecido foi a com Eddie Trunk).

angusyoung_axlrose_cliwilliams

Aqui o convite para este primeiro show em Portugal, justamente neste 7/maio/2016 que este post é publicado:

Axl abordado após o último ensaio antes deste primeiro show falando tanto do AC/DC quanto do Guns – e já no palco do show com Angus dois dias antes:

rockorbust_acdclisbonposter2016

E tem mais da fase de ensaios / soundchecking:

axlrose_acdc_rehearsals

O soundchecking contou com música como Rock ‘N’ Roll Damnation, Back In Black, Thunderstruck, Hell Ain’t A Bad Place To Be, High Voltage, Hells Bells e Dog Eat Dog.

Enquanto escrevia este post, o show foi acontecendo e acabo de ver que terminou. Então, encerro o post por aqui, já ouvindo – e inicialmente gostando bastante – tanto do que vi de Axl com o Guns com o AC/DC.

Um momento dos mais loucos da história das duas bandas – e do rock convenhamos, que sem dúvidas dividirá opiniões (não é, Dickinson?) pelo tempo que durar… ou melhor, para o resto dos tempos.

[ ] ‘ s,

Eduardo.



Categories: AC/DC, Backstage, Cada show é um show..., Curiosidades, Entrevistas, Guns N' Roses, Músicas, Resenhas, Setlists

23 replies

  1. Enquanto acontece a enxurrada pela internet deste primeiro show em Lisboa, vou tentar ir filtrando algumas coisas para registro desta histórica noite:

    Vídeo de qualidade profissional para trecho de Shoot To Thrill:

    Show completo (que seja eterno enquanto dure no YouTube):

    [ ] ‘ s,

    Eduardo.

    Like

  2. Pessoal, já vi uma boa parte do show alternando trechos das músicas, especialmente as mais clássicas, e também avançando mais para o final do show.

    Para minha surpresa e satisfação, o resultado geral, em minha opinião, é MUITO MELHOR do que eu esperava. Mais para o final do show, a voz de Axl foi dando sinais (como em partes de Highway To Hell), mas até a metade do show, ele simplesmente está ARREGAÇANDO, com drive e tudo mais. Até mesmo em For Those About To Rock, ele vai bem, e é a última do show com 2 horas de músicas altas… estou muito satisfeito com o que vi! É claro que é primeiro show, tem a empolgação, dedicação e adrenalina diferentes, mas tomara que assim fique (enquanto dure a “parceria”).

    Talvez eu tivesse uma expectativa mais baixa, mas isso acabou sendo positivo. E Axl mostrou ao mundo que ainda é gigante, com muitos gritando mais por ele do que por Angus. Ele, corretamente, apontou que o show é do AC/DC e pediu para gritarem por Angus. O som da banda está excelente, a guitarra de Angus excepcional como sempre. Essa é apenas uma primeira impressão.

    Pena isso do pé de Axl, teria sido muito mais legal com ele em pé, claro…

    Aqui tem mais deste primeiro show: http://www.blabbermouth.net/news/watch-axl-rose-play-his-first-show-with-acdc/?utm_source=feedburner&utm_medium=feed&utm_campaign=Feed%3A+blabbermouth+%28Blabbermouth.net%27s+Daily+Headlines%29

    Próxima parada deles: Sevilha, Espanha, dia 10.

    [ ] ‘ s,

    Eduardo.

    Like

  3. A performance do Axl em Shoot To Thrill foi boa. Agora é esperar pra ver nas outras se ele consegue manter o nível ao longo do show.

    Like

    • Túlio, primeiramente obrigado por vir aqui comentar e participar. Também achei bastante satisfatória a versão com Axl. Para você ter uma ideia da receptividade, já tem gente chamando esse lineup de “AXL/DC”.

      E do que vi em geral do show, ele oscilou mas manteve em geral boa performance até o final.

      Continue participando por aqui.

      [ ] ‘ s,

      Eduardo.

      Like

  4. Não que seja o caso aqui do site, mas nas redes sociais em geral eu vejo que algumas pessoas confundem um pouco as coisas.

    Será que muitos gostam do que estão vendo somente porque A MÚSICA QUE É BOA e não por ser o Axl cantando?

    Digo assim, não é que o Axl mandou tão bem assim. A música é que é muito boa! Sempre foi. Afinal, é o AC/DC !

    Like

  5. Presidente,

    Mais um post primoroso, com muita informação e a fluência usual! Parabéns mais uma vez!

    Eu já havia discutido o assunto (ou melhor, cai na asneira de fazê-lo) num post de um amigo no facebook, e postei o seguinte em 18 de Abril de 2016:

    “Pra mim o AC/DC é um exemplo de banda que leva o show-business a sério: morreu o Bon Scott, em um mês já tinham o Brian Johnson no vocal, lançando o Back In Black que conquistou de vez o mercado mundial. Ano passado, Malcolm Young, irmão de Angus e fundador da banda ficou doente, logo já colocaram um outro parente no lugar, que é tão competente quanto. Agora o Brian Johnson deu sinal que ia amarelar, já tiraram ele da banda e, vamos e venhamos, chamaram o Axl Rose, que apesar de não ser um dos meus preferidos vocalista nem pessoa, tem um público gigantesco e vai alavancar a banda comercialmente novamente. Esses Australianos sabem bem o que fazem!”

    Obviamente fui ao mesmo tempo apoiado e crucificado, pois fãs de ambas as bandas tendem a ser radicais, e escrevi mais com relação aos rumores do comediante Jim Breuer, amigo pessoal de Johnson, que afirmou que Brian teria sido ” abruptamente removido” da banda, expondo um pouco da minha opinião pessoal sobre Axl:

    “Pelo que li na mídia internacional, ele nem queria sair da banda e foi literalmente despedido da banda quando falou que estava com problemas de audição, nem quiseram ver se dava pra resolver e mandaram as malas dele pra casa sem perguntar. Também disse “apesar de não ser um dos meus preferidos vocalista nem pessoa, tem um público gigantesco”, e é inegável que tem muita gente que gosta de Guns. Dai você acha que ganharão mais grana com um Zé Ninguém cover idêntico achado no Youtube ou com um cara polêmico como o Axl?”

    Assim sendo, achei a declaração oficial de Johnson bastante polida e política, como se não quisesse acabar o relacionamento com a banda de forma tenebrosa…

    Quanto ao Axl, no final das contas, após ver a apresentação de Coachella e alguns vídeos do primeiro show com o AC/DC logo após seu post ter sido publicado, confesso que gostei bastante do que ouvi, e ao meu ver a escolha foi perfeita, reforçando meu ponto de vista que a banda não dá ponto sem nó.

    Agora vamos ver se a voz Axl aguentará todos os 10 shows programados…

    keep tourin’

    Abilio Abreu

    Like

  6. Ouvi as primeiras canções e aprovei. Me surpreendi até, pois embora seja o primeiro show, Axl já vem de uma sequência de shows com o Guns. A escolha foi cirúrgica, não encontro outra pessoa com popularidade e timbre capazes para preencher a vaga. Ainda que vá causar certo asco nos fãs mais xiitas do AC/DC. Acho que comercialmente é perfeitamente compensável ( ou até mais rentável) pelos fãs de Axl ou do próprio Guns.Ainda que já saibamos de várias desistências dos ingressos.
    Se ele aguenta os 10 shows, como bem colocado pelo Abílio, é outra questão. E uma tour mais extensa seria ainda mais desafiador. Percebi muita dificuldade em You Shook me All Night Long, mas convenhamos, isso é alto demais pra qualquer mortal ….
    Eu jamais imaginaria a parceria, mas ao que parece, deu certo mesmo.
    O Marcus tem razão a respeito do legado das canções do AC/DC. É um inegável plus, é como jogar num time de craques.
    Chefe, parabéns por acompanhar isso desde o início, somente gostaria de ver um video de maior qualidade. Vamos esperar, uma hora acontece.

    Alexandre

    Like

  7. Talvez um dos fatos mais inusitados da historia do rock. Inimaginável que o vocalista de uma banda que já tinha “acabado” e que sofria fortes críticas sobre seu desempenho nos últimos anos, pudesse, não somente retomar seu projeto (mesmo que “capenga” conforme realçado pelo texto), como assumir os vocais (mesmo que temporariamente) de uma banda clássica como o AC/DC.

    Para surpresa geral – estão pululando textos na internet e eu fiz um vídeo, depois posto aqui – Axl não só abraçou a ideia, como vai bem nas duas empreitadas. Não me lembro de nada tão surpreendente na biografia recente do rock and roll.

    Jogada de marketing? Certamente tem uma pitada. Uma boa escolha? O tempo vai dizer (ou vem dizendo), mas conforme bem realçado por um minuteiro nos comentários, a escolha por Rose / AC/DC é meio que entrar no gramado com 2 x 0 aos 40 do segundo tempo.

    No fundo, a especulação sobre o marketing, a saída do Johnson, a inclusão do Axl, tudo isso, fez muito bem ao cenário musical, muito parado e sem grandes novidades.

    Agora, o que me surpreenderia mesmo, é se o GnR colocasse material novo no mercado após uma “boa” reunida no estúdio. Acredito que esta reunião seja pontual e não renderá um novo disco, mas caso isso fosse especulado, talvez fosse o disco mais aguardado de todos os tempos, juntos com todos os projetos de bandas que acabaram.

    Histórico.

    Daniel

    (volto com um vídeo sobre)

    Like

  8. Slash e Duff no show do “Axl/DC” – lendário show de estreia de grandes bandas no The Stadium em Londres, simplesmente no lindo England’s Queen Elizabeth’s Olympic Park.

    Vi uns trechos e Axl continuou me agradando nas partes que vi… eu já estou achando que ele vai ficando…

    Mais em: http://www.blabbermouth.net/news/slash-and-duff-mckagan-attend-axl-rose-fronted-acdcs-concert-in-london/#3hOqpAQh5PTOpEhW.99

    [ ] ‘ s,

    Eduardo.

    Like

  9. [ ] ‘ s,

    Eduardo.

    Like

  10. Enquanto Axl parece estar conquistando a maioria e a própria banda, boas notícias sobre o novo aparelho auditivo de Brian: http://www.wikimetal.com.br/site/brian-johnson-diz-que-novo-aparelho-auditivo-funciona/

    E a banda vai marcando mais shows:

    [ ] ‘ s,

    Eduardo.

    Like

  11. Não sei se pela situação da primeira saída do Malcolm, se agora pela situação do Brian, entrada do Axl, uma combinação disso ou tudo isso… mas Cliff Williams deverá sair da banda depois desta tour e aí acho bastante difícil o AC/DC se manter.

    Esperemos…

    http://www.wikimetal.com.br/site/baixista-do-acdc-anuncia-que-vai-se-aposentar/

    [ ] ‘ s,

    Eduardo.

    Like

  12. Datas sendo repostas nos EUA, sendo que o futuro da banda é incerto depois das 3 saídas mais recentes – e ninguém fala da saúde de Malcolm, nem seu irmão e atual dono da banda: http://www.blabbermouth.net/news/axl-rose-fronted-acdc-kicks-off-u-s-tour-in-greensboro-north-carolina-video/

    [ ] ‘ s,

    Eduardo.

    Like

  13. Algumas novidades ainda que necessitem confirmações mais “oficiais” pelo lado do AC/DC – nada boas se concretizadas, por sinal – e pelo jeito, é isso mesmo para tudo…

    Mais: https://www.acdcbrasil.net/noticias/arquivo-2016/cliff-williams-agradece-os-fas-se-despede-dos-palcos/

    [ ] ‘ s,

    Eduardo.

    Like

  14. A convivência, em especial nos últimos anos e acontecimentos, não deve ter sido das mais fáceis, me parece uma mistura de desgaste de relação, envelhecimento em si e essa dura situação da estrada já em uma idade não tão apropriada e também com as opções de Angus em, por exemplo, seguir sem Brian. Acredito que tanto Cliff quanto Chris Slade devem ter cumprido suas obrigações profissionais até o momento em que puderam contratualmente optar em deixar a banda.
    Resta saber, apesar do fato da figura principal da banda ser indubitavelmente Angus, se a banda não vai parecer uma caricatura de si ou um projeto solo que depõe contra a imagem construída anos a fio.
    Vamos acompanhar, eu honestamente acho que já deu….

    Alexandre

    Like

    • É com dor que digo isso, mas concordo… o AC/DC sempre será uma das maiores e mais importantes / relevantes bandas do mundo, e não precisa seguir como era o Guns em tempo que era “Axl Rose Band”, virando uma “Angus & Friends Band” ou algo do tipo – qualquer semelhança é mera coincidência…

      [ ] ‘ s,

      Eduardo.

      Like

  15. Novas notícias / esperanças quanto ao Brian Johnson em relação a sua audição e possível retorno aos palcos: http://www.wikimetal.com.br/site/empresa-de-aparelho-auditivo-diz-que-brian-johnson-pode-voltar-aos-palcos-em-6-meses/

    [ ] ‘ s,

    Eduardo.

    Like

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: